quarta-feira, abril 04, 2007

Despacho nº 06.07/05 SET de 22JULHO 2005

DESPACHO DA SECRETÁRIA DE ESTADO DOS TRANSPORTES QUE FIXOU, EM 2005, O NOVO TRAÇADO DO MST NO TRIÂNGULO DA RAMALHA, CORRESPONDENDO ÀS EXIGÊNCIAS DA DELIBERAÇÃO DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL de 10 de MARÇO de 2004. Face ao significativo número de novos visitantes que este blog vai tendo e porque estes, provavelmente não tiveram conhecimento do teor do Despacho, achámos oportuno inseri-lo de novo. (para ler, favor clique com o botão esquerdo do rato sobre o doc.)

4 comentários:

Repórter disse...

O despacho é bem claro.

Anónimo disse...

Estimados visitantes que desde os Estados Unidos, Reino Unido, Itália, China, Brasil e muitos outros países vêm acompanhando a nossa justa luta, divulguem-na e deixem-nos a vossa opinião comentando a qualidade da nossa democracia e dos nossos democratas, ou melhor, "demo" cratas...
Dizemos bem, "demo"cratas, pois os políticos da nossa terra, como verdadeiros "demos" à solta, querem à viva força que os moradores da rua Lopes de Mendonça passem a viver num verdadeiro inferno.
Ajudem-nos a fugir de tamanha condenação em vida!
Será que não podemos defender os nossos direitos e exigir que os nossos políticos, do poder central e do poder local, cumpram os despachos que estes exigiram e aqueles exararam?
Será que o despacho exarado na informação aqui publicada não tem qualquer efeito?
Onde está o Ministério Público para indagar das eventuais razões que parecem indiciar o seu não cumprimento?
Tal incumprimento, a confirmar-se, não configurará um crime público, cabendo ao Ministério Público, em nome de todos os cidadãos lesados, fazer a indispensável investigação tendo em vista a reposição da legalidade em nome de todos os cidadãos afectados?
Os moradores da Rua (Henrique) Lopes de Mendonça (autor da letra da Portuguesa -HINO NACIONAL- são pessoas de bem que sempre pautaram as suas intervenções, ontem como hoje, de uma forma crítica e construtiva.
Porque teimam os políticos autárquicos em ignorar os contributos de tais cidadãos para a resolução de tão grande problema? Terão medo de ser avaliados e questionados nas suas (in)competências?
Os vindouros hão-de julgá-los de forma implacável...

antónio disse...

O meu total apoio e aplauso às palavras deste anónimo. Saibamos cada um de nós, pela nossa participação interventiva e activa sermos dignos da nossa condição humana e de cidadãos construtores de uma sociedade onde os seres humanos sejam respeitados por aqueles, que nós com o nosso voto, pela participação democrática nos actos eleitorais elegemos.
Pela legalidade democrática e contra os jogos de interesses instalados e cultivados nos diversos degraus do poder político!

Anónimo disse...

HAJA VERGONHA E DECÊNCIA!

Todo o apoio aos cidadãos vitimas de interesses obscuros!

´É quase um processo "kafkiano"