domingo, junho 24, 2007

Novo Massacre da Imprensa a partir de Almada?

Em 1975, durante determinado período pós Revolução dos Cravos, a Imprensa em Portugal passou um mau bocado.
O então "Jornal Novo", de que era Director Artur Portela Filho, publicou em 10 de Setembro de 1975 esta fotomontagem caracterizando esse período.
Vem isto a propósito do 17º Fórum dito de Participação MST, organizado pela Câmara Municipal de Almada, sob o seu alto patrocínio, para o qual nada descura, inclusive arregimentar assistência fidelizada e ao qual também dá falsa e abusivamente a designação de Comissão de Acompanhamento Local.
Ora nesse Fórum intervieram pessoas a contestar de forma veemente as obras e o traçado/inserção do Metro Sul do Tejo (MST).
De entre essas pessoas, alguns cidadãos para além de criticarem o traçado, referiram-se à postura e conduta da Assembleia Municipal e seu Presidente, Câmara Municipal de Almada e sua Presidente, perante as exigências destas entidades ao Governo, para fixar o traçado do MST no Triângulo da Ramalha e, a sua actual atitude de desrespeito pela Deliberação de 10MARÇO2004 da Assembleia Municipal e dos compromissos assumidos perante os almadenses e os residentes.
Em causa está a Câmara que não quer cumprir o Despacho 06.07/05SET de 22JUL2005 da Secretária de Estado dos Transportes.
Os moradores também se referiram às duas faces do actual Encarregado da Equipa de Missão do MST, perante a sua conduta anterior quando da Apresentação Pública das Soluções alternativas e a sua posição actual, dando a cara pela defesa da manutenção da Linha 3 nas Ruas José Justino Lopes e Lopes de Mendonça, que a CMA quer implantar na zona em prejuízo dos moradores.
Esta solução não tem qualquer mais valia técnica, naquilo que argumenta, em relação à proposta inicial, no cruzamento das linhas 2 e 3 na Av. Bento Gonçalves em direcção ao Pragal.
Ora estes assuntos incómodos, questionados pelos residentes da R. Lopes de Mendonça, não apareceram citados em notícias da imprensa escrita mesmo regional, conforme já constatámos.
Igual tratamento teve a intervenção de um morador da R.Polónio Febrero Júnior, que criticou a leviandade como as obras estão sendo feitas e o projecto para o local, que impede a acessibilidade futura de viaturas de bombeiros em situação de incêndio ou outras. Citou este morador que as obras e projecto são feitos sem consulta prévia dos bombeiros, conforme informação do comando dos bombeiros.
Não sendo estes importantes assuntos referidos pelos orgãos de comunicação presentes no Fórum, perguntamos:
Estamos em presença de um novo massacre da Imprensa ou de um oculto e dissimulado controle da informação junto de pessoas?
Quem controla as notícias ?
Onde está a liberdade de Imprensa?
A quem interessa que estas questões não cheguem ao conhecimento do público e porquê?

9 comentários:

Anónimo disse...

Anónimo disse, no post anterior e vem agora repetí-lo, pois é mais adequado a este...

Conhecem este provérbio?
(Um provérbio corresponde à voz do povo...)

O "CÃO" NÃO MORDE A MÃO QUE LHE DÁ O PÃO...

Por analogia, claro, como poderá a comunicação social transmitir qualquer notícia que "belisque" a CMA, nomeadamente passar para os jornais ou televisões uma qualquer informação relativa às intervenções dos moradores nos Foruns ditos de participação do MST? Evidentemente que falamos das intervenções incómodas para a CMA, algumas delas escritas e lidas...
Como poderia depois a comunicação social (jornais e televisões) arrecadar as preciosas receitas de publicidade directa ou indirecta proporcinada pela CMA...
A título de exemplo, veja-se o "encarte" sobre Almada publicado no Expresso desta semana...
Quantas mais cidades têm o S. João como padroeiro e o seu dia como feriado municipal? Entre outras, Porto, Figueira da Foz, Évora, etc, etc, Quantas delas patrocinaram directa ou indirectamente uma revista como a do semanário Expresso?
A CMA até pode argumentar que não pagou nada (com um bocado de jeito até poderá dizer que conseguiu arrecadar alguma receita, mas os SMAS pagaram alguma coisita...
ASSIM NÂO, OS NOSSOS IMPOSTOS CUSTAM MUITO A GANHAR, não os esbanjem senhores autarcas. Não foram mandatados para isso...
E o traçado do MST que pretendem impor aos moradores no Triângulo da Ramalha?
Como justificam a "imposição" ao ESTADO de uma solução mais cara?
Para agradarem às empresas do concórsio (Estas sim patrocinaram a revista a que nos referimos anteriormente e que desta forma arrecadam mais umas receitas significativas), ou para castigarem os moradores que tiveram a veleidade de propôr (em tempo útil como a Sra. Secretária de Estado dos transportes pode confirmar)uma solução mais económica para o herário público e bem mais funcional que a "imposta" pela CMA?
Senhores autarcas, são capazes de informar os munícipes da solução que "impuseram" ao ESTADO à qual nunca tiveram a coragem de se referirem publicamente (nos foruns, por exemplo) como o impõe o direito dos cidadãos a serem informados, direito consagrado na CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA?
Porquê o blá blá do costume nos muitos Foruns já havidos?
Os Almadenses estão fartos e por este caminho nos próximos foruns ficarão a falar sozinhos na mesa ou, em alternativa, terão de chamar os militantes que "vos suportam", tal como já aconteceu num famoso forum que coincidiu com um jogo do campeonato europeu de futebol,. Recordam-se? Os almadenses atentos a estas coisas recordar-se-ão certamente...
Depois da "convocação telefónica" (chamada que foi ouvida pelos moradores devido à falta de isolamento acústico entre as casas de banho de homens e mulheres...), a assistência começou a ficar composta...

Anónimo disse...

Não é por acaso que nos forum do MST o vereador Gonçalves e a presidente Maria Emília tecem rasgados elogios ao Eng. Marco Aurélio.
Por acaso os moradores da Ramalha sabem que este senhor foi companheiro de escola de um actual vereador da Câmara de Almada?
Onde há fumo provavelmente há fogo.

Papoila disse...

Este silenciamento da imprensa realmente é estranho... Assim como é estranho que tenham entrevistado um morador da RLM, no sentido de compreender a posição dos moradores, algo que depois nunca chegou a ser publicado.

Por outro lado "vende" mais a notícia sobre a questão dos comerciantes, talvez sendo esta uma questão mais visível para o resto da população de Almada, mas esses tais jornalistas omitiram uma parte das intervenções ocorridas no 17º Fórum de Desparticipação sobre o MST.

O mesmo se passa no que diz respeito à imprensa nacional. No que se refere ao metro do Porto, ou qualquer buraco que se abra num qualquer bairro, lá estão as televisões a entrevistar os moradores. Quanto ao MST, as TV andaram por aqui durante 1 ou 2 dias da inauguração, e depois disso nem vê-las.

Começo a pensar que possamos ter voltado ao tempo da censura e controlo da informação.

residente disse...

Para o anónimo do fumo com fogo.
A ser assim é caso para dizer : Talvez sejam coincidências do Diabo!

residente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
residente disse...

papoila
Temos provas há algum tempo, através de jornalistas, que nos relataram que de facto há tentivas da CMA para controlar a informação que sai, assim como em alguns orgãos de comunicação social há quem filtre toda a informação que diga respeito ao MST, desde que não seja favorável ao projecto em andamento, isto é, desde que haja fortes criticas dos residentes e almadenses.
Não nos esqueçamos que a CMA têm anúncios em alguns dos orgãos de comunicação e depois provavelmente até haja outros interesses mais altos.
Alguém viu alguma vez o Boletim Municipal relatar as contestações dos moradores?
Depois dizem que são democratas!
Criticavam a censura de antigamente.Agora estes falsos democratas são piores, porque exploram o povo, invocando a democracia para "legalizar" os seus actos, arbitrariedades, desmandos e tropelias.
Em três palavras apenas:
"São intelectualmente desonestos"

NoExit disse...

Fala-se de informação (ou falta dela)mas estamos a esquecer-nos que a primeira falta de informação vem da parte da Câmara Municipal e Concessionária.

Alguém conhece o projecto da obra que decorre na Av. Bento Gonçalves e Rua de Alvalade?

O Autarquia deveria dar a conhecer o projecto e discutí-lo com a população local. Não é suficiente convocar a população para lhe dar a conhecer o que já está decidido e quase acabado (mal acabado!!!).

observador disse...

Têm dúvidas de que a CMA, directamente ou por interpostos meios, amordaça a informação?

Uma vergonhosa forma de comprar o silêncio ou de fazer passar o que interessa.

Publicidade a troco de... ah pois!

Se não fizerem o que queremos não há € para ninguém... ah pois!

E agora vou numa de xadrez.
Estou cansado.
Era para fazer esta viagem de metroléctrico mas fui informado de que a esta hora anda tudo cheio.
Ora bolas!!!

Luis Eme disse...

Este "post" explica em parte, porque razão Almada não tem um jornal credível e com qualidade.