segunda-feira, março 31, 2008

Documentos que denunciam os mentirosos ( II )

Continuamos a mostrar, e não é demais para desmontar a farsa, documentos que falam do processo em que a Câmara Municipal de Almada esteve envolvida e levou à fixação pelo Estado, do traçado definitivo do MST no Triângulo da Ramalha através de Despacho da Secretária de Estado dos Transportes.
Veja-se nestas quatro folhas as intervenções de elementos afectos à CMA, nomeadamente do Presidente da Assembleia Municipal (José Manuel Maia) no debate da Apresentação Pública das 5 Soluções alternativas e quanto ele estava comprometido e interessado, pelas suas palavras, na decisão, embora depois tenha ignorado a escolha feita pelo Estado e humilhado os Deputados Municipais, que lhe permitiram tal.
Onde está a dignidade e a ética na política deste "democrata"?
clique sobre os doc. para aumentar e ler
fls 1 e 2 fls 3 e 4
Parecer do Encarregado de Missão do Gabinete do MST para Secretária de Estado dos Transportes : Parecer Técnico do Assessor Carlos Correia para Secretária de Estado dos Transportes: Despacho da Secretária de Estado dos Transportes: Depois do Presidente da Assembleia Muncipal ter inquirido da urgência de uma decisão e da Secretária de Estado dos Transportes ter decidido, a presidente da Câmara de Almada, não aceitou a decisão, porque não foi escolhida aquela que pretendia, a Solução 2, e impôs a manutenção da linha 3 (Cacilhas - Universidade - Cacilhas) nas ex- ruas J. Justino Lopes e Lopes de Mendonça.
Que trocas de "favores", pagamentos adicionais e contrapartidas, tudo isto envolveu e com quem?

37 comentários:

Anónimo disse...

Vá lá, de uma vez por todas, diga lá quais são os seus verdadeiros motivos, autor do blog! Ando para aqui há tanto tempo a pedir-lhe que os assuma claramente, e você vem-me com repetições de documentos e mais repetições de documentos. Anda para aí às voltas e não sai do mesmo sítio. Que é que o leva a tanta barulheira, afinal? Diga lá, de uma vez por todas.

Anónimo disse...

Pronto! Já vimos a cena.
Quem não está de acordo com o traçado do MST, tem que ter qualquer coisa em mente, uma coisa qualquer muito perigosa.
Quem tem um carrito, é um perigoso capitalista, ao serviço das forças tenebrosas do imperialismo.
Quem está de acordo com tudo o que é comboio, aí sim , é uma pessoa séria e honesta.

Anónimo disse...

Não, caro anónimo anterior, não é uma questão de "não estar de acordo". É mais, muito mais do que isso.

Não estar de acordo dá direito a chamar mentirosos aos outros todos? Não, não dá! Não estar de acordo dá direito aos insultos que já aqui foram produzidos e reproduzidos dezenas, centenas de vezes pelo autor do blog? Não, não dá! Não estar de acordo dá direito a querer, a toda a força, impor a sua "razão" sobre a razão de outros, mesmo que esta seja maioritária e assente em pressupostos de gestão adequados e rigorosos? Não, não dá!

Por isso, não é uma questão de não estar de acordo. É mais, muito mais do que isso. E é por isso mesmo que não me cansarei de pedir: diga lá, autor do blog, quais são os seus verdadeiros motivos! De uma vez por todas, diga-nos o que o move para tanta barulheira. Diga-nos!

Quanto ao resto que o anónimo anterior diz, não vale comentário algum. Tão desesperados são os argumentos que nem vale a pena perder tempo com o assunto ...

Anónimo disse...

Caro anónimo das 12:10...

Vá lá, de uma vez por todas, diga lá quais são os seus verdadeiros motivos, para, de uma forma sistemática, questionar o autor do blog.

- Por acaso sabe o que são factos?

- Por acaso sabe o que são opiniões?

Factos são acontecimentos devidamente documentados como o autor do blog aqui tem mostrado e NUNCA desmentidos...

Opiniões são as suas, nunca documentadas... e que tão incomodado fica com as verdades aqui divulgadas, sempre suportadas com os devidos documentos escritos...

Conclusão:

As suas intervenções, só incomodam os demais visitantes deste Blog que apenas pretendem fazer uma VERDADEIRA AVALIAÇÃO da forma com a democracia tem funcionado em Almada.

Muito, mas mesmo muito mal...

Será que os autarcas têm medo de serem avaliado? Parece que sim...

Anónimo disse...

Para o último anónimo (Abril 01, 2008 2:47),

Para juíz de consciências alheias, já me chega o autor do blog. Dispenso-o a si (a menos que sejam uma e a mesma pessoa ...). Se se sente incomodado, paciência, faça como o povo diz: retire-se.

Factos? Que factos? Já aqui escrevi antes: o autor do blog 'atraca-se' a um despacho que passou inexoravelmente à história (e há tantos, mas tantos, motivos válidos para que isso tenha acontecido, mas mesmo tantos ...), insulta tudo e todos quantos não pensam como ele, chama mentirosos a torto e a direito, entre outras coisas graves que aqui tem feito. Depois vem você e fala-me em factos!

Mas quais factos? Não é um facto, objectivo, bem visível e palpável, que o autor do blog vai ficar com o espaço público na área da sua residência altamente qualificado? Não é um facto, também, que vai passar a ter melhores condições ambientais pela redução da circulação automóvel naquele local? Não é um facto, ainda, que vai passar a dispor de um meio de transporte público confortável, rápido, silencioso, não poluente e amigo das pessoas, que antes não tinha? Não são estes verdadeiros factos?

Eu só pergunto uma coisa, até agora não respondida: face a estes factos, que efectivamente o são, quais os verdadeiros motivos do autor do blog para tanta barulheira. É uma pergunta muito simples, mas que pelos vistos incomoda que se farta. Vá lá, diga lá quais são os seus verdadeiros motivos. Deixe-se de andar às voltas e mais voltas com "documentos" requentados, com afirmações retiradas de contexto, com essas tretas todas, e responda: quais são os seus verdadeiros motivos?

Anónimo disse...

Tenha cuidado com o que afirma...

Alguns dos "documentos" requentados a que refere, aqui divulgados e nunca desmentidos, FORAM ELABORADOS PELA MUI NOBRE E DISTINTA C.M.A...

Salienta-se, pois, a forma REPROVÁVEL E POUCO ÉTICA como dão o dito (escrito) pelo não dito...

Isto não são AUTARCAS, são PINÓQUIOS...

Anónimo disse...

Caro anónimo das 2:39.
Olhe que o argumento do "carrito" foi expendido por um inefável apoiante da edilidade.
A César o que é de César.

caparicano disse...

Não se dêm alimento aos tretas de apoio à presidente da Câmara Municipal.
Só desprezo.
Esles estão de consciência das mentiras, por tal vêm lançar a confusão ou pelo menos tentar.
São inúteis

MB disse...

Gostava de saber em que Mundo é que passar a ter carros a circular a menos de 3mts da porta passa a ser uma "área de residência altamente qualificada", quando antes os carros passavam a cerca de 6mts... Nem no Terceiro Mundo isso é considerado sinal de progresso, quanto mais "Área de residência altamente qualificada". Só mesmo em cabecinhas pouco pensantes ou em mentes vazias e bacocas.

Tenho dito.

Anónimo disse...

Há gente que vem aqui defender o metro unicamente por ter sido uma ideia da Maria Emília e opiniões ou pareceres de certas pessoas do parido ou decisões do partido não se contestam nem criticam.
Afinal não é o único partido que defende os interesses do povo e das populações?
Assim falam Jerónimo e camaradas.
È à conta deste palavreado que exploram os mais carentes economicamente, isto é apanhando-lhes o voto. Assim quanto mais miséria melhor, mas miséria controlada pelos favores e subsídios e a imagem de públicas reivindicações ao governo como partido dos pobres e explorados.
Politica de terra Queimada.
Sem saber alguns defendem o MST só por ser do partido a imaginação. TEM DE SER BOM.

Anónimo disse...

A única coisa que ainda me espanta (quer dizer, não espanta nada, mas enfim ...) é que estes "democratas" de meia tijela podem - e têm todo o direito, desde que não mintam nem deturpem - discordar do que quiserem; estão a exercer os seus direitos, reivindicam eles.

Mas quando outros têm opiniões diferentes das deles, ai Jesus, são perigosos comunistas que estão ao serviço não sei de quem e do que mais.

Não percebem o vosso próprio ridículo? A mim não me incomoda nada que me chamem o que quiserem. Mas percebam o ridículo da vossa posição: vocês não são o centro do mundo nem possuem o privilégio do pensamento único. Mas pelas vossas intervenções, percebe-se claramente que bem gostariam que assim fosse. Depois os outros é que "exploram" ...

E último anónimo, porque o incomodei tanto com as minhas opiniões, ao ponto do sr. não ser capaz, sequer, de expressar as suas? O sr. por acaso sabe quem eu sou para afirmar tão peremptoriamente quer venho aqui defender o MST só pelas razões que aponta?

Será que poderei eu dizer o mesmo de si? Que só aqui vem dizer mal do MST porque ele foi concebido, lutado e conquistado, não pela Presidente da Câmara (mas também por ela), mas pela Câmara Municipal e populações em conjunto, pelo seu trabalho, pela sua correcta visão da gestão e das soluções a adoptar para o Concelho?

Será que como você não gosta da Câmara Municipal, desta Câmara Municipal, vem aqui e aproveita a oportunidade que a verdadeira missão do autor do blog lhe dá, para dizer mal? Será essa a sua intenção única? Cá para mim ...

Anónimo disse...

Mb,

Com o "tenho dito" final, não mereceria comentários. Mas, apesar disso, cá vai: está preocupado com carros a três metros da sua porta? Há muitas ruas por esse mundo fora (1º, 2º 3º e 17º mundos ...) em que nem metade disso existe. Mas não é este o ponto a que quero chegar. O que pensa você a redução do número de carros que passarão pela sua rua? Pensa alguma coisa sobre isso? Isso diz-lhe alguma coisa? Preocupa-o? É favorável, ou desfavorável a essa redução da circulação automóvel? Acha que pode ser benéfica ou não? O que pensa sobre esta matéria?

Para além disso, não o preocupava, antes, os mesmos carros estacionados mesmo à frente do seu nariz? Isso não o preocupava? O autor deste blog, certamente sem perceber a asneira, tem feito o favor de publicar fotos bem elucidativas dessa situação. Muito clarificadoras. Quantos metros restavam para você e os outros circularem nos passeios? Quantos? Mais ou menos de três? Não, mas isso não o incomodava nada. Absolutamente.

Mas agora incomoda. Não é porque vai passar a ter carros a três metros da porta, não. Agora o que o incomoda é que não vai mais poder estacionar o seu carrinho em cima do passeio, não é? Adivinhei? Vai passar a custar um bocadinho mais ter que deixar o pópó mais longe de casa, será? Uns 30 ou 40 metros, talvez. Será esse o seu problema?

Mas está bem. Aos factos que eu apresentei como "factos de facto", você responde-me com ... três metros. Está certo, mantemos os factos vivos ...

Anónimo disse...

O destacado elemento para fazer o serviço comum à estratégia e táctica do modus de actuar Partdo Comunista insiste.
Mas alguém lhe encomendou o sermão para falar dos interesses ou em nome das pessoas que residem onde inutilmente vai passar o comboio da MES?
Tenha juízo.
Os da outra senhora também falavam assim mas não eram tão ruins como vocês.

zeferino

josé mendonça disse...

A este último anónimo informo que o autor do blog mora num prédio que tem garagem própria, e daí o seu erro no que escreve.
Este ponto está desmontado.
Depois não deve ser morador em local em que passa o MST, porque se fosse, também estaria a protestar.
Quanto à passagem de carros, são os mesmos.A rua não foi desviada,as faixas de rodagem mantêm-se, e as pessoas que aqui passavam são também as mesmas, porque esse era o seu percurso. O MST neste capítulo não veio alterar nada.
Somente o que acontece é que os outros moradores que não têm garagens ficam sem o estacionamento que possuiam, vão ter que disputar o espaço com outros moradores dos prédios próximos,e daí poderem ser criados problemas (a D. Emília não cuidou de acautelar este problema)e ficam também com o trânsito mais próximo das suas portas de entrada, e janelas dos seus quartos,
porque as faixas de rodagem foram desviadas para serem ocupadas no centro do espaço existente pelo canal do MST.
Entendeu? Percebeu? Compreendeu?
Se quiser eu torno a explicar.
O anónimo fala porque não está dentro do problema, não vive nestas ruas da Ramalha,ou então é mais um apoiante cego da D. Emília.
Apoiantes cegos tem ela muitos. São aqueles que a seguem sem raciocinarem, que vão atrás do partido (não sou anti-partido, mas não sou cego)) sem terem capacidade de questionar o que é bom ou mau.
Penso que o anónimo, agora já ficou esclarecido.
Que tenha um bom dia.

Anónimo disse...

Não, José Mendonça, não fiquei esclarecido. Sob vários aspectos. Por isso, como se disponibilizou, vai ter que fazer o favor de me explicar outra vez.

Mas vamos por pontos. Pelo menos aqueles que ficaram "obscuros" no meu entendimento:

1. O autor do blog tem garagem própria. Folgo em sabê-lo. No entanto, sem perceber o que é que é "desmontado" por esse facto (só fiz perguntas, nada mais), resta-me uma dúvida maior: não me dirigi ao autor do blog, mas sim a MB (está logo à cabeça no meu comment). Sendo assim, a dúvida que me fica é esta: MB é o autor do blog? Se é o autor do blog, então confirma-se que o autor do blog anda por aqui sob várias identidades, como alguém já antes opinou. O que não é, convenhamos, nenhuma surpresa. E mais do que isso: o autor do blog também assina José Mendonça? E anónimo (um dos)? E outras cosias? Bom, o que fica "desmontado", provavelmente, é outra coisa. Mas adiante ...

2. Porque é que conclui que se eu fosse morador na zona em que passa o MST também protestaria? Conclusão apressadíssima, a sua, e esta vai mesmo ter que me explicar de novo. Os três pontos de interrogação que utiliza para me questionar verificam-se todos pela negativa, isto é, não entendi, não percebi e não compreendi.

3. "Quanto à passagem dos carros são os mesmos". Serão? E os utentes do MST? Sabe qual é o seu erro? A sua cegueira (sim, cego é você!)? É que parte do princípio que o MST não vai contribuir para reduzir, em termos gerais e mais ainda nos pontos por onde vai passar, para a redução da circução automóvel. Mas vai, vai ver que vai mesmo! Esta não precisa de me explicar de novo, porque eu já percebi muito bem. Você é dos tais que sem pópó ...

4.Fico a saber que os moradores da Lopes de Mendonça (desculpem, não todos, apenas alguns) têm um entendimento no mínimo "sui generis" do que é o espaço público. O estacionamento que existia (é interessante, mas você não se refere ao estacionamento abusivo em cima dos passeios que o autor do blog nos fez a todos o favor de demonstrar já repetidamente. Porque terá sido?) era "propriedade" dos moradores na zona. Agora vão ter que "disputá-lo". Portanto, o problema não é falta de estacionamento. É apenas falta de estacionamento ao pé de casa. Só falta aquela máxima: fosse o pópó "dobrável" e até para a cama ia ... De facto você tem razão: 30 ou 40 metros é muito metro ...

5. Quanto a seguir alguma coisa cegamente, estamos conversados. Você não me conhece, não sabe quem eu sou, não tem nenhuma legitimidade para tirar esse tipo de conclusões. Respeite as opiniões dos outros e será respeitado; se o não fizer, corre o risco de também não ser respeitado.

6. Em resumo, você quer armar-se em dono da verdade e do saber absoluto, e sai-lhe o tiro pela culatra. Vai ter que me explicar quase tudo de novo, e agora, se fizer o favor, de forma a que eu, de facto, o consiga compreender.

7. Entendeu? Percebeu? Compreendeu?

Anónimo disse...

Pessoal, então vocês ainda não perceberam que o problema do sr. (ou da Sra.) é sómente o facto de terem pópós?
Vocês têm pópós, estão feitos, pertencem à casta dos privilegiados deste país.

ex-cdu disse...

Este quer conversa e que todos lhe respondam.
Quem pensa ele que é?

Anónimo disse...

Ora aqui temos de novo o "ex ..."! O homem (ou mulher) que tendo perdido todas as suas referências, não consegue mesmo encontrar outras! Já cá faltava o seu avisado saber, sim senhor.

O engraçado é que este "ex..." aparece sempre que alguém pretende desviar a atenção das questões essenciais. E numa postura profundamente democrática, aparece a apelar a que me silenciem, quanto mais não seja não me respondendo. Isto é que é elevação democrática, sim senhor! O que para "ex..." não espanta ...

Ocorre-me de repente, na linha das dúvidas que referi no comentário de resposta ao José Mendonça, se este "ex ..." não será mais um "travesti" (no nick, apenas no nick ...) do autor do blog ... Será? Se assim for é apenas mais um, não é verdade?

Anónimo disse...

Ah, e agora para o José Mendonça,

Não se esqueça de mim. Você prometeu que me explicava de novo ...

MB disse...

Pois bem,

tendo em conta o estudo de ruído apresentado num dos Fóruns de "Participação", não me recordo do nome correcto do estudo, e que foi apresentado a quem lá estava a assistir, eu incluído, na Rua Lopes de Mnedonça, não só o ruído dentro das habitações seria maior, devido à circulaçao do metro, bem como haveria um acréscimo da transito na rua... Afinal não é bem isso que o senhor anda aqui a apregoar...

se os carros estacionados, me preocupavam? nao, nao me preocupavam... porque não estavam a circular a uma distância mínima da minha porta, e em que eu podia sair livremente da minha casa, quase sem correr muitos riscos de levar com um carro em cima. E não diga que isto é exagerar, porque várias vezes houve carros que entravam na rua em excesso de velocidade e se despistavam, batendo nos carros que lá estavam estacionados... se esses carros não estivessem lá, alguns desses carros teriam embatido nos prédios... E Sim, sei do que falo, porque o meu carro foi abalroado nestas condições mais do que uma vez... Numa dessas vezes foi projectado para o prédio, tendo ficado entalado entre o carro que o abalroou e o prédio.

Queria factos? aqui os tem, então!

E esta, hein?

Anónimo disse...

Evidentemente que não merece a pena responder a este "agitador de massas", obviamente ao serviço do Partido no poder na C.M.A...

Se ele tivesse a sua própria opinião(dele), já o Partido lhe teria feito o que fez a outros distintos militantes, o último dos quais a Drª Luísa Mesquita, e lá muito para "trazmente", o Dr. Vital Moreira...

Para se manter no "poleiro" tem de ter a opinião do "chefe" (da presidente da C.M.A.), caso contrário, rua...

Viva o "poder demo-crático" vigente em Almada. Viva!

Anónimo disse...

Factos, MB? Mas quais factos? Só faltava mesmo o seu destrambulhado comentário para justificar o comportamento abusivo de alguns proprietários de automóveis, que julgam (convictamente, sublinhe-se) que o espaço público é deles e que podem usá-lo como entendem, sobrepondo-se a todos os outros.

Você é quem o diz: automóveis em cima dos passeios, não senhor, não o incomodam nada. Imagine-se só porquê! Porque não circulavam a uma distância mínima da sua porta (3 metros é uma distância mínima?), e podia sair livremente da sua casa "quase sem correr muitos riscos" (é você quem escreve) de levar com um carro em cima.

Bom, bom, bom. Três metros não é suficiente para você sair de casa livremente. Aceita-se. Passará, por isso, a viver numa "prisão". Mas o mais interessante de tudo é a sua justificação para aceitar o abuso dos que estacionavam os carros em cima do passeio. Oh MB, santa paciência, essa dos carros estacionados em cima do passeio até ser um bem por causa dos que se despistam, isto é, servirem de "almofada" a esses despistados, convenhamos que não lembra ... ao diabo!

Tenho que factos, afinal? E esta, hein? (Desculpe lá a falta de originalidade ...)

mb disse...

Também falei no estudo de ruído...

releia lá o que escrevi e justifique lá essa entao! Já que se mostra tao conhecedor da verdade.

e sim, volto a frisar... os carros estacionados no passeio, eram um factor de protecção de quem passava na rua

Já agora, até dá vontade de perguntar... E que motivações são as suas?

Anónimo disse...

Mb,

Estudo de ruído? Você nem se lembra bem do nome ... como poderá lembrar-se bem do resto?

Pena que insista. Não deve ser muito bom para os objectivos do autor deste blog. Carros em cima dos passeios são um bem enquanto protecção para os peões? Olhe que você está a abalar ainda mais a credibilidade deste blog. Se é que lhe resta alguma ...

Pergunte, à vontade. Embora para essa táctica de tentar "virar o bico ao prego" já tenha dado noutros peditórios. Mas eu, ao contrário do autor do blog, tenho todo o prazer em responder-lhe (até porque as minhas motivações nunca estiveram ocultas desde o início da minha participação neste "diálogo").

As minhas motivações são, de facto, apenas uma: defender o Metro Sul do Tejo dos ataques miseráveis, mesquinhos, irresponsáveis e mentirosos - sobretudo isto, mentirosos - que o autor do blog aqui faz todos os dias. Porque são ataques soezes e injustos na sua essência, que só podem ser motivados por questões de natureza pessoal e mesquinha, de todas as formas inconfessáveis.

Este é, claramente, o meu objectivo. Tentar impedir que o que é maliciosamente afirmado relativamente a uma infraestrutura que eu considero um grande avanço para o Concelho de Almada, fique sem o contraponto do que eu entendo que essa infraestrutura nos trará de positivo a todos.

Pelos vistos incomoda. Paciência.

Ah, e se reparar, não preciso de insultar ninguém para atingir este meu objectivo. Já reparou nisso?

José Mendonça disse...

O primeiro anónimo está "a sentir-se molhado".
Ainda não sabe depois de tantas explicações, como diz?
Ou é pouco inteligente ou não consegue compreender o que se tem escrito.
O anónimo anda "há tanto tempo a pergutar e depois de tantas explicações e mais explicações", (palavras suas) e mesmo assim "com tantas explicações" ainda não percebeu?
O seu coeficiente de inteligência deve andar muito por baixo.
Sinceramente, aconselho-o a ler boas leituras e fazer um pouco de exercício mental pois costuma resultar.

Os documentos verdadeiros aqui expostos não lhe chegam? Ou os documentos são falsos?
É fácil comprová-los. É só uma questão de ler, olhar para eles sem sectarismo.
De facto com "tanta repetição ainda não compreendeu?
É estranho... Aconselho vivamente a consultar um médico. Está a perder neurónios, certamente...
Pela insistência e pela conversa, o anónimo deve ser mais um dos muitos agentes provocadores (desculpe se me enganei)da sua
Ama e Senhora.
É capaz de pertencer à agência de contra-informação instalada na Câmara.
E isso percebe-se, pelo aparecimento de vários anónimos que têm aparecido a dizer que são moradores das ruas J. Justino Lopes e Lopes de Mendonça, e que contestam o autor do blog. Não restam dúvidas das manobras porque agora enveredaram. A "coisa" percebe-se...

Tenha juízo e entenda a coerência do autor que não se tem cansado de defender os seus direitos e os dos restantes moradores sem deixar cair os braços.
Sou um morador da Ramalha e respeito o trabalho honesto do autor do blog, coisa que o anónimo não seria capaz de fazer se estivesse no lugar dele.

Aprenda com o que escrevi, porque não vou gastar mais tempo consigo. Preciso dele para ler e estudar, que é assim que se aprende.
Informo que só alimento polémicas quando são feitas com temas que requerem seriedade. Não é o seu caso, bem percebi.
E não respondo a provocações!
Passe bem.

mb disse...

mas pelos vistos você sabe então o nome do estudo... então vá lá consultá-lo e depois diga qualquer coisa.

Ja agora, eu alguma vez insultei aqui alguém?

Já que não aceita as opiniões de cada um chamando-lhes destrambelhadas, hà vários estudos que aqui estão apresentados em documentos oficiais e isso você não consegue desmentir, demonstrando que o trajecto mais viável não é de facto o que está a ser construído na Zona da Ramalha.

p.s: Eu não sou daqueles que são completamente anti-Metro, mas sim contra este traçado 6, inventado pela Presidente da CMA e pelo Eng.Marco aurélio, e também contra outros troços que o metro vai ter ao longo do seu percurso.

Acho-vos graça disse...

Ora aqui está mais um. Mais um agente de que o comentador anterior falou. Então chamar miserável, mesquinho e mentiroso, não é ofender?
Que falsa moral a sua. Todos nós já percebemos que vocês são.
Anónimo Mb das 5-10 horas, vocês não enganam ninguém.

MB disse...

e fui eu que chamei miserável, mesquinho e mentiroso???

veja lá bem que foi, se fizer favor

Acho-vos graça disse...

Caro Sr. que assina seu comentário com mb (eme minúsculo).
Quando me referi ao anónimo anterior, tive o cuidado de dizer que me estava a referir ao anónimo que tinha escrito por debaixo duas letras Mb ( eme MAIÚSCULO )como o Sr. poderá verificar. E ainda disse que era o anónimo das 5:10 horas.
Até porque era fácil verificar, que foi esse "cavalheiro" que ofendeu o autor do blog.
Acontece que quando eu estava escrevendo,em resposta ao dito, o Sr. publicou o seu comentário que se interpôs entre os dois, não podendo eu adivinhar tal facto.
Daí a confusão gerada da qual não tive culpa, conforme o Sr. verificará.
Se as pessoas, em vez de anónimo, pusessem ao menos um pseudónimo, já era possível não haver esta confusão.
De qualquer modo considerei o seu protesto, feito de modo educado e civilizado, o que não é normal em alguns dos comentarista.
Como tal seguem os meus cumprimentos com consideração.

mb disse...

Ok, esclarecido.

Cumprimentos também para si.

Anónimo disse...

Ao anónimo que diz"defender o Metro Sul do Tejo dos ataques miseráveis, mesquinhos, irresponsáveis e mentirosos ", diga lá ao pessoal, o que é que realmente o move.
Diga, não tenha vergonha.
Porque aquilo que o senhor (ou a sra.) considera, pode não ser para outros.
É assim que se faz numa sociedade democrática, não é?
Portanto diga-nos lá, o que o faz correr.

Anónimo disse...

Este último anónimo deve estar muito baralhado. O que me move você próprio reproduz: "defender o Metro Sul do Tejo dos ataques miseráveis, mesquinhos, irresponsáveis e mentirosos". Não acha suficiente? Uma nota, a este propósito, para que fique claro no espírito de um anónimo anterior: "miseráveis, mesquinhos, irresponsáveis e mentirosos" não é insulto nenhum! Classifico assim os ataques que têm sido feitos, não quem os tem feito!

Quanto às outras questões, está a ver o filme ao contrário. Não sou eu quem põe em causa a liberdade de opinião relativamente ao que quer que seja. É ao contrário, a minha liberdade de opinião é que tem sido, sistematicamente, posta em causa. Isto é, porque penso que é importante defender o Metro, numa posição dissonante do autor do blog, é que não tenho (segundo alguns) o direito de aqui o afirmar. Leia bem o que está para trás e perceberá isto mesmo. Eu respeito as opiniões diferentes das minhas, o que não me coíbe de dar a minha própria e entender que as outras estão erradas. Ou acha que eu devia concordar mesmo discordando?

Agora quem é "acusado" (não é acusação nenhuma, mas posta aqui nos termos em que é posta pode ser entendida como tal) de comunista, lacaio do poder, e outras coisas do tipo, sou eu. Por defender as minhas ideias, que são diferentes de outras. Está mesmo a ver mal o filme.

Anónimo disse...

Caro anónimo das 10:42 , o problema é assim, se eu discordar tudo bem é um direito, mas se forem os outros a discordar já é um abuso um ataque de "natureza mesquinha e inconfessável"?
Quem discorda, apresentou aqui as suas razões, apresentou provas (as quais não podem ser desmentidas ),disse de sua justiça em prol da sua qualidade de vida.
Quem está de acordo com o projecto, não precisa de fazer mais nada, porque o poder é assim, está dito e feito.
Portanto não estou a ver porque têm que se ver "coisas ocultas".
As coisas são como são, uns terão a razão, outros não, e não é por serem poder que a razão lhes assiste sempre, não é?
E em conclusão quando fiz a mesma pergunta, foi para dizer que a verdade nunca é só uma, e mal de nós quando assim se pensa, e a história já se encarregou de dar as devidas lições.
E conclui.

Anónimo disse...

E eu também concluo já. Mas não sem antes lhe dizer que penso, com convicção, que discordar não pode ser sinónimo de mentir. A natureza mesquinha e inconfessável não é da discordância, é da mentira.

Já agora, chamar mentirosos como o autor do blog faz, é discordar? Ele discordou, e muito. E foi-lhe dada essa possibilidade. Mas a sua opinião não vingou. Isso dá-lhe o direito de publicar em grandes parangonas os insultos que tem publicado? E você acredita que o faz por ter documentos irrefutáveis nas mãos? Não, é mentira, tem parcelas (as que lhe interessa) de documentos. Porque será que nunca o autor do blog enveredou por caminhos judiciais para impor a sua razão? Já se questionou? Se calhar não. Mas eu também sei, à partida, porquê: é que a justiça também não funciona! Já aqui foi esctrito por ele ou por alguém por ele ...

Por isso concluo mesmo! Discordem do que quiserem, não apenas são livres como considero isso absolutamente salutar. Mas por favor, não mintam! Sejam sérios.

E para relembrar os mais esquecidos, retomo a minha pergunta tantas vezes aqui formulada e nunca respondida: se vai ficar com o espaço urbano da zona onde habitam altamente qualificado, se vai melhorar as condições ambientais em que vive, se vai passar a dispor de um meio de transporte amigo das pessoas e do ambiente, o que é que move, efectivamente, o autor deste blog? É esta a pergunta, simples, que faço. Simples e objectiva.

E concluí mesmo!

Anónimo disse...

mas altamente qualificado como??? esta é que ainda não explicou!

Acho-lhe graça disse...

Anónimo das 3:31.
Quem é que lhe disse que vamos ficar com a zona altamente qualificada?
Foi a sua dona?
Então é ficar mais qualificado com o mesmo ruído dos carros que já tinhamos e agora mais o ruído do MST?
É zona mais qualificada com menos espaços nos passeios e carros mais próximos das nossas portas?
Pense bem no que disse e tenha juízo!

Anónimo disse...

Caro anónimo das 3:31,

Lá voltamos à mesma.
Diz que "a sua opinião não vingou", e como tal não tem o direito de se defender e protestar?
Como sabe, para contestar o poder é preciso , às vezes, mais do que razão. Não é?
E agora, mesmo para concluir, o que o move a si, para se sentir o dono da verdade? A verdade é só uma? A SUA verdade?
Claro que não!