quinta-feira, setembro 11, 2008

Escuridão - A Requalificação Urbana Nocturna da CMA

Na Ramalha, a intencional e óptima requalificação urbana com que a presidente da Câmara premiou os moradores sortudos, que têm um comboio regional no local onde antes existiam duas ruas, tem proporcionado, para além de cenas muito caricatas com as obras, a oportunidade deixar locais na mais completa escuridão à noite durante muitos dias.
A Praceta Cidade de Ostrava (Ostrava é cidade geminada com Almada por iniciativa desta Câmara Municipal de Almada) está sem iluminação HÁ MESES!
Foto nocturna ampliada da Praceta Cidade de Ostrava, conseguida sem "flash"
As três categorias de fiscais da obra (fiscais do Estado, fiscais da Câmara e fiscais da Concessionária) ainda não repararam na situação.
Como poderão eles, fiscais, verem que não há iluminação, se está tudo escuro à noite?
Ontem à noite os moradores toparam mais uma cena escura desta obra:
Um carro descarregava betão, para construção de um muro/trincheira às escuras na Rua Cidade de Ostrava (também actualmente na escuridão) e um operário iluminava com uma pequena lanterna portátil o local onde o betão caía.
Como se trabalhava para além do horário normal, a despesa foi maior? ou será que os trabalhadores, dos quais só se descortinavam vultos no escuro, não ganham horas extraordinárias?
É a habitual sangria de dinheiros públicos à descarada, a que se assiste nas obras do comboio regional Cacilhas-Moita, denominado metro sul do tejo.

10 comentários:

Anónimo disse...

A obra tem fiscais?
NÃO SABIA!

Anónimo disse...

Obras à CMA ...
Ninguém fiscaliza ...
E andam os municipes a pagar impostos para esta cambada de incompetentes, fiscais, politicos e autarcas ...

Morador ex RLM

zacarias disse...

Leiam em
http://pauloedsonc.blogspot.com/

Alexandrina Gil disse...

O mesmo se verifica na Rua José Justino Lopes, onde a única iluminação disponivel a partir do nº 13 é a da fachada do prédio (paga pelo condominio).

Juntando a isto:

* a inexistencia de caixotes do lixo (ao fim de 8 meses foi colocado um frente ao café
mas ainda não está em utilização),
* a falta de lugares de estacionamento (passámos de cerca de 70 lugares para 10 !!!!!),
* o facto de estarmos presentemente com o transito cortado na rua, que actualmente é de sentido único, sem que tenha sido colocada alguma sinalização, obrigando os condutores a improvisar passagem por cima da linha onde supostamente esta não é segura (segundo informações distribuídas pela concessionária á população, existem comboios em teste, não que já se tenha visto algum...),
* a terem colocado canteiros que são verdadeiras armadilhas para peões e condutores uma vez que não estão concluidos nem tapados com as respectivas grades (associado á falta de iluminação!!!),
* a abrirem crateras sem que haja preocupação em voltar a fechar, deixando os passeios verdadeiramente intransitaveis para quem, como eu, necessita de circular com carrinho de bébé (ex. frente ao clube Recreativo da Ramalha dos dois lados da rua ou na Rua Cidade de Ostrava por trás de capela também nos dois sentidos), obrigando-nos a circular na faixa de rodagem,
*o facto dos condutores dos comboios simpaticamente gostarem de se cumprimentar, buzinando quando se cruzam, independentemente de estarem numa zona residencial, e a qualquer hora do dia ou da noite...
(sim porque nós já convivemos com esta realidade nas traseiras),
*o "jogo do empurra" entre a Camara Municipal e a Concessionária sempre que se apresenta uma reclamação,
*o constante pó...

Lamento se fui muito extensa, mas infelizmente exemplos da falta de respeito com que temos sido tratados é o que não falta...

residente disse...

Alexandrina Gil
Não foi nada extensa na exposição.
Disse o que se passa na sua ex-rua mandada destruír pela presidente da Câmara e da real falta de respeito que esta autarquia tem pelos cidadãos e seus direitos de residentes.

residente disse...

anónimo da 1:14 PM 12 Set.

Está à vista de todos que fiscalização não existe, não quer ver ou trabalha para proventos próprios.

residente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
residente disse...

anónimo 9:30 AM 12 Set
Nos "papéis" dizem que há fiscalização, mas o negócio provavelmente é não fiscalizar, porque talvez seja mais rentável o trabalho da obra.

Anónimo disse...

Pois, Alexandrina! E se resolver passar na Av. Cidade de Ostrava, do lado da Capela da Ramalha, com o carrinho do seu bébé, vai ter de ir para a facha de rodagem, porque o passeio, estreito, tem um cadeeiro de iluminação publica bem no centro...
Tudo isto a favor da mobilidade...

Anónimo disse...

A propósito de lugares de estacionamento...

Sabem que para um determinado tipo de apartamento, desde há uns anos a esta parte, a legislação impõe uma determinda quantidade de estacionamentos DENTRO DO IMÓVEL, constituíndo o conjunto uma única fracção?

Que fez(faz) a CMA?

Ao longo do tempo impôs a construção dos ditos estacionamentos mas, há sempre um mas, obrigou a que estes, na constituição da propriedade horizontal do imóvel, fossem considerados como fracções autónomas...

Quais os resultados?

Para o proprietário do apartamento:

Por lei tinha direito ao estacionamento, se o quiz, teve de o comprar em separado...
Pagou duas escrituras, dois IMT, e, durante a vida inteira, vai pagar dois IMI (para não falar de taxas de água, de saneamento, de luz, etc....).

Para a CMA:

Não cumprindo a lei de forma deliberada (por interesse):

Cobrou e cobra as taxas anteriores, engordando assim "AS BOAS CONTAS" de que tanto se "orgulha" e fala...

Ao coitado do Zé Povinho (ALMADENSE), como bom "ignorante", só lhe resta pagar, pagar, pagar (e não tossir):

Em tempo:
Como as ditas garagens, como fracções autónomas, foram logo (ou posteriormente) vendidas ou ocupadas para outras actividades (rent a car, por exemplo, etc, etc)...
A CMA concorda, sempre vêm mais uns trocados para ajudarem a consolidar as "boas contas"...

Almadense, sofre p´ra caramba...