sexta-feira, dezembro 07, 2007

ELES NÃO FALARAM VERDADE À POPULAÇÃO

ESTES DOIS AUTARCAS de Almada: Presidente da Assembleia Municipal e Presidente da Câmara Municipal de Almada, MENTIRAM à população almadense, aos moradores da Ramalha e aos Deputados Municipais.
Andaram a dizer-nos que a decisão competia ao Governo. Quando o Governo decidiu não fizeram cumprir e não acataram a decisão.
Depois continuaram a dizer que desconheciam o Despacho da Secretária de Estado dos Transportes (MENTIAM) e que a decisão de passagem do MST pelas ruas Lopes de Mendonça e José Justino Lopes era do Governo, que nada tinham a ver com isso (MENTIAM).
Soubemos agora, informação telefónica de Deputado Municipal do PSD, após a reunião do Deputado Luís Rodrigues, do Partido Social Democrata, com a Secretária de Estado dos Transportes, em 06DEZ2007, que foi por interferência da Câmara Municipal de Almada através da sua Presidente, que não está a ser cumprido o Despacho 06.07/05SET de 22JUL2005 ,da Scretária de Estado dos Transportes que alterou o traçado do MST no Triângulo da Ramalha, exigido ao Governo pela Câmara Municipal e pela Assembleia Municipal de Almada, em Deliberação de 10MAR2004.
Para nós moradores esta notícia não é novidade. Já suspeitavamos e já haviamos denunciado isto com documentos divulgados neste blog, até assinados pela Presidente da Câmara.
A Câmara Municipal Almada argumentou junto do Governo que a solução aprovada por Despacho não era a mais adequada com o Plano de Mobilidade para o Concelho.
RIDÍCULO !
Os almadenses não percebem que Plano de Mobilidade é este que lhes cria constrangimentos de mobilidade e acessibilidades.
Os almadenses não percebem porque se gasta tanto dinheiro destruindo Almada para satisfação do ego e da teimosia da Presidente da Câmara.
Os almadenses não percebem porque não se cumpre uma Solução, escolhida após estudo pago pelo Estado Português, na qual a CMA participou, esteve presente na apresentação das várias alternativas e exigiu um decisão rápida do Governo.
Para estes autarcas ALMADA é UMA COUTADA.
Lamenta-se que estes autarcas que se dizem democratas não saibam o que é democracia, participação cívica dos cidadãos, discussão de ideias, debate de soluções e abordagem democratica dos problemas que dizem respeito a todos.
São autoritários, arrogantes, "defendem" processos eleitorais enquanto isso lhes permite o acesso a lugares de mando, para então subjugarem o povo como os senhores feudais subjugavam os servos, os senhores os escravos.
São adeptos de regimes totalitários que dizem repudiar, só para nos enganarem.
Lamenta-se a baixeza de procedimentos destes autarcas que andaram a omitir informação a todos, quando questionados sobre o assunto, dizendo que se limitaram a ceder os terrenos que a Equipa de Missão do MST pedira, de acordo com as plantas parcelares entregues ao município.
Lamenta-se que estes autarcas quando questionados pelos moradores locais, não tivessem falado verdade.
Lamenta-se que estes autarcas quando questionados por Deputados Municipais em plena Assembleia Municipal, tivessem omitido e deturpado informação correcta aos eleitos pela população.
Lamenta-se que o Presidente da Assembleia Municipal de Almada, não tenha assumido suas responsabilidades inerentes ao cargo e à Deliberação de 10MAR2004 sobre a alteração do traçado do MST no Triângulo da Ramalha.
Lamenta-se que o Eng. Marco Aurélio na presença do Chefe de Gabinete da Secretária de Estado dos Transportes, em reunião para a qual fomos convocado, na presença de autarcas eleitos pelo Partido Socialista, onde informou que a linha 3 do MST viria a passar pelas ruas Lopes de Mendonça e José Justino Lopes, tenha dito a todos os presentes que a Câmara Municipal de Almada nada sabia dessa alteração.
Mentiu, porque nessa data já a Presidente da CMA tinha interferido junto da Secretária de Estado dos Transportes, para o não cumprimento do Despacho, apresentando a solução que está a ser implantada.
Nós suspeitámos que Marco Aurélio não estava a falar verdade e tantava "dar-nos a volta"!
Lamenta-se que nos tenham convocado para essa reunião na tentativa (vâ) de nos persuadir a concordar com o que nos dizia para trairmos os moradores e depois o Eng. apresentar-se a estes, dizendo possivelmente que nós tinhamos concordado com outra solução.
Lamentamos que Almada esteja a ser gerida por autarcas sem dignidade, sem ética política e moral e sem adequada formação cívica para lidarem com os munícipes ao ponto de os enganarem e deturparem decisões governamentais e Deliberações da Assembleia Municipal.
QUANTO CUSTA ISTO E QUANTO DINHEIRO CORREU PELA VALETA?

6 comentários:

residente disse...

Porque será que na comunicação social de hoje nada é referido relativo à recusa da Câmara Municipal de Almada em cumprir o Despacho 06.07/05SET de 22JUL2005 da Secretária de Estado dos Transportes e ao facto do o mesmo não estar a ser cumprido.

Anónimo disse...

Almada: Atrasos obras do Metro provocam derrapagem de 70 M€

O atraso de três anos na conclusão das obras do Metro Sul do Tejo, Almada, provocará um custo orçamental de mais 70 milhões de euros em relação ao previsto disse hoje à Agência Lusa o deputado social-democrata Luís Rodrigues.

O coordenador dos deputados de Setúbal no Parlamento esteve hoje reunido com a secretária de Estado dos Transportes Ana Paula Vitorino, encontro do qual resultaram os números apontados.

Este valor corresponde a uma derrapagem orçamental de mais de 20 por cento em relação ao custo previsto da obra em Almada, estimado inicialmente em 320 milhões de euros.

De acordo com Luís Rodrigues, faltará apurar «os responsáveis por estes atrasos e consequente derrapagem orçamental, que será suportada pelo Estado e, consequentemente, por todos nós».

«Na minha opinião, a responsabilidade passa também pela Câmara Municipal de Almada, que se atrasou na tomada de decisão da cedência de terrenos à concessionária e no traçado para o triângulo da Ramalha», referiu o deputado.

A opção que está a ser levada a cabo na zona do triângulo da Ramalha prevê a passagem da linha do metropolitano nas ruas Lopes de Mendonça e José Justino Lopes, ou seja, junto a áreas residenciais, enquanto a proposta dos moradores, aceite pela secretária de Estado dos Transportes, Ana Vitorino, prevê a passagem pela Rua de Alvalade, não interferindo com as zonas residenciais do local.

O deputado Luís Rodrigues considerou a situação em curso «inadmissível», revelando que irá pedir esclarecimentos ao Governo no sentido de perceber o porquê de uma decisão governamental não ter sido tida em conta na organização do traçado.

«Alguém vai ter de me explicar o que se passa e o porquê de um despacho da secretária de Estado dos Transportes ter sido ignorado na realização deste traçado», afirmou o deputado social-democrata.

Luís Rodrigues questionou Ana Paula Vitorino sobre a questão, que alegou que a iniciativa de alteração do despacho «foi da Câmara Municipal, tendo a secretaria aceite esta mudança».

Relativamente à questão do estacionamento automóvel junto às estações do metropolitano de superfície, Ana Paula Vitorino terá assumido, de acordo com Luís Rodrigues, que os protocolos deverão ser assegurados entre a Câmara Municipal de Almada e a concessionária Metro Transportes do Sul.

«O problema do estacionamento é um problema que Almada já tem e que não pode ser descartado pela autarquia. Ficou hoje provado que a Câmara não pode ficar à espera de decisões governamentais para isso porque a responsabilidade é sua», concluiu o deputado social-democrata.

Diário Digital / Lusa

06-12-2007 19:33:00

Anónimo disse...

Será que uma qualquer "iniciativa" da CMA junto da Secretaria de Estado tem o "poder" de mandar às malvas um DESPACHO da própria Secretária de Estado?

Que argumentos teria apresentado a CMA que pudessem sobrepor-se ao estudo comparativo das cinco soluções que haviam sido apresentadas publicamente?

Quanto custou o estudo comparativo?

Será que este estudo, tendo sido encomendado pelo dono da obra (O ESTADO PORTUGUÊS), não tem qualquer valor pelo simples facto de não ter correspondido aos mais altos "interesses" dos (i)responsáveis autárquicos de Almada?

Porque será que todos eles vêm mentindo ou omitindo a verdade, sonegando informações quando são questionados pelos moradores ou pelo Tribunal de Contas?

Pelos moradores, pois sempre afirmaram, formal e informalmente, que a decisão final seria do Governo...

Pelo Tribunal de Contas, pois quando no exercício do direito ao contraditório, sonegaram a existência do Despacho da Secretária de Estado...

Agora sim, poderemos dizer com todas as letras...

ESTES AUTARCAS NÃO PRESTAM...

ESTES AUTARCAS MENTIRAM ONTEM...

ESTES AUTARCAS MENTIRAM HOJE...

ESTES AUTARCAS SÃO UM VERDADEIRO EMBUSTE...

Ou estaremos enganados e haverá um qualquer "despacho" da CMA que tenha "revogado" o despacho da Secretária de Estado que tinha fixado o triângulo da Ramalha" quando adoptou a solução cinco como a melhor?

Será que estamos no tempo do Napoleão, onde qualquer decisão era sempre tomada por um número impar de pessoas, mas três eram de mais?...

Chega de tanta incompetência Senhora Presidente da CMA, sua, e dos seus acólitos. A sua pela eventual ignorância na matéria, a dos seus acólitos pela eventual ganância, ou, quem sabe, pelas duas razões...

João G disse...

Os eleitos em almada sao uns parasitas!

Ponto Verde disse...

Ainda não percebi se falam verdade a mentir ou se mentem a pensar que é verdade ou se simplesmente mentem?

residente disse...

Infelizmente para os almadenses a mentira é uma parte do quotidiano e mensal (vide Boletim Municipal) da vida destes autarcas no relacionamente com os munícipes.
Quem estiver atento às ocorrências e aos acontecimentos nesta nossa terra, não precisa de muito esforço mental para reconhecer que assim é.
A factura vamos pagando diária e regularmente quando temos de desembolsar os euros para os alimentar na sua autoritária e controlada democracia, bem como no controle que vão exercendo à liberdade de expressão (têm alguns orgãos controlados) e aos direitos dos cidadãos.