segunda-feira, fevereiro 11, 2008

A Teimosia da Presidente da CMA

Hoje pelas 18 horas esta máquina "cilindro" efectuando trabalhos de assentamento e batimento por vibração no terreno esventrado naquilo que foi a Rua Lopes de Mendonça, fez os prédios vibrar, causando danos a alguns moradores.
Um dos moradores dirigiu-se ao encarregado da obra, que mandou parar esses trabalhos de vibração.
Alguns moradores que aquela hora já se encontravam em casa, assustados sairam à rua em protesto. Os moradores da Rua Lopes de Mendonça estão a ser vítimas da teimosia e da atitude insensata da presidente da Câmara Municipal de Almada, raiando a irracionalidade, ao contrariar a solução aprovada pelo Governo e impôr as duas ferrovias da linha 3 nesta rua, quando a solução escolhida era mais económica, menos nefasta para os moradores e de menor impacte ambiental.
Porque têm os moradores das ruas José Justino Lopes e Lopes de Mendonça de ser vítimas da vingança de uma pessoa que não sabe respeitar nem a democracia, nem os almadenses, nem os compromissos que assumiu publicamente - a presidente da Câmara Municipal de Almada?
Os moradores têm direito a ser respeitados no seu bem estar, na sua qualidade de vida e na segurança de suas habitações.
A presidente da Câmara com esta atitude está a criar condições para a danificação do património habitacional dos cidadãos e alguém vai ter de ser responsabilizado pelos eventuais danos causados nos edifìcios
Isto é um ultraje aos direitos de cada um e de todos.
O que se está a passar é uma vergonha.

5 comentários:

Anónimo disse...

Aqui está um verdadeiro "teste" à resistência e solidez do património edificado em Almada...

Quem sabe se com este tipo de "teste", metodologia de consolidação do espaço canal por violenta vibração, não teremos nos próximos dias um enorme monte de entulho no lugar onde hoje temos o degradado património municipal, a Capela de São João da Ramalha, recentemente alienado para os Empreendimentos do Padre Ricardo Gameiro, S. A. (Só para Alguns...) ?

Para evitar uma qualquer derrocada a qualquer momento a dita Capela, há já uns anos foi "cintada". Recordam-se? A cinta está bem à vista...

Quanto aos danos causados nos edifícios pelas violentas vibrações, que se lixe... é um problema que caberá aos seus proprietários resolver, pois como proprietários não passam de uns quaisquer "lacaios do capital"...

Tenham cuidado senhores autarcas, porque tudo o que está em pé pode cair...

Tal como vai provavelmente acontecer ao "poder instalado" em Almada... Vai ficar verdadeiramente "estatelado" nas próximas eleições autárquicas...

Não haverá quem os salve. Acreditem... O povo não dorme...

Ou porque não pode, com o ruído do metro, ou porque não esquece as malfeitorias que a actual presidente da C.M.A. e a sua equipa de "acólitos" lhes vem fazendo ao longo do tempo...

Senhores autarcas, vão em paz gozar as vossas chorudas reformas.

Os moradores das ruas espoliadas, porque trabalham, hão-de continuar a garantir os descontos suficientes para assegurarem os vossos "justos e inalienáveis direitos" conseguidos ao fim de apenas dois árduos mandatos de quatro anos...

Anónimo disse...

Os residentes no Triângulo da Ramalha, não estão contra o metro. Nunca estiveram.
Estão é contra o traçado que a Maria Emília impôs, fazendo a vontade, não dos munícipes que a elegeram, mas do Concessionário que a tratou, não como uma presidente de câmara, mas como um agrario trataria qualquer feitor ou manageiro da sua herdade no Alentejo do antigamente.
Exactamente assim, uma presidente de câmara a bajular e a servir os mais altos interesses da sociedade capitalista...
Assim não. Isto não é uma democracia.
Os mais elementares interesses e direitos dos cidadãos foram e estão a ser espezinhados em benefício dos interesses do capital e das multinacionais que o suportam...
Será preciso dizer os nomes das empresas, nacionais e multinacionais, às quais a presidente da CMA vêm prestando vassalagem?
Assim não...
O que estão a fazer é crime...

residente disse...

o anónimo anterior deixa aqui um alerta relativamente à Capela da Ramalha, propriedade da CMA há mais de duas décadas mas que a presidente da Cãmara nunca se dignou mandar recuperar.
Gasta dinheiro em festas, anúncios na TV chamando visitantes para ver a Almada miserável, como aconteceu com os milhares gastos recentemente com o Carnaval de vassalagem à "rainha", mas não foi capaz de recuperar a Capela. Esteve provavelmente à espera que caísse para depois alienar possivelmente o terreno para mais betão.
A população foi alertando para o estado da Capela e "sua alteza"ofereceu-a à organização social do Padre Ricardo da paróquia da Cova da Piedade.
Possivelmente nunca a recuperou por ser um lugar de culto religioso e por a religião ser "o ópio do povo", mas quando lhe convém procura os votos dos católicos. É uma santa aliança, que muitos católicos e leigos nunca entenderam.
Perfeita e interesseira simbiose?
Agora com a trepidação do cilindro, talvez o seu desejo de ver a capela ruir se concretize e diga que a estrutura já estava muito degradada.
Perguntamos quem é o (a) responsável por isso se tal acontecer?
Quem indemniza o povo almadense?
Porque gente que ocupou a CMA menospreza irreponsavelmente o património de Almada?

Moradora disse...

Por momentos pensei que se tratava de um tremor de terra. A sério que pensei.
Mas logo fui à janela e vi que o tremor era afinal um cilindro (!!!). Como é possível aquela máquina fazer tanto estrago???

Anónimo disse...

Esses gajos não têm respeito por niguém.