sexta-feira, julho 11, 2008

Uma Aberração Ilegal

As aberrações nas obras do MST, comboio da presidente da Câmara, são infelizmente muitas ao longo do ex-eixo viário de Almada, onde decidiram implantar aquilo que designaram por espaço canal do comboio.
Na área da Ramalha, essas aberrações estão inflacionadas e até são designadas pela Câmara Municipal " boa requalificação urbana".
Na ex-rua Lopes de Mendonça o prédio nº 1 foi contemplado na empena voltada para a av. Bento Gonçalves, com uma aberração só digna da CMAlmada, como as fotos mostram:
Disseram a moradores do prédio que isto é uma floreira para evitar que as pessoas batam com a cabeça na varanda, porque o solo junto ao prédio vai ser bastante elevado (outra aberração designada requalificação urbana).
No meio de tantas coisas insólitas nesta obra faraónica em gastos, sem controle, esta aberração revela:
- insensatez de quem tomou a decisão de construir encostado ao prédio um compartimento/muros, que designa por floreira, facilitando assaltos aos moradores do r/c esquerdo do prédio,
- abuso de autoridade (despotismo) de quem mandou fazer e de quem sancionou a construção de um muro e daquele recipiente, encostado à propriedade privada daqueles condóminos, sem lhes pedir autorização e, nomeadamente dos moradores daquele apartamento que ficam com a sua habitação mais vulnerável, enquanto tal construção não for demolida.
As consequências dos erros da presidente da Câmara Municipal na obra do comboio MST, não devem ser pagas pelos moradores, nem estes podem ser vítimas da insensatez e da incompetência na tomada de decisões incorrectas, lesivas dos cidadãos.
- A Câmara Municipal de Almada está irresponsavelmente a alterar as condições de vivência e a qualidade de vida daquela família e a agredir os condóminos.
- A propriedade privada tem de ser respeitada.
- Os cidadãos são pessoas com direito a segurança e privacidade no seu ambiente familiar.
- Os moradores não são súbditos da Câmara Municipal de Almada.

8 comentários:

morador da RLM disse...

Isto é só rir!!!! É a comédia!!! É a lei do improviso!

Anónimo disse...

Eu também já tinha reparado nisso e fiz o mesmo julgamento.
As fachadas do prédio em questão são propriedade dos seus donos.
Se ele pretendesse abrir ali uma janela para arejamento das garagens, iria alterar a respectibva fachada e seriam obrigados a apresentar um projecto de alteração, que possivelmente lhe seria negado por não equilibrar esteticamente este alçado, o que até estava correcto.
Mas como a câmara é prepotente e serve os interesses dela, toca de colocar esta construção, chamando-lhe floreira sem pedir autorização aos seus proprietários,o que é contrário à Lei.
Aqui está demonstrada à saciedade o seu desrespeito pelos seus munícipes.
Almada é dela, Mª Emília,e portanto não tem que dar satisfação a ninguém.
Mais uma vez é demonstrada a democracia de alguém que pertence a um partido, dito democrata, mas que se revela contrário aos seus princípios.

VOTEI DUAS VEZES,MAS NÃO MAIS VOTAREI NELES.
A 1ª FOI ENTUSIASMO. A 2º DISTRAÇÃO, MAS A 3ª SERIA BURRICE, E ISSO NÃO SOU!

P.S.- Não meço os comunistas pela mesma bitola. Conheço muitas pessoas que militam ou não no partido, que são muito sérias e bem intencionados.

MAS ESTES QUE NOS DES(GOVERNAM), NÃO!

Anónimo disse...

Cortem a varanda para ninguém bater com a cabeça!

Anónimo disse...

A ditadura municipal continua..

Esta senhora continua a fazer tudo o que lhe apetece sem informar e sem pedir autorização a ninguém...

Os moradores devem unir-se e mandar aquela merd.... toda abaixo.

Já chega de tantos abusos...

Se não se mete um travão nisto não sei onde é que vamos parar ....

Anónimo disse...

Porque não se indignam os moradores?
Se pagam seus impostos e tarifas locais devem fazer valer seus direitos de cidadãos.
Essa Emília não é proprietária das pessoas nem dos prédios. No lugar onde está tem o dever de respeitar todos. Se não sabe fazê-lo, vá à escola, porque ainda há cursos nocturnos.
Almada está sofrer por ter incompetentes em lugares que requerem senso, humildade e maturidade política e social.
Não basta ser eleito nem militante do PCP.

Anónimo disse...

Já agora pergunta-se:

1 - Quem trata da "floreira"? Pintura, isolamento da parede do prédio, etc. etc....

1.1 - A administração do prédio legítima proprietária da empena do edifício;
1.2 - O dono da floreira;

2 - Quem trata das flores? Regra, poda, adubação, etc, etc....

2.1 - A administração do prédio legítima proprietária da empena do edifício;
2.2 - O "dono" da floreira;

Não haverá nenhum "FEITOR" na C.M.A. que responda a estas simples questões?

Não haverá outras soluções para "desviar" os peões da esquina da varanda, obra devidamente licenciada e aprovada exactamente pelos técnicos (sempre competentíssímos da C.M.A.)?

Não atropelam mais os cidadãos...

Nota:
FEITOR - Representante do "agrário" junto dos trabalhadores rurais (seus escravos) que lhe amanhavam as terras da sua herdade do Alentejo...

almadense disse...

Inconcebível o que a Câmara de Almada está a fazer nesta zona da cidade.
Depois de desqualificar Almada está a agrdir os moradores locais.
Impensável construir uma caixa, floreira colada a um prédio, propriedade particular sem consultar os residentes.
Quem pensa que é essa Emília?

Anónimo disse...

Floreira assim? Não,
A C.M.A. está a ajudar o ladrão!