quarta-feira, março 21, 2007

Agressão à Qualidade de Vida dos Moradores - 2

Vejam-se as fotos : As duas primeiras da R. Lopes de Mendonça, as segundas da R. de Alvalade para onde o Governo decidiu em 22 de Julho de 2005, deslocar as linhas 2 e 3 do Triângulo da Ramalha e que a CMA não quer acatar, desejando manter a linha 3 na R. Lopes de Mendonça. Aqui (R. Lopes de Mendonça) o urbanizador pretendeu fazer garagens nos prédios nºs pares, para todos os condóminos (lado esquerdo 1ª foto e lado dtº 2ª foto), mas a CMA não autorizou. Os moradores pediram à CMA para fazer parqueamento automóvel no passeio. A CMA disse que não, porque os passeios são para as pessoas. Agora quer roubar os passeios aos moradores para aí fazer uma faixa de circulação.
Na Rua Lopes de Mendonça os prédios nºs pares têm todos as portas das garagens a abrir directamente para a Rua.
( para aumentar a foto clique com o botão esquerdo do rato sobre a mesma)
Na Rua de Alvalade não há entradas de prédios directamente para a Rua e só existe uma garagem,(comercial) que não é de moradores, no início da mesma, com entrada directa por esta. Lamenta-se que a CMA tenha assistido com interesse, à Apresentação Pública das propostas alternativas ao traçado do MST no Triângulo da Ramalha em 16/06/05 na SRUP no Pragal, integrando a Mesa o seu Comissário para o MST - o Vereador José M. Raposo Gonçalves –tendo até mandado emissários seus para a assistência afim de defender a Solução 2, que mais lhe interessava e, como o Governo não decidiu de acordo com as conveniências municipais, a presidente da CMA rejeitou o Despacho da Secretária de Estado dos Transportes. É de lamentar que o Governo tendo-se comprometido perante a Assembleia Municipal, a CMA, a população almadense e os moradores da R. Lopes de Mendonça, a apresentar um estudo de todas as soluções alternativas e tendo decidido por uma, com fundamento nos estudos realizados, não faça a CMA cumprir o Despacho e o que esta sempre exigiu ao Governo (a fixação definitiva do novo traçado depois de apresentadas aos moradores todas as alternativas, com explicação técnica), optando por deixar-se ir a reboque da autarquia almadense , em claro prejuízo dos moradores e dos almadenses. Lamenta-se que o Governo se iniba de defender a qualidade de vida dos moradores e de fazer cumprir a Solução escolhida – a melhor em custos, em termos de impacte ambiental e de melhores benefícios para os moradores locais e para Almada- solução essa que até em termos de exploração do traçado não tem inconvenientes, conforme pareceres no estudo levado a cabo, (pago pelo Governo) e apresentado pelo Prof. José Manuel Palma (AMB-Veritas) e Engª Cristina Laginha (FERBRITAS).

14 comentários:

Anónimo disse...

Não faria sentido que a Rua Lopes de Mendonça ficasse com apenas 1 sentido rodoviário?

Para quem diz que as composições do MST não fazem barulho, convido para verem (ouvirem)os ensaios que estão a ser feitos na zona de Corroios.

Repórter disse...

Vamos lá a ver se falamos a mesma linguagem.
Diz o meu estimado amigo que, e passo a citar, "a Presidente da CMA rejeitou o Despacho da Secretária de Estado dos Transportes", fim de citação.
Assumamos que há uma "gralha" do meu amigo quando diz que foi a Secretária. Foi, sim, a Secretaria.
Mas isso é pacífico.
A Presidente da CMA, como qualquer outro(a) Presidente de Câmara é livre de rejeitar. Do que não é livre é de andar em contra pé, invertendo o sentido do despacho, principalmente depois deste ter sido aprovado em local próprio.

O que é de lamentar, como o mau caro dia e bem, é que o governo, este ou outro qualquer, tenha dado o dito por não dito ao não fazer a Câmara cumprir o Despacho, ao que parece exarado em acta.

Mas neste País nada me espanta. Isto anda tudo ligado, como dizia o poeta/cantor...

Nessa sessão da SRUP só esteve o Dr. José Manuel Raposo Gonçalves, vereador com pasta (e muita) da CMA? Olhe que não me parece.
Esteve toda a equipa pertencente à Missão e os fiscais da obra, por parte da Câmara.

Tudo isto è estranho. E o meu amigo já pensou na causa que terá levado a obra a adiantar-se o mais possível? Não? Em que ano são as eleições? 2009, não é? Pois seria de toda a conveniência que o povão já, nessa altura, tivesse esquecido a parte negra da coisa. Assim, os votos, eles próprios, não saberão se hão-de, ou não, entrar nas urnas.

Ooooppppssss, já me alonguei.

Um abraço.

residente disse...

O absurdo de colocar o comboio nesta rua está, para além de outras razões, em:
-ser uma rua muito estreita para tal,
-ter manifestos inconvenientes para as acessibilidades e mobilidade dos moradores,
-perturbar a tranquilidade e bem-estar dos residentes,
-colocar a circulação automóvel junto aos prédios, logo aumentar o ruído e poluição nas habitações.
- Almada não precisar de um meio de transportes destes no seu casco urbano. É redondamente um erro grosseiro.
Para o(a) anónimo(a) direi que esta rua nunca poderá ficar só com um sentido dado morarem pessoas de um lado e outro. Se ficasse só com um sentido obrigaria os residentes de um dos lados a ter que atravessar sempre a via férrea,( é isso que a CMA quer) a pé, com compras, com deficientes, com pacotes, com caixotes etc, etc.
O absurdo está pois nas mentes inteligentes do município que sempre quiseram colocar a linha 3 (Cacilhas-Universidade ) nesta rua.
Como não residem aqui,os competentes decisores, não sentem nem sofem com a inserção da linha nesta rua, nem entendem o mal que fazem e os prejuízos que causam aos moradores.
Só assim se percebe porque se acham superiores aos moradores para decidirem contra o bom senso e os direitos dos residentes.
É a democracia musculada de quem se intitula democrata e ainda por cima invoca a legitimidade de ser de um partido dos trabalhadores(?), que faz semore o melhor por Almada.
Quando alguém diz isto, define-se e diz tudo. Entende-se.

residente disse...

Quanto ao barulho do comboio , é um facto reconhecido por todas as pessoas que já o viram circular.
O mesmo só não faz barulho na cabeça daqueles que o defendem, tal como foi concebido pela CMA e Srª Presidente, para hipotecar o futuro de Almada, incomodar os moradores, aumentar a poluição e ruído nas ruas laterais ao espaço canal e dividir Almada a meio.

Anónimo disse...

Tantas vozes contra o desenvolvimento da nossa cidade..Sabem ao menos do que falam? Estive presente no 15 e 16 forum Metro Sul do Tejo e não se ouviu as vossas vozes..Porque será? Quando podem colocar questões a quem de direito simplesmente não estão lá..Continuema a mandar postas de pescada..Dos fracos não reza a História meus cobardes amigos..vocÊs falam falam mas ão os vejo a fazer nada..Não dá jeito não é?

residente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
residente disse...

Essa de cobarde fez eco em qualquer parede próxima à distância de multiplo de 17 metros (entendido ?)e regressou...
Não foi absorvido por qualquer morador da R. Lopes de Mendonça ou qualquer outro que esteve presente nos quinze anteriores, onde em alguns deles, alguns "democratas" que dizem apoiar a CMA e a sua Presidente, insultaram, ofenderam e agrediram verbalmente quem intervinha e opinava diferentemente da lógica municipal. Estas ofensas dos correligionários e indefectíveis apoiantes municipais não mereceram uma única palavra de reprovação da Srº Presidente da CMA presente, nem de qualquer outro elemento da Mesa.
Serão precisas mais Palavras?
Por aqui se vê a educação, formação democrática e o respeito pela liberdade de expressão de algumas pessoas com responsabilidades políticas e autárquicas em Almada.
Por aqui se vê a democracia que está instalada em Almada.
De facto não estivemos no último fórum dito de participação MST, porque nos dois anteriores nem sequer nos deixaram "democraticamente" falar.a nós ou quem quis intervir. Mesa já sabia que ia ouvir criticas e, não tolera, o que é própria de quem não respeita as opiniões dos outros.
A Srª Presidente agarrou o esférico meteu-o debaixo do braço e não permitiu a mais ninguém jogar.
Talvez o anónimo ou anónima não saiba ou saiba e não queira saber, que não somos aquilo que autarcas ditos democratas já nos apelidaram.
Democracia em circuito fechado não é prepotência e despotismo.
Num dos ditos Fórum até houve alguém do partido da CMA que insinuou que só os naturais de Almada poderiam falar ou contestar.
Bateu a porta errada, lamentavelmente, e nem pensou no que disse, porque dos autarcas da Câmara, nem um, era natural de Almada.
Para onde vais Almada, com estas intolerâncis e cegueiras políticas?

residente disse...

No meu anterior Comentário saiu gralha e onde se lê " Democracia em circuito fechado não é prepotência e despotismo" Deve ler-se, como é natural : "DEMOCRACIA EM CIRCUITO FEHADO É PREPOTÊNCIA E DESPOTISMO"

Anónimo disse...

"(...)Num dos ditos Fórum até houve alguém do partido da CMA que insinuou que só os naturais de Almada poderiam falar ou contestar.(...)"

A ser verdade, como acredito que seja, essa é uma insinuação gravíssima que revela a total IGNORÂNCIA de algumas pessoas arregimentadas pelo Poder para contestar o exemplar exercício de cidadania dos moradores desta artéria almadense.
Espero sinceramente que esses mesmos moradores não desistam de expor públicamente a situação que lhes está a ser criada.Mais: espero que ampliem a divulgação do assunto aos concelhos vizinhos.
Sendo o empreendimento designado de Metro DO SUL DO TEJO e tendo o mesmo um traçado que se estende ao longo de toda a MargemSul ( está em estudo um terminal na Quimiparque )é ÓBVIO que não é uma questão só dos Almadenses como gostariam decerto os caciques locais.
TODOS OS CIDADÃOS DA MARGEMSUL PODEM E DEVEM SER CHAMADOS A INTERVIR NESTE PROCESSO .

Repórter disse...

A obra é de todos, independentemente de ser morador, ou não, do chamado "Triângulo da Ramalha". Creio ser dever de todos, principalmente os que não concordam com o traçado para ali planeado, agirem em conformidade com a repulsa. Qualquer forma é útil. Em fóruns, em blogs, nas ruas, nos cafés, nos "pasquins", perdão, jornais, onde quer que seja.

Qualquer pessoa que aqui ou noutro blog qualquer use o "bota abaixo" como ataque pessoal, sem sequer perceber bem o que diz e porquê, terá da minha parte uma gargalhada de desprezo.

Que me perdoem as pessoas que aqui vêm de boa fé.

Cumprimentos

residente disse...

Os moradores da R. Lopes de Mendonça sabem o disseram, sabem o que disse a CMA e a Assembleia Municipal em 10MAR2004, sabem o que disse a CMA no Boletim Municipal antes da Apresentação Pública de 16/06/05, sabem o que disse o Governo via Secretária de Estado dos Transportes, sabem o que a Comissão de Obras Públicas Transportes e Comunicações fez,sabem o que a CMA queria e quer. Nada mais...OK !
Palavras desnecessárias para quê ?
Basta de andar com equívocos e meias palavras.

Anónimo disse...

Não resido naquela rua mas parece-me que os moradores sabem o que dizem. Não vale a pena desprezá-los a eles ou quem quer que seja que teça criticas ao metro, porque eles não fazem ataques pessoais. Estão sendo vitimas de ataques de quem detém o poder autárquico. A presidente da cãmara tem o dever de respeitar os cidadãos e os seus direitos.
Reporter pense no que diz e defina-se. Ponha de lado a sua arte saltitante nos comentários que faz.

piedade disse...

A obra é de todos para pagar as despesas, os devaneios e atrasos da mesma impostos pela câmara.Antes de a obra começar as sugestões dos almadenses foram refutadas porque não faziam sintonia com o querer da autarquia.
Não venham dizer que é de todos, É de todos aquelas que aplaudem a cma

Anónimo disse...

Eles fazem muito teatro e pintam a manta da cor que lhes convém.