quinta-feira, setembro 13, 2007

O "Triângulo da Ramalha" na Provedoria de Justiça ( II )

Ofício dirigido pelo Provedor de Justiça à Presidente da Câmara Municipal de Almada, sem resposta até 10 de Setembro ou comhecida até à data, se entretanto a presidente respondeu depois do dia 10.
Na folha 2 alinea d), onde se lê 11.1.2003, dever-se-á ler 11.12.2003
Fls 1 e 2
Fls 3 e 4
Perguntamos: -Quem não está interessado em esclarecer o assunto e porquê? -Quem revela não ter razão neste assunto? -Quem quer esconder o quê e porquê?
-Quem é que é intelectualmente desonesto?
-Quem sonega informação?

8 comentários:

Pedro, O Moleiro disse...

Boas,

Estou a pensar comprar casa nessa zona.
A meu ver, o facto de ficar perto das linhas do metro só representam vantagens.

Cumprimentos,
Almadense desde Sempre

NoExit disse...

Caro "pedro, o moleiro" ter uma paragem de metro junto da sua casa é uma vantagem!! ter uma linha EM CIMA da sua casa é completamente diferente.
Obviamente que o MST tem que passar num qualquer lugar mas neste caso concreto havia (e há) alternativa que penaliza muito menos os moradores da zona.

NoExit disse...

Aconselho a visita e leitura atenta a um post publicado no blog do PS Almada.

http://psalmada.blogs.sapo.pt/

Alguém que me esclareça qual a posição do Partido Socialista nesta questão.
Como já referi, foi o Partido Socialista que enviou uma carta a todos os moradores da Rua Lopes de Mendonça felicitando-os pela não passagem do MST na sua rua.

Anónimo disse...

Consta que os portugueses vão todos comprar casa ao longo das linhas do TGV para deixarem mais depressa o país e até porque é mais barato por Km do que o metro de almada.
Qto ao metro de almada e devido ao comentário deste pedro moleiro, não será que isto foi estratégia da câmara de Almada-cdu, arruinar a cidade para os preços de casas descerem, os almadenses venderem-nas e virem depois os militantes pcp comprar para votarem na maria Emília e no partido?

Ponto Verde disse...

Não se pode construir ou destruir uma cidade contra a vontade dos seus cidadãos.

A cidade é feita por, com, e para as pessoas, escolhem-se as melhores opções para as pessoas (e/ou as de menor custo - social, ambiental, economico).

Pelo que o que se está a fazer em Almada é digno de uma ditadura ou de um lugar onde reina o despotismo e quem sabe, a corrupção.

farto de demagogia disse...

Não vou comprar casa. Não vou e pronto!
Optei por comprar ... o próprio MST.

residente disse...

ponto verde
Os senhores mandantes e a senhora mandante em Almada, entendem que são proprietários não só de Almada, mas também dos seus habitantes.
É o despotismo e são as práticas ditatoriais à solta, com a passividade de muita gente das oposições e do prório cidadão que se inibe de execer e defender seus direitos.

residente disse...

farto de demagogia
porque quer comprar uma coisa que já deu milhões de prejuízo aos contribuintes, continua a dar muito mais e é mais caro que o TGV.
Com o mesmo dinheiro comprará muitos mais Kms de TGV!
Essa sua opção é mesmo demagogia ou será para "cair nas graças" da dona Emília?