sábado, novembro 17, 2007

E Nada de Novo Trouxe

No passado dia 15 de Novembro de 2007 o Sr. Deputado Luís Rodrigues, do Partido Social Democrata, na sequência do pedido de reunião dirigido à Exmª Senhora Presidente da CMA, após a visita que efectuou às obras do MST no Triângulo da Ramalha, em 16 de Julho de 2007 quando constatou não estar a ser cumprido o Despacho da Senhora Secretária de Estado dos Transportes que alterava o traçado no local, reuniu finalmente, não com a Srª Presidente da CMA mas com o Vereador José Gonçalves.
Da reunião pedida com a Srª Secretária de Estado dos Transportes ainda não havia fumo branco para a sua realização.
De acordo com as informações que nos foram prestadas não pelo Sr. Deputado, mas por outro elemento do PSD, a sua solicitação, a Câmara Municipal de Almada informou em síntese:
- que ainda não sabe como vão ficar as coisas em definitivo nas Ruas José Justino Lopes e Lopes de Mendonça, porque a CMA ainda não recebeu as plantas,(?)
-que o Despacho da Srª Secretária de Estado dos Transportes não está efectivamente a ser cumprido,
-que a Solução que está a ser implantada é a desejada pela concessionária por permitir maior viabilidade económica na exploração do designado metro.
Os moradores sabem e o PSD local também, que os terrenos já foram disponibilizados na zona, mediante a apresentação das plantas, conforme decisão da Assembleia Municipal de final de Setembro 2007.
Os moradores já sabiam que o Despacho da Srª Secretária de Estado dos Transportes não estava a ser cumprido. Está à vista de todos!
Os moradores sabem que a solução que está a ser implantada resultou de um "parecer municipal em 2006.01.26, onde se propoõe a inserção da linha Cacilhas /Universidade pela Rua Lopes de Mendonça e da linha Corroios/Pragal pela Rua de Alvalade." In pág. 169 da resposta remetida em sede de contraditório pela Presidente da Câmara Municipal de Almada ao Sr. Juiz Conselheiro Responsável pela Área de Controle do SPE-Tribunal de Contas em 26 de Setembro de 2006, quando da Auditoria ao Metro Sul do Tejo - Relatório nº 46/06-2ª Secção.
Este parecer foi feito pela CMA,depois do Despacho 06.07/05 SET de 22JUL2005 da Secretária de Estado dos Transportes que fixou o traçado do MST no Triângulo da Ramalha a pedido da Assembleia Municipal de Almada em 10 de Março de 2004.
Dizer agora que a solução que está a ser implantada é da conveniência da Concessionária só , é fazer passar a Câmara e a sua Presidente por inocentes e quererem "comer" os residentes por anjinhos ou ingénuos na matéria.
Parece-nos pois, que Câmara Municipal e a sua Presidente são os responsáveis por aquilo que está a ser feito em prejuízo dos moradores e das acessibilidades locais.
Os moradores ficaram a saber, que os seus direitos à qualidade de vida no local de residência são subalternizados em favor das ambições mesquinhas da presidente da Câmara Municipal de Almada e dos interesses económicos da Concessionária, mesmo sabendo que esta nunca terá prejuízo na exploração, pois por força do contrato ruinoso entre o Estado e a Concessionária, o Governo terá sempre de indemnizar esta dos défices de exploração.
"Joint Venture" CMA-Concessionária ? e cidadãos-residentes para a fogueira?
É o tal enorme prato de lentilhas de que falámos noutro post, servido com punhos de renda à concessionária pelos intervenientes nas decisões/contrato e o espirito de vingança da presidente da CMA sobre os residentes, por terem ousado enfrentá-la, a vir ao de cima nesta democracia representativa em decomposição.

5 comentários:

Anónimo disse...

Nada melhor que isto.Esperavam outra coisa da conversa de amigos ou que o deputado vos dizia alguma novidade?

Anónimo disse...

Não estamos todos habituados a que o vereador Sr. José Gonçalves fale, fale e não diga nada.
Só quem nunca foi a um forum s/ o MST não sabe isso.

José Mendonça disse...

"O vereador não sabe como vão ficar as coisas na R. Justino Lopes.
Então porque estão a ser implantados os carris na mesma rua?
Será que os vão retirar posteriormente?
E os custos de uma e outra operações?

"Que o despacho da Srª Secretária do Estado dos Transportes não está a ser cumprido".
Isso sabemos nós. Então porque não se cumpre?
Será que a decisão dum membro do Governo é para ser desrespeitada por um vulgar presidente de câmara?
Será que um presidente de câmara está acima dum Secretário de Estado?

"A solução que está a ser implantada é a desejada pela concessionária por permitir maior viabilidade económica na exploração do MST "
Pudera!...Sem dúvida que deve ser. Isso também sabemos... Mas os seus interesses têm que estar acima dos interesses dos moradores?
O metro fez-se para servir os interesses de quem? Se é para servir os interesses dos habitantes, como tanto se propala, a concessionária terá que se submeter às condições destes. Não são os habitantes que têm de beneficiar nos lucros a concessionária em prejuízo deles próprios.
Ao construir o troço de linha de 400 metros pelas ruas Justino Lopes e Lopes de Mendonça, troço esse dispensável como foi provado, é estar a meter no bolso do empreiteiro 1 milhão e 200 mil euros.
Ora esse ganho ha-de trazer contrapartidas, como é óbvio. E como se tem visto nas várias autarquias do país.
Eu não quero crer que isso aconteça, mas...
Isto não nos cheira bem... E deve ter um nome que não digo.
Esperemos porque estamos cá para vêr...

Anónimo disse...

Na cidade de Almada as coisas não podem ser assim e no Triângulo da Ramalha muito menos...

Sim,

PORQUE HÁ OUTRO CAMINHO PARA O PAÍS....

A VIDA NÃO TEM QUE SER ASSIM.

A POLÍTICA NÃO TEM QUE SER ASSIM.

NÃO ESTAMOS CONDENADOS A ESTAS SUPOSTAS "INEVITABILIDADES" QUE OS GOVERNOS E O PODER ECONÓMICO NOS QUEREM IMPINGIR.

É MESMO POSSÍVEL CONSTRUIR UM FUTURO MELHOR.

É PRECISO LEVANTAR A CABEÇA E IR À LUTA.

Digo eu um pobre cidadão "ignorante" de Almada, residente na Ramalha, não a partir do meu pouco saber mas "parafraseando" as doutas palavras de Sua Exa. o Sr. Deputado pelo Distrito de Setúbal Dr. Bruno Dias (ver Jornal Meia Hora, edição de 20 de Novembro), que, não ganhando o "tacho" nas urnas, o ficou a lamber pela "renovação" ocorrida no partido, substituindo a Dra. Odete Santos...

Sim, porque no partido (no PÊCÊPÊ...), não exerce um qualquer mandato quem ganha as eleições (e o Sr. Deputado perdeu-as, NÃO AS GANHOU...), mas quem é "democraticamente" indigitado, tal qual o presidente ou demais elementos do conselho de administração de uma Sociedade Anónima (CAPITALISTA)...

Desta vez a sorte foi madrasta para o Sr. Deputado, pois, com mais este mandato de deputado seria mais um dos muitos reformados políticos APENAS com dois mandatos, e com trinta e poucos aninhos de idade...

Assim é que é! O povinho aguenta tudo... É um género de monarquia dentro da democracia, o "poder" democrático vai passando de pais para filhos (não desanime homem, não está sozinho na sucessão do "poder", há mais...)...

Mas voltemos ao texto do Sr. Deputado.

Afinal parece que, para além de estamos condenados ao poder económico, como diz o Sr. deputado, também estamos condenados ao poder político, neste caso ao poder autárquico...

Se assim não fosse, o povo da Ramalha, que V. Exa. tão bem "defende" (qual papagaio dos tempos modernos, ou Frei Tomás no antigamente), não seria castigado pelos interesses de um qualquer poder econonómico, no caso em apreço o do Concessionário, de MÃOS DADAS COM O PODER AUTÁRQUICO...

Como pode um camarada de partido do DEPUTADO (NÃO) ELEITO pelo Distrito de Setúbal, o Vice-Presidente da CMA, Dr. José Gonçalves, afirmar que "não sabe" como vão ficar as coisas na Rua Justino Lopes?

Ou está cego, ou é um perfeito ignorante na matéria (situação que se aceita pela sua formação académica), ou faz dos cidadãos de Almada em geral e dos residentes na Ramalha em particular uns completos parvos, sendo que esta última situação não é aceitável quando se diz que é possível CONSTRUIR UM UM FUTURO MELHOR...

Pergunta novamente o cidadão ignorante:

Um futuro melhor para quem?

Para os cidadãos confinados dentro de um Triângulo Ferroviário, ou para as empresas que, pelo facto de encontrarem "negociadores fáceis" (queremos acreditar que só pela sua ignorânçia na matéria...), aproveitam da proposta dos moradores todas as vantagens (traçado pela Rua de Alvalade), dando-se ao luxo de sobrefacturam 1.200.000.00 Euros, por uma obra perfeitamente desnecessária e lesiva dos mais elementares direitos dos cidadãos residentes nestas artérias ...

Senhor Deputado, Senhores autarcas, é tempo de LEVANTAREM A CABEÇA E IREM À LUTA, na defesa dos verdadeiros interesses dos poucos que vos elegeram e dos muitos que deveriam representar e que tanto espezinham...

Não o fazendo, isto não nos cheira bem... E deve ter um nome que o anónimo anterior não quiz dizer mas pensou... o que é bastante mais grave, gravíssimo.

Anónimo disse...

Parabens aos activistas anti-Triangulo da Ramalha da Rua Lopes de Mendonça.
Depois de anos de inspirada produção epistular com termos mais ou menos insultuosos aos autarcas e demais responsáveis pelo projecto. O que temos ?
O traçado alterado de facto.... ....Menos na Rua Lopes de Mendonça....
Um estaleiro desordenado e sem respeito pelos moradores.....
Que se vai prolongar por não se sabe quantos meses mais...
E finalmente o electrico da Maria Emilia a passar junto ás nossas portas...
Obrigado pelo trabalho desenvolvido....
O sucesso avalia-se pelos resultados.
Recordo que avisei em devido tempo ( de viva voz ) que esta estratégia era errada....caros vizinhos.
Infelizmente eu estava certo.
E agora ? .......

António Viana 6 - 4 º Esq.