terça-feira, maio 08, 2007

O MST e Cidades Europeias

Antuérpia(Bélgica)
Gent (Bélgica)
(clique nas imagens para aumentar)
A Inauguração do Mini Futuro
Depois de o pó ter assentado, talvez seja pertinente recuarmos uns dias e reflectirmos sobre a inauguração do mini percurso do comboio MST entre dois apeadeiros, Corroios e Centro Sul, na Cova da Piedade, ao custo de 25 milhões de euros/Km. Todos, políticos e autarcas enaltecem virtudes a este meio de transporte colectivo: Não temos dúvidas que as tem, todavia não acreditamos que essas virtudes, se venham a impor aqui, face ao insensato traçado e inserção das linhas que a Srª Presidente da CMA exigiu fosse ao longo e no meio do principal e único eixo viário da Cidade de Almada. Enquanto que em cidades por esta Europa adiante, o metro de superfície, tram ou eléctrico rápido, está segura e devidamente enquadrado na malha urbana, não tem inestéticos postes no meio das vias, serve os cidadãos, não desqualifica nem agride as cidades, em Almada, o traçado e inserção escolhidos não serve a população, nem é mais valia para a cidade. Outro aspecto que ressalta da cerimónia inaugural, é a ausência de qualquer referência por parte de políticos e representantes da concessionária aos atrasos provocados pela CMA ao desenvolvimento da obra, após o Governo ter decidido fixar o traçado definitivo do MST no Triângulo da Ramalha, por Despacho da Secretária de Estado dos Transportes em 22JUL2005 e que a CMA não aceitou, apesar de o ter exigido ao Governo, traduzindo-se num agravamento substancial dos custos, acrescidos das consequentes indemnizações compensatórias à Concessionária. Por que será que políticos e autarcas fogem de falar deste Despacho tal qual o “diabo foge da cruz”?
Que “Tratado de Conforto” para as partes envolvidas no negócio, foi assinado entre quem e com quem, em prejuízo dos residentes?
Veja-se por que os comboios andam a circular vazios e sem utilidade: "À Lusa, o presidente da Metro Transportes do Sul, José Luís Brandão, disse que o principal objectivo da entrada em funcionamento deste troço, com apenas sete paragens, justifica-se para “sensibilizar os futuros utentes, peões e veículos” e para “esclarecer a população sobre os preços praticados e compra de bilhetes”. José Luís Brandão esclareceu que a concessionária “nunca teve o intuito de rentabilizar a exploração deste troço”, que serve poucas pessoas e que não tem, neste momento “grande utilidade”, visto que não alcança ainda os dois interfaces principais da futura rede: Pragal (ligação com os comboios da Fertagus) e Cacilhas (terminal dos barcos da Transtejo)". (in Jornal regional.com Porto) Descobriu-se agora que o "atraso" da população almadense é devido à falta de “Sensibilizadores” e “Esclarecedores”! Justifica-se estar a circular o MST em 4 Km se a concessionária “nunca teve o intuito de rentabilizar a exploração deste troço” que não tem neste momento "grande utilidade" ?

39 comentários:

Anónimo disse...

A Presidente da CMA deve achar bonito ver o "Progresso" (como ela intitula o MST) a passar, sem ninguém lá dentro... É mais um capricho!

rouxinol disse...

Não é ela que paga o estrago do seu bolso.Tanto faz vazio ou cheio, para a presidente isso é igual ao futuro, ou com quem diz de outro modo igual ao litro.

Anónimo disse...

Estou a ver a originalidade de almada a fazer um espaço canal para os almadenses admirarem o MST a passar imponente nas suas sete quintas e vazio.

Anónimo disse...

Se outros exemplos não existissem neste mesmo blog, o presente "post" e os "comments" já incluídos, seriam mais que suficientes para demonstrar a má fé dos seus autores. Então o "Triângulo da Ramalha" é o centro do mundo, certo? Foi por causa desse tão famoso triângulo que as obras do Metro se atrasaram, não é verdade. E mais, por responsabilidade da Câmara Municipal de Almada.

Fazer estas afirmações, desta forma e como se de verdades absolutas se tratasse, é grave. Porque não demonstra ignorância, que é sempre tendencialmente desculpável. Demonstra apenas uma real intenção de mentir, deturpar e falsear a história, com evidentes intenções maldosas e inconfessáveis.

Felizmente a história do MST há-de ser feita um dia e não será por estes mentirosos que não têm o mínimo escrúpulo em falsear a realidade das coisas em nome dos seus interesses pessoais, meramente egoístas.

residente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
residente disse...

Caro último anónimo,....tem todo o direito de salvaguardar o seu nome, mas para dizer tantas "verdades" e ter tantas "certezas" do que diz, não se entende o anonimato.
De todo em todo agredece-se o seu depoimento embora em nada afecte aquilo que aqui revelamos através dos documentos exibidos.
Quanto à história do MST, a verdadeira e as jogadas que estão por baixo da mesa, também achamos que um dia será escrita e conhecida. Nós com os documentos exibidos e que ninguém até hoje, autarcas e governo revelaram ou contestaram, estamos a dar um grande contributo para a sua divulgação e elementos para a sua escrita.
Vamos prosseguir com mais documentos.

( A remoção anterior corresponde a este Post)
Cumprimentos

moisés disse...

De vez em quando aparece alguém, qual arauto da princesa, a "encher a guerra de moscas".
E, como dizem os alemães, onde há moscas há merda.
Oh senhor segundo anónimo, insista na displicência e exiga o seu crédito junto de quem lhe encomendou o sermão.
Saúde para si.

Anónimo disse...

Ainda hei-de ouvir dizer que os da Lopes Mendonça são inimigos de Almada.
É o costume.
Dividir para reinar.

residente disse...

Nós moradores, já ouvimos isso e até muito mais nos "Fórum" MST : "Está para ali a falar e se calhar nem é de Almada".Isto foi dito por uma deputada municipal cdu.
Ora a verdade é que nem a Presidente da Câmara nem os vereadores eram de Almada.
Veja~se por onde esta gente, em desespero, envereda !
Comportam-se e mal como proprietários desta terra.
Não têm vergonha, nem se sabem respeitar.

Anónimo disse...

Não tendo o troço utilidade, porque se está a gastar tanto dinheiro?
E terá no futuro?
Os comboios andam vazios e quando vêm passageiros, contam-se pelos dedos de uma só mão.

Anónimo disse...

A RAMALHA NÃO VALE UM CARALHO!! É SÓ CIGANOS LÁ!!! POR CAUSA DELES ATRASOU O METRO!! FILHOS DA PUTAAAA!!!!!!!

Anónimo disse...

Tem tino meu caro anónimo (o último)...
Não precisas de te esforçar intelectualmente para escreveres tamanhas "alarvidades".
Tens algo contra os ciganos outra qualquer etnia honesta e trabalhadora?
Como cidadão deves pedir desculpa aos muitos cidadãos que ofendeste.
Se o não fizeres não és digno do chão que pisas...

abcd disse...

este atum ramirez voltou... também fez um post igual noutro blog... coitado n deve perceber que assim ninguem o ouve...
e é mesmo o atum eu vi o mail dele no outro blog

Ponto Verde disse...

Asim como está, isto não é um Metro, é "uma espécie de mostruário" .

Anónimo disse...

Pelo que vemos e pelas declarações do responsável da concessionária só colocaram o comboio a deslizar nos carris para os almadenses irem às aulas, ficarem esclarecidos e sensibilizados.
Está justificado o gasto, mas será preciso tanto?

Anónimo disse...

Caro residente,
Não entendo a sua preocupação. O Sr. acaso não anda por aqui também anónimo? E não está, também, convencido que só diz "verdades" e só tem "certezas". Só que as suas "verdades" e as suas "certezas", como já aqui disse antes, não o são. São apenas má fé e baixa política. A coberto do rigoroso anonimato idêntico ao que você quis criticar em mim.

Não entendo a sua preocupação com este aspecto. Porque o que estranho mesmo é que você, ainda que anonimamente, não se preocupe com a matéria "verdadeira" que este blog publica. Não se preocupou em responder-me ao que eu disse no meu "comment" anterior. Não se preocupou com o facto deste blog assumir - mentrirosamente, aliás - que o MST está atrasado pelas razões que este "post" afirma. Não se preocupa com o facto deste blog ser o veículo da mentira, da mistificação e da má fé política contra a Câmara Municipal.

Não, com isto não se preocupa. Só se preocupa com o facto de eu aqui afirmar estas verdades - e caro residente, são mesmo verdades! - mantendo o meu anonimato.

Já agora apenas um palpite: será que o país está todo virado do avesso? Pergunto isto porque o tom em que os alegados documentos que vêm aqui sendo apresentados são por si comentados nos longos textos que os acompanham (nos "posts"), esse tom deixa entender que, de facto, você está profundamente convencido de que a razão e a verdade absolutas estão consigo, homem. Todos são incapazes e incompetentes. Até um conjunto de Deputados da Nação que, na Assembleia da República, não conseguiram entender a sua bondade e a sua razão. Não se acha ridículo?

Finalmente, o comentário às declarações do Presidente do MST da parte final (a vermelho!) deste "post": revelam, uma vez mais, a mentira que grassa por este sítio. O problema não é, de facto, o celebérrimo "Triângulo da Ramalha". Esse é o motivo - aliás espúrio - para se atacar politicamente a Câmara Municipal de Almada. Porque o que está mesmo em causa é o MST no seu conjunto, é o investimento num meio de transporte moderno, amigo do ambiente, rápido e confortável, que constituirá um eneorme benefício para todos os almadenses (e não só), realidade que naturalmente, para alguns, é uma derrota muito grande. Lembro-me do que há alguns anos se disse do Parque da Paz. Sabe, caro residente, é que tenho memória. Os mesmos arautos da desgraça, velhos do restelo na pior acepção do termo, também se "atiraram" desta mesma maneira ao Parque da Paz.

É uma forma de fazer política, sim senhor, típica de alguns. Mas diz o povo, e com toda a razão (e felizmente) que "vozes de burro não chegam aos céus"!

residente disse...

Para último anónimo:
Intervenho quando acho oportuno.

Vejo que não é bom observador.Será que ainda não viu que no Estudo, encomendado pelo Estado a pedido da CMA e da Assembleia Municipal de Almada, à Ferbritas e AMB VERITAS a Solução 5 sendo a melhor, a Secretária de Estado dos Transportes despachou de acordo com eese estudo.
Se não reconhece isto, eu nada posso fazer.

Se a SET tivesse escolhido a da CMA, esta não teria criado os problemas que criou.

Vamos continuar com Calma e Serenidade a divulgar documentos e as nossas razões.

Anónimo disse...

Residente,
E o que é que o que você diz significa? Pelos vistos, quem não é bom observador não sou eu.

O que eu tenho dito é que você insiste num ponto de partida falso. Não foi o facto do chamado "Triângulo da Ramalha" ter conhecido as vicissitudes que conheceu, que atrasou as obras do MST, meu caro senhor. Não foi! Mas você acha que sim, e escreve (o que é mais grave) isso mesmo.

E já agora, diga lá, preto no branco, quais foram os problemas que a Câmara Municipal de Almada criou relativamente à decisão da SET? Diga lá, no concreto, que problemas foram esses.

residente disse...

Exigiu uma decisão ao Governo, porque dizia que ao Governo competia decidir (só não disse é que o Governo teria de decidir de acordo com as conveniências da presidente). " A partir daqui o problema será resolvido". Isto já foi referido neste blog.
O Governo decidiu e a Srª Presidente entendeu que a sua solução é que era a escolha certa.
PONTO FINAL.

Anónimo disse...

Ah, bem! Se foram esses os magnos problemas criados pela CM Almada, então concordo consigo: PONTO FINAL!

henrique (engº) disse...

Pronto, senhor anónimo. Agora, sim. Sei quem é quem.
Quem fala assim é trabalhador da Câmara, e do partido. O que só por si não tem mal nenhum. Não me interprete mal.
Mas o que aqui escreveu com a data de 09 de Maio, parece transcrito de uma conversa que ouvir, ao almoço de hoje, num restaurante habitualmente frequentado por altas personalidades camarárias e do PCP.
Que têm o direito de almoçar onde querem. Como nós. Mas achei estranha esta ... chamemos-lhe coincidência.
Cumprimentos

Goodiva disse...

Como é que um gajo chega a presidente do MST dizendo as enormidades que ele disse.

Gasta-se 100 milhões de euros só para armar ao pingarelho, cada Km de metro custa mais que o Km do TGV, não fossemos todos a pagar e este metro nuca tinha saído do papel.

Anónimo disse...

A propósito de custos vejamos:

O então Encarregado de Missão do MST, Eng.º Espírito Santo, através do Ofício n.º 3158/2005-GMST, de 1 de Julho, no seu parágrafo 3) Custos, escreveu:

“Pela análise preliminar de custos, cuja conclusão se anexa, e tendo por base os preços contratuais, a solução 5 Rua de Alvalade, apresenta-se com a mais favorável na medida em que é a solução com menor comprimento de espaço canal a intervir, cerca de 475 m.”

O Jornal Notícias de Almada, edição de 4 de Maio de 2007, na informação geral escreve:

“De acordo com Mário Lino, o troço que ora entrou em funcionamento orçou em 95 milhões de euros…”

E, mais à frente no mesmo artigo escreve:

“Na ocasião, o titular da pasta dos transportes, esclareceu ainda que a rede do MST em Almada tem uma extensão de 13,5 km, …”

Face a tão concreta e objectiva informação o humilde contribuinte pede aos visitantes deste Blog, e são muitos, para resolverem o seguinte problema:

Se 13,5 km de espaço canal ( linha dupla) custaram 95.000.000 Euros, quanto poupa o Estado aos contribuintes se assumir, de uma vez por todas, o seu dever de dono da obra e MANDAR executar a solução 5) Rua de Alvalade da qual resulta a construção de menos 475 metros de espaço canal?

Não é complicado, caros leitores, os dados do problema estão correctos pois foram facultados por dois Engenheiros (o último dos quais engenheiro civil inscrito na ORDEM, o primeiro não sabemos, não disse nada publicamente…).

Ainda se recordam como se resolve este problema?
Trata-se da resolução de uma regra de três simples…
Vá lá façam um esforço… merece a pena.

A solução é fácil, façam lá comigo, não custa nada (basta ter a quarta classe antiga…):

Se 13,5 km custaram 95.000.000 de euros, 0,475 km custam X.

Então

X = (0,475 x 95.000.000) / 13,5 =

3.342.593 EUROS

Para podermos usufruir desta significativa poupança, apenas se pede aos contribuintes e ao ESTADO que ponham a CMA na ORDEM…

Senhores autarcas, tenham dó do contribuinte, aprendam a fazer contas e não insistam em soluções bacocas que NUNCA poderão nem saberão justificar…

Anónimo disse...

Henrique (engº),

Mas qual é a sua preocupação afinal? Saber quem sou ou discutir o MST? Afinal tem aqui sido dito que a Câmara Municipal, o partido (não sei que partido, porque de facto nunca nenhum foi referido explicitamente) e mais não sei o quem nem o quê, só sabem perseguir, denegrir, etc. Afinal, henrique (engº), a sua preocupação em vangloriar-se em afirmar que sabe quem sou, e depois dizer que sou (barbaridade!) aquilo que diz, apenas revela que quem tem preocupações persecutórias são outros ...

Anónimo disse...

Já agora, Henrique (engº), ainda bem que há mais quem pense como eu. Já sabia que muitos pensam como eu. Você confirma. E ainda bem, também, que quem pensa como eu o afirma publicamente sem medo nem receio. E não me preocupa rigorosamente nada o que você pensa ou deixa de pensar sobre mim. Como nada me importa saber o que quer que seja sobre si.

henrique (engº) disse...

Ao anónimo
A minha preocupação? Não tenho preocupações desse género. Ao contrário do senhor. Já parece incomodado por eu dizer que o conheço, o que é verdade.
Mas esse facto só seria um bem geral se resolvesse o real problema do MST e de quem por ele e por teimosia sem antecedentes vai sofrer na pele.
Você é dos que tem algum fetiche contra os moradores do apelidado triângulo da Ramalha?
Ou daqueles que já começaram a divertir-se com o sofrimento dos que avenidas fora vão sentir o que é vontade de deixar Almada?
Acredito que a sua má vontade não chega a esse ponto. Mas, no melhor pano cai a nódoa. E aí...
Senhor anónimo, pode considerar-se convidado para dia 30 de Junho.
Fique atento. Certo?

Anónimo disse...

A persporrência e a vaidade não têm limites, pelos vistos, Henrique (engº)! Então conhece-me, é? Óptimo, fico preocupadíssimo com esse facto! Já não vou dormir hoje, nem nos próximos ... 51 dias (até 30 de Junho). A propósito, convida-me exactamente para quê a 30 de Junho?

Mas agora a sério, qual é o problema real do MST? Sabe o que acho? Quando se dizem determinadas coisas, devem dizer-se por inteiro. Por metáforas podemos entender-nos, mas acredite que é muito mais difícil. Por isso, insisto: qual é o real problema do MST? E de que sofrimento e de quem é que você fala? Deixar Almada? Quem? Você? Por causa do MST?

Olhe, se é você que vai deixar Almada por causa do MST, então lamento, porque de certeza absoluta que irá tomar uma decisão da qual se arrependerá!

Mais a sério ainda. Ainda não o li relativamente aos malefícios do MST. A mim, já me leu, seguramente, sobre os benefícios. Por isso, deixe-se lá de apologeticamente aqui afirmar que me conhece (não conhece, isso garanto!), e diga lá o que tem contra o MST. Isso é que seria importante, caro Henrique (engº).

Já agora, o (engº) - assim mesmo, entre parêntesis - é para quê? Especialista? Sabedor? Melhor que os outros? Treta? Só curiosidade, entende?

Anónimo disse...

Anónimo dos custos,

Você está a falar a sério ou a brincar connosco? Então é uma regra de três simples que resolve o problema?

Então resolva lá este poblema que lhe coloco:

1 km de autoestrada custa 1.000.000 de euros. Quanto custa 0,5 km de autoestrada?

Fácil, não é? Resposta óbvia, custa 500.000 euros! Que parvo que eu sou, então não se vê logo? Nem sequer seria necessário aplicar a regra do três simples. Bastava ... dividir por dois!

Só que não é assim! Os tais 0,5 km de autoestrada podem custar muito mais que o milhão de euros do km completo. Ou menos, depende.

Estou a fazer-me entender, ou é preciso fazer um boneco?

Tretas, anónimo dos custos. Tretas e damagogia é aquilo que você vem para aqui fazer. A coberto de alegada sabedoria ...

zé cacilheiro disse...

sr. último Anónimo certamente já ouviu falar governantes, técnicos e jornalistas muitas vezes referirem-se ao custo/Km de auto estrada.
Ora eu entendo que esse custo é logicamente um valor médio.
O Sr. Ministro quando diz que aquele troço ficou em 95 milhões de euros quer dizer que isso foi o custo de x Kms e é lógico que se dividirmos custo pelo número de Kms teremos sempre um valor médio e não outro.
Sua sapiência não adianta nada ao que disse o ministro.

residente disse...

Para anónimo... que fez a contabilidade da despesa do MST no troço recentemente inaugurado, parece-nos que as contas não estão correctas. Serão ligeiramente superiores, uma vez que os 95 milhões são despesa de somente 5,861 Km, daquele troço e não dos 13,500Km total desta rede urbana do comboio regional que em 2032 se prevê chegue à Costa de Caparica se ainda existir Costa da Caparica...e antes à Moita.
Por outro lado onde escreve “Eng. Espirito Santo” será Dr. Espirito Santo e onde diz “os dados estão correctos pois foram facultados por dois Engenheiros”, não estará bem , foi um Dr. e um Engenheiro que facultaram os dados.
Apesar destes desencontros as contas são um ponto de partida para ajuizarmos como o nosso dinheiro está sendo desbaratado ou querem desbaratar, quando há uma solução mais económica e melhor, escolhida pelo Governo, a exigência da CMA, para o Triângulo da Ramalha.
Como a Presidente da Câmara está habituada a queimar dinheiro dos almadenses em fogos de artifício, também pretende aqui estoirar para capricho seu, dinheiro dos contribuintes.
Só o alerta dos cidadãos poderá impedir estes gastos supérfluos e indecentes.

henrique (engº) disse...

Sr anónimo que teima em fugir à realidade.
Agora não tenho tempo. Vou para um local, de trabalho, onde nos voltaremos a ver. O que não é significativo.
Tenha um bom dia.
Ah! Sobre o permenor, mesmo menor: o engº, repáre, coloco-o depois do nome, como deve ser. Se fosse por vaidade, era estranho. Mas é assim que se deve assinar. Qualquer licenciado o deve fazer.
O que acho de negativo sobre o TST? Não propriamente sobre o dito mas sobre o traçado que efectivamente incomoda e que teimosamente foi, e é, adoptado.
Agora tenho mesmo que ir. O (meu) trabalho espera-me. E vou de transporte público, para dar o exemplo...

Anónimo disse...

Caro Henrique (engº),

Esclarecido! Julguei, por momentos, que a questão fosse outra. Mas se você diz que qualquer licenciado deve fazer o que você faz, então quem sou eu para o contrariar...

Quanto à matéria de facto e importante - errou o nome mas não tem qualquer importância, não é TST mas MST -, penso que o sr. julga que me conhece por aquilo que aqui escrevi relativamente ao comentário (a vermelho!) sobre as declarações do Presidente do MST. Pelo menos, foi na sequência desse meu "comment" que o sr. apareceu neste debate, e logo dizendo "pronto, agora já sei quem é" e mais outras coisas que para o caso não interessam.

Pois bem, a ter como verdadeira a minha sensação, pelas suas palavras e reacção, presumo que você não concorda comigo na análise que faço a esse aspecto. E isto porque ouviu alguém ter a mesma opinião, alguém que depreendo, também, não é da sua simpatia política, e que por isso você contesta.

Portanto, sou levado a concluir que você não foi totalmente honesto na sua última intervenção. De facto, o que o incomoda é mesmo o MST no seu conjunto, o facto desta infra-estrutura se constituir como um enorme contributo para a melhoria da qualidade de vida e do bem estar dos Almadenses em geral, o que, repito, compreendo que possa constiutir uma grande fonte de incomodidade (política, é óbvio) para alguns. O seu traçado - e particularmente uma pequena parte do seu traçado - é apenas o motivo que encontra para atacar o MST.

Também já aqui escrevi que me lembro perfeitamente dos ataques feitos ao Parque da Paz há uns anos atrás, caro Henrioque (engº). Estes ao MST não diferem muito desses ... no tom e no objectivo.

Já agora, só para seu consumo: não almoço nunca em restaurantes (excepto em dias de festa). Sou daqueles que tem o grande privilégio de poder almoçar todos os dias em casa.

residente disse...

Continuaremos com CALMA e SERENIDADE a divulgar documentos e informações sobre esta trapalhada designada MST, para a qual se justifica que esteja a circular sem passageiros porque se estvisse parado a despesa era maior.
Ora descubriram agora uma maneira de diminuir a despesa pública ou o défice deste país : Inaugurem mais linhas do MST por todo o território.
Assim se vai gastando menos, pondo os comboios a circular.
E se pensassem em não arranjar fontes de despesa inúteis, não seria melhor?
Sabemos que este blog e a informação disponibilizada incomoda muita gente, mas o que é certo é que este metro inútil incomoda muito mais :
INCOMODA o PAÍS INTEIRO.

Anónimo disse...

Afinal em que ficamos? É ou não afinal o MST, uma infra-estrutura de transporte moderna, eficaz, amiga do ambiente, confortável e com tantos outros aspectos positivos que incomoda muita gente?

É ou não o facto da luta da Câmara Municipal de Almada, que vem de há mais de 15 anos, e das populações do concelho - não, certamente, toda a população, é óbvio, mas a grande, esmagadora maioria! - ter dado resultados e estarmos todos, de facto, "a um metro do futuro" que incomoda tanto uns poucos "velhos do restelo"?

Afinal o residente dá a resposta a estas questões todas: de facto, não é o tão afamado "Triângulo da Ramalha" o pomo da vossa discórdia! Já aqui o escrevi, esse é o motivo - aliás espúrio - para outros ataques mais amplos à Câmara Municipal. O residente, que por acaso é o autor do blog, confessa-o: "esta trapalhada designada MST" são palavras dele!

"Este metro inútil" são igualmente palavras do residente!

Anónimo disse...

O simples facto de NÃO haver quem o use, tal como foi inaugurado, não quer dizer nada ?
E quais serão os motivos inconfessáveis que nunca se concretizam e são sempre trazidos à baila quando os "novos da Soeiro" se sentem ameaçados pela opinião pública ?
Sabem que por exemplo no Barreiro há urbanizações que estão paradas porque o prometido metro nunca mais lá chega?
Não tenho pena do urbanizador que tem outras fontes de rendimento graças aos amigalhaços CDU ( e não só, diga-se, em abono da verdade....) que tem na câmara mas sim dos que não encontram trabalho na sua terra e são obrigados a "prostituir-se" em Espanha.
Realmente o assunto deve ser tão grave que até merece honras de comentador residente...
Força Moradores!

NoExit disse...

Quando vejo defender obra como a do MST tenho a certeza que a casa destes "senhores" não fica junto à linha do ELÉCTRICO DE SUPERFÍCIE.
Respeitem as pessoas!!!
Se não existissem alternativas ainda se compreendia tamanha teimosia...mas apontada a solução 5...

Anónimo disse...

Efectivamente um comboio ou eléctrico, é menos poluente que os autumóveis e os autocarros que circulam na cidade, mas o problema não reside aí. Toda a gente percebe o que é melhor. O que realmente custa ver são os atropelos a tudo o que disseram antes.
Mas o problema não ficará por aí, quando o comboio ou el´rctrico começar a funcionar no espaço canal em Almada, aí sim, é que vamos ver que se copiou...mas mal, mas já será tarde.
Entretanto lá vamos nós de comboio ou eléctrico a caminho do Barreiro, que deve ser uma linha duma rentabilidade capaz de fazer chorar as pedras da calçada.
Boa noite a todos

Anónimo disse...

Voltando aos custos (médios) de construção e depois de nos terem sido facultados num comentário deste Blog dados mais correctos, quer sobre real comprimento do troço agora inaugurado (5.861 metros), quer sobre o grau académico do então Encarregado de Missão, Doutor e não Engenheiro como erradamente indicámos, entendemos que será importante refazer o nosso comentário anterior sobre este mesmo assunto.

Porque o anónimo que fez apenas uma conta de dividir para calcular o custo de 500 metros de uma auto-estrada foi muito simplista no seu raciocínio, agradecemos que todos consultem o BONECO que consta neste BLOG que corresponde à Solução 5.

O QUE ESTÁ EM CAUSA, MEU CARO ANÓNIMO (da auto-estrada), É O FACTO DE, pura e simplesmente, NÃO SER NECESSÁRIA A CONSTRUÇÃO DA LINHA 3 PELAS RUAS DE LOPES DE MENDONÇA E DE JOSÉ JUSTINO LOPES, ATENDENDO A QUE OS COMBOIOS DESTA LINHA PODEM (devem) UTILIZAR O LINHA 2 QUE JÁ ESTÁ EM CONSTRUÇÃO NA RUA DE ALVALADE.

ENTENDEU AGORA OU SERÁ PRECISO UM “BONECO”?

A CONSTRUÇÃO DESNECESSÁRIA, REPETIMOS DESNECESSÁRIA, DA LINHA 3 NAQUELAS RUAS SÓ SERVIRÁ PARA “ARREDONDAR” A FACTURAÇÃO ANUAL DA OU DAS EMPRESAS INTERVENIENTES NA CONSTRUÇÃO DA MESMA.

(Será que desta DESNECESSÁRIA construção também resultarão algumas “contrapartidas” para o município, tal como aconteceu com as construções do túnel do Centro Sul, pelo Forum Almada, e do Centro de Dia da Cova da Piedade pelo posto de abastecimento de combustíveis da Av. Bento Gonçalves, este último mesmo contra todas as regras de segurança atendendo à distância (nula) da Escola Anselmo de Andrade?...)

SE A CONSTRUÇÃO DA LINHA 3 PELAS RUAS DE LOPES DE MENDONÇA E DE JOSÉ JUSTINO LOPES NÃO FOSSE DESNECESSÁRIA, ENTÃO A SECRETÁRIA DE ESTADO “ENGANOU-SE” (OU FOI ENGANADA…) QUANDO EXAROU UM DESPACHO (Disponível neste Blog), ADOPTANDO A SOLUÇÃO 5...

Então aqui fica o comentário com os dados do problema devidamente corrigidos, com as consequências óbvias no resultado…

Muito mais graves…

O então Encarregado de Missão do MST, Dr. Espírito Santo, através do Ofício n.º 3158/2005-GMST, de 1 de Julho, no seu parágrafo 3) Custos, escreveu:

“Pela análise preliminar de custos, cuja conclusão se anexa, e tendo por base os preços contratuais, a solução 5 Rua de Alvalade, apresenta-se como a mais favorável na medida em que é a solução com menor comprimento de espaço canal a intervir, cerca de 475 m.”

O Jornal Notícias de Almada, edição de 4 de Maio de 2007, na informação geral escreve:

“De acordo com Mário Lino, o troço que ora entrou em funcionamento orçou em 95 milhões de euros…”

E, mais à frente no mesmo artigo escreve:

“Na ocasião, o titular da pasta dos transportes, esclareceu ainda que a rede do MST em Almada tem uma extensão de 13,5 km, ...”

Pese embora o facto de o custo indicado dizer respeito unicamente a 5,861 km ...

Face a tão concreta e objectiva informação o humilde contribuinte pede aos visitantes deste Blog, e são muitos, para resolverem o seguinte problema:

Se 5,861 km de espaço canal (linha dupla) custaram 95.000.000 Euros, quanto poupa o Estado aos contribuintes se assumir, de uma vez por todas, o seu dever de dono da obra e MANDAR executar a Solução 5) Rua de Alvalade da qual resulta a construção de menos 475 metros de espaço canal?

Não é complicado, caros leitores, os dados do problema estão correctos pois foram facultados por dois altos responsáveis do Estado, o último dos quais Engenheiro Civil, inscrito na ORDEM, conforme declarou publicamente noutra ocasião ...

Ainda se recordam como se resolve este problema?
Trata-se da resolução de uma regra de três simples…
Vá lá, façam um esforço...
merece a pena.

A solução é fácil, façam lá comigo, não custa nada (basta ter a quarta classe antiga...):

Se 5,861 km custaram 95.000.000 de euros, 0,475 km custam X.

Então X = (0,475 x 95.000.000) / 5,861 = 7.293.977 EUROS

Para podermos usufruir desta poupança (CUSTO MÉDIO), apenas se pede aos contribuintes e ao ESTADO que ponham a CMA na ORDEM...

Senhores autarcas, tenham dó do contribuinte, aprendam a fazer contas e não insistam em soluções bacocas que NUNCA poderão nem saberão justificar...

Todos juntos havemos de ser capazes de colocar esta gente na ORDEM, pelo simples facto de termos razão.

Caro visitante deste blog, se lhe for possível, aproveite o fim de semana para visitar a "obra prima" e para tirar as suas próprias conclusões.

Boa noite.

henrique (engº) disse...

Caro anónimo, alguns pormenores que penso sejam elucidativos.
De facto queria eu dizer MST e não TST. Peço desculpa pelo lapso.
Não tenho opções políticas.
Não considero o MST como um bem necessário, muito menos da forma como foi pensado e, ainda pior, como está a ser executado.
Quanto ao local onde o caríssimo estava a almoçar, não é significativo, até porque cada um almoça onde quer e pode.
Tire as ilações que julgar convenientes e usufrua de um bom fim de semana.