sábado, julho 14, 2007

Declarações Contraditórias-Apenas uma rectificação

O Encarregado de Missão enviou posteriormente um mail a informar o morador já referido que o passeio do lado direito fica com 3,26m e não 2,26m.
Esta rectificação em nada diminui os impactes negativos da obra e da implantação do comboio nesta rua, junto dos moradores, mormente os dos números pares, desde sempre apontados pelos residentes da R. Lopes de Mendonça.
O Eng. continua a dizer que o projecto " teve em conta as preocupações dos moradores".
Ao dizê-lo continua a mentir uma vez que o projecto e implantação do comboio na rua em nada melhora as acessibilidades e mobilidade dos moradores, mormente os dos números pares, assim como agrava significativamente a qualidade de vida e tranquilidade nas habitações, para além de dificultar o acesso de ambulâncias ao Hospital Garcia de Orta, entre outros impactes negativos.
As viaturas auto circularão muito mais próximo das habitações, a poluição e o ruido aumentam, o acesso às garagens em nada melhora, os estacionamentos diminuem drasticamente de 75-80 passam a 8 e somos roubados de uma grande área dos passeios que nós pagámos.
Quando o Eng. vem com essa demagogia, está a querer sensibilizar quem não conhece a zona e com isso pôr em causa junto das pessoas, os argumentos válidos que os residentes desde o princípio sempre expuseram, os quais foram reconhecidos mediante o Despacho da Secretária de Estado dos Transportes - Despacho 06.07/05SET de 22JUL2005.
Portanto o Sr. Encarregado de Missão do Gabinete do MST, Eng. Marco Aurélio, deveria ter respeito pelos moradores e deixar de ir ao encontro dos desejos de sempre da CMA e sua Presidente que nunca aceitaram a retirada da Linha 3 da R. Lopes de Mendonça, como podemos ver em documentos e pela conduta da Srª presidente e Câmara neste processo, mormente na Assembleia Municipal realizada em Setembro de 2005.
Os pretensos e falsos argumentos de que falam só agora, em nada justificam a manutenção da linha 3 na Rua Lopes de Mendonça.
Aliás a solução que agora pretendem impor nem sequer foi alguma vez apresentada e discutida com os moradores com o foram as 5 Soluções alternativas.
Esta conduta é muito significativa para os moradores perceberem o tipo de jogo que provavelmente existe e está na condução deste processo, a partir do Despacho da Secretária de Estado dos Transportes já aludido.
Parece-nos que a partir de determinado momento o Sr. Eng. Marco Aurélio começou a sintonizar-se com os desejos da Câmara e da Srª Presidente, dado os rasgados e frequentes elogios que o Vereador Gonçalves e a Srª Presidente lhe faziam publicamente e ao seu trabalho, enquanto Encarregado de Missão, nos Fórum (ditos de participação) MST.

6 comentários:

Ponto Verde disse...

Assim funcionam estas cabeças:

Vereador do ambiente do Seixal sugere que defensores de zona verde poderiam ter ateado fogo a uma floresta para que não construíssem nela!

ver em www.a-sul.blogspot.com

Papoila disse...

Este traçado está mal pensado desde o início. Agora também há quem já conteste que o MST deveria ter passado pelo Hospital Garcia de Orta, e que é um erro nao passar.
Realmente nao faz sentido, só se for para não acabar com os TST que servirão a zona no futuro.

blue eyes disse...

Essa ideia de não ter criado uma paragem junto ao HGO é uma aberração.
Que se junta a outras.

mário silva disse...

O senhor Encarregado de Missão tem consciência do que anda a fazer e para quem está trabalhar?
Parece que não.

Repórter disse...

Tem mas controla-se.
E os euros são uma moeda forte.
Digo eu...

NoExit disse...

Um dos grandes problemas da passagem do MST na Rua Lopes de Mendonça surge da perda de um nº significativo de lugares de estacionamento.
8 lugares de estacionamento é ridículo!!!
Estes Srs. têm a noção de quantas pessoas vivem nesta rua??

A passagem do MST não vai unicamente prejudicar os moradores da Lopes de Mendonça. Os carros dos moradores têm que ser parados em algum local pelo que a envolvente à rua vai passar a ser um caos (ainda pior que a situação já existente).

Será que ninguém consegue mostrar aos donos de Almada o grave erro que estão a cometer?