quinta-feira, maio 10, 2007

Estudo das Alternativas ao Triângulo da Ramalha VII

- Metro Sul do Tejo (MST) -
Avaliação dos Critérios Ambientais, Ruído, Património, Componente Social e Paisagem (continuação de VI) SUMÁRIO deste Post: Arco Ribeirinho Almada – Montijo
O mapa complementar da Fig. 3.7 da pág 31 não está visivel por dificiência da fotocópia.
Relativamente ao Valor Paisagístico desta unidade de Paisagem note-se a relevância das alíneas a) e b) (pág. 32), no contexto da área estudada.
(clique na imagem para aumentar e ler)
Pág. 31 ; 32

6 comentários:

rouxinol disse...

O MST a circular na linha recentemente inaugurada corporiza a imagem da montanha que pariu um rato.
Circula vazio de pessoas, tal como algumas cabeças mal pensantes.
Chega nas horas de ponta, de 5/5 min. às estações terminal sem passageiros ou com 1, 2, 3, 4 ou 5, sendo nestes casos 2 crianças curiosas pelo comboio.
Consta que já ocorreu um acidente com automóvel na estrada do Laranjeiro e outro com peão lá para Corroios. Será verdade?
É lamentável que se ande a desbaratar dinheiro que tanta falta faz nos hospitais, nas escolas, na assistência social e aos mais idosos e carenciados.
O Estado, nós, vamos pagar o défice e os vencimentos dos administradores e restante pessoal.
Haverá tão grande injustiça social como o desbaratar dinheiro do erário público devido a caprichos ou recalcamentos atávicos de autarcas ancorados a conceitos empedrenidos e desejos lunáticos?

Anónimo disse...

Os rouxinóis são passarinhos simpáticos que cantam muito bem.

Este rouxinol, no entanto, parece ter mais queda para andar de rabinho tremido e mãozinha na buzina do pópó... não sei, digo eu.

Imagine-se só: o MST é "um capricho ou recalcamento atávico de autarcas ancorados a conceitos empdernidos e desejos lunáticos". Ganda tirada, meu! Até dói só de juntar as palavras "caras" todas ... Tenha dó, rouxinol!

Já agora, rouxinol, por acaso sabe que o MST é uma concessão do Estado a um consórcio privado? Sabe? Olhe que não parece ...

moisés disse...

Os anónimos, a maioria, andam preocupados com a forma, menos do que o conteúdo.
MST, concessão do Estado a um consórcio privado (MTS).
Acertei?
Mereço um prémio.
Rouxinol, se você tivesse estudado a lição, o anónimo não o chumbava.
O que eu deliro com estes pormenores.

Anónimo disse...

Pormenores, Moisés? Pormenores???

Então explique-me lá quando é que o Estado paga vencimentos dos administradores e restante pessoal de um consórcio privado. Explique onde é que isso acontece.

Mas mais do que isso, acha que este aspecto é um mero "pormenor de forma" do texto do rouxinol? Pois olhe, não me parece assim tanto. Só se o disse por ignorância, mas não quero acreditar nisso.

Não, moisés, não é forma, é mesmo conteúdo. Daquele que comigo não passa, por mais que queira enganar-se e enganar os outros com essa história da preocupação com a forma e não com o conteúdo.

É verdade, não me devo iludir. Esta reacção ao que moisés escreveu é pura forma ... e pormenor!

moisés disse...

Entenda como quiser, anónimo.
Não fui nomeado defensor do reino, sei o que sei e é muito, mas tenho também muito que fazer.
Desejo-lhe um bom fim de semana.
Se puder ser útil, diga.

Anónimo disse...

Eu digo-lhe quando é que o Estado paga os Vencimentos dos Admininstradores Privados!
É ao fazer contratos como o do MST em que o os privados não arriscam nada! A concessionária tem um minimo garantido e pago pelo Estado. Ou melhor, por todos nós que pagamos impostos