quarta-feira, janeiro 30, 2008

O CAOS INSTALA-SE

A palhaçada da ridícula decisão da Presidente da Câmara de Almada de brindar a cidade com um inútil comboio ao longo do seu principal e único eixo viário, está a alastrar e a prejudicar cada vez mais a população.
O caos vai-se instalando em crescendo dia para dia na Av. Bento Gonçalves, com o TGV (Transporte Geralmente Vazio) a cortar a avenida, agora complementado com as obras em curso com maior intensidade nesta artéria - só com uma faixa de rodagem em cada sentido a partir do viaduto e até à estação de serviço - e o corte ao trânsito na Rua Lopes de Mendonça, para instalar a linha 3, por vontade expressa da Srª dona Emilia em vingança sobre os moradores, que ousaram apresentar uma proposta alternativa que poupava aos contribuintes 1.200.000 euros, de menores consequências ambientais e menos prejudicial aos residentes.
Junto ao Centro Sul, não só pintaram o chão de quadrícula amarela para proteger o comboiozinho dos carros, como também já têm "muletas" (agentes da PSP) a auxiliar o TGV de Almada.
As duas fotos seguintes revelam que algo não está bem na maneira como isto foi concebido, projectado e implantado:
clique sobre as fotos para aumentar
Aqui vemos o TGV de Almada, invadindo a faixa de circulação auto com carros pela frente, que já lá estavam, devido ao sinal verde aberto para as viaturas ( foto de 29JAN2008).
Na Rua Lopes de Mendonça é a desorganização total com as obras a agredirem os moradores pelas restrições que lhes impõem na mobilidade e acessibilidades, dificultando acessos a garagens e prédios, colocando os automóveis a circular colados aos edifícios, invadindo a privacidade e segurança de moradores.
Hoje 30 de Janeiro começaram a vir ao de cima parte das fragilidades e inutilidade deste projecto MST, quando constantemente os trabalhadores faziam e desfaziam corredores de circulação para as viaturas auto.
A "inventada" faixa de rodagem que se vê na foto seguinte, quatro horas depois já deixava de ser "faixa de rodagem", para ser ocupada com blocos de cimento e vedação e o passeio do outro lado da rua foi vedado com grades, impedindo o acesso às garagens.
Um morador danificou a sua viatura em obstáculos criados pelas obras e houve reacção de alguns residentes junto dos trabalhadores, até que apareceu um suposto coordenador/responsável de obra, pelo que pouco tempo depois as grades foram de lá retiradas.
Nas traseiras dos prédios números impares, a praceta de acesso às garagens (foto seguinte) foi aberta e transformmada em via com dois sentido, prejudicando os moradores por aumento de ruído, mormente pela passagem de veículos pesados, aumenta a poluição e suja a roupa nos estendais. O autoritarismo e a arrogância municipal desceram à rua em prejuízo dos almadenses e dos residentes locais para nos impor, numa rua sem condições para tal, um comboio a que chamam Metro Sul do Tejo, cujo custo de construção de via por Km é 25,037 milhões de euros (VINTE e CINCO MILHÔES E TRINTA E SETE MIL EUROS) ou seja mais de cinco milhões de contos! Almada não precisava deste TGV , O METROMILHÕES ! Quem fez esta escolha de certo não vive Almada.

7 comentários:

Anónimo disse...

E tudo isto em nome de um melhor ambiente e mobilidade.

Anónimo disse...

O actual Governo tomou a decisão solicitado pela Cãmara e Assembleia Municipal do Sr. José Maia de alterar o traçado na Ramalha.
A Presidente não aceitou e o Sr. Maia fez de conta que nada sabia.
Tudo isto atrasou o reinício das obras para prevalecer a vontade de Emília Neto de Sousa apoaiada pelo camarada Presidente da Assembleia.
Porque o Governo, no exercício das suas competências, não responsabiliza a Câmara Municipal pelo atraso dos trabalhos, por não cumprir a sua decisão, de dono da obra, em alterar o traçado?

MB disse...

E o assalto à nossa rua já começou com o alto patrocínio da D.Emília...

A R. Lopes de Mendonça está a saque e os moradores que se... lixem!

Anónimo disse...

Neste País onde estão:

1) O tribunal de Contas?

2) O Tribunal Administrativo?

Não funcionam mesmo...

Temos um País onde só há justiça para os poderosos e ricos...

Os moradores só servem para pagar impostos, impostos que por sua vez servem para alimentarem os organismos que os deveriam defender nos seus mais elementares direitos e os desprezam...

Tem razão o Bastonário da Ordem dos Advogados, Dr. Luís Marinho...

Será que ele, entre os muitos milhares de visitantes deste blog, também está inteirado dos muitos e variados crimes (de colarinho branco) que vêm sendo praticados em Almada?

Terão os Almadenses de fazer manifestações como em Anadia (aqui até sem razão em alguns aspectos), ou outras localidades, para mostrarem que têm razão?

A quem interessa "trucidar" os moradores com a adopção de uma solução de traçado do MST, acordada no segredo dos Gabinetes, que não foi apresentada publicamente?

Isto é, ou não, um CRIME DE COLARINHO BRANCO?

Que andam a fazer os responsáveis do Ministério Público?

Não há pior cego que aquele que não quer ver...

Anónimo disse...

Quem projectou este traçado não habita certamente em Almada e os que patrocinam este trajecto, mais dia dia menos dia vão-se daqui para fora...pois não são de cá.
E pronto...ficamos cá nós!!!!!

Anónimo disse...

Como disse o bastonário dos advogados esta noite na RTP1, (Grande entrevista), a justiça é forte para os fracos e fraca para os fortes...
Dizemos nós na Rua Lopes de Mendonça:
A Justiça não existe...
Se os comunistas vivessem na Rua Lopes de Mendonça o MST passaria pelo Monumento ao Trabalho, como os moradores propuseram...
Onde estão os defensores da liberdade?
Isto só lá vai com um bastonário assim, isto é, à BASTONADA, falando, informando ...
Para onde foi o "acréscimo" de custos de 1.200.000.00 que a obra custa a mais relativamente à proposta dos moradores APROVADA pelo Estado e "CHUMBADA" pela D. Maria Emília?
Aqui está o exemplo de uma adjudicação... Também aqui alguém assinou qualquer que lhe puseram à frente...
Quel ajudou nesta sobrefacturação?
Será a pessoa que daqui a uns anos (poucos) ocupará o lugar de presidente do MST?
(Já temos outros exemplos análogos... recordam-se ou querem que digamos os seus nomes?
Não merece a pena, até o Sr. Presidente da República sabe quem eles são...
Os Almadenses é que não querem saber...

Anónimo disse...

As televisões, as informações, a publicidade e as mordaças...

As televisões:
São orgãos de comunicação social, algumas a viverem do erário público...

As informações:
Supostamente de interesse público mas sujeitas a "rigorosos" critérios jornalísticos no crivo dos quais não passam determinados temas, o MST por exemplo...

A publicidade:
A maneira que as televisões arranjaram, televisão pública incluída, para "arredondarem" os seus aorçamentos...

As mordaças:
A forma que algumas entidades arranjaram / descobriram, autarquias incluídas, para poderem "afinar melhor" alguns dos "rigorosos" critérios jornalísticos...

Esta explicação / entendimento para quê?

Para explicar, ou melhor, tentar entender, o que estará na cabeça dos responsáveis da Câmara Municipal de Almada, quando patrocinam a divulgação de anúncios publicitários nas televisões, pagos a preço de ouro...

Pretendem promover o quê?

Ou será que, pelo contrário, aquilo que pretendem (e conseguem...) é AMORDAÇAR, um qualquer jornalista de modo a que, notícias de Almada, só as boas...

Dos cerca de trezentos municípios do País quantos se podem dar ao luxo de "engordarem" as televisões a partir dos seus "magros" orçamentos municipais?

Também aqui não estaremos em presença de crimes de colarinho branco?

Desde quando uma autarquia precisa de fazer publicidade como se uma empresa multinacioanal de cosméticos se tratasse?

Tenham dó dos nossos impostos...

Aqui está mais um exemplo de adjudicação de serviços que não tem qualquer utilidade...

Não é crime?

Eventualmente não será, mas não é honesto nem eticamente correcto...

Comparem a quantidade de anúncios televisivos da CMA, com a quantidade de notícias do MST e das trapalhadas que se têm vivido e estão a viver em Almada...

DO MST NÃO SE FALA NUNCA;

DOS ESTABELECIMENTOS ENCERRADOS IDEM, IDEM;

DO DESEMPREGO RSULTANTE DO FECHO DAQUELES, IDEM; IDEM.

Isto é a "competência" dos autarcas de Almada.

Passem todos por cá.
Aprenderão, de certeza, aquilo que NUNCA deverão fazer...