terça-feira, outubro 02, 2007

A Misteriosa Cedência de Terrenos Pedida pela Equipa de Missão do Gabinete do Metro Sul do Tejo...

...que se "sobrepõe" a uma decisão do Governo, o Despacho da Secretária de Estado dos Transportes de 22JUL2005, para contento da Presidente da Câmara Municipal de Almada e prejuízo da população residente.
Nos dias 27 e 28 de Setembro de 2007, pelas 21h 30m, reuniu a Assembleia Municipal de Almada no Salão da Fábrica da Igreja de Vale Figueira, sito na Rua Dr. Alberto Araújo, 12 em Vale Figueira – Sobreda. Da agenda dos trabalhos fazia parte o seguinte: 3.6 – Apreciação e votação da Proposta da Câmara Municipal sobre “Cedência de Terrenos do Domínio Público Municipal à Concessionária MTS para a execução de obras relativas ao Metro Sul do Tejo. Estavam incluídos no pacote os terrenos a ceder nas ruas José Justino Lopes e Lopes de Mendonça, embora nunca tenham sido referidos pelo Presidente da Assembleia Municipal, nem pela Presidente da CMA. Este assunto agendado para o dia 28 foi votado já no dia 29. A bancada do Partido Social Democrata (PSD) questionou a Presidente da CMA por que razão havendo um Despacho da Secretária de Estado dos Transportes que colocava as linhas 2 e 3 na Rua de Alvalade, não se estava a cumprir o mesmo, dado já se terem iniciado as obras para colocar a linha 3 nas Ruas Lopes de Mendonça e José Justino Lopes ficando a R. de Alvalade só com a linha 2. A presidente da CMA fugia de dar resposta, mas perante a insistência do Deputado Municipal do PSD, disse que a CMA se limitou a ceder os terrenos que a Equipa de Missão do MST lhe havia solicitado mediante a apresentação das plantas parcelares. E mais não disse...nem questionada!
Na bancada do Partido Socialista (PS) uma Deputada Municipal solicitou que os documentos referentes às parcelas de terrenos a ceder fossem votados em separado. Assim os documentos da cedência dos terrenos para a colocação do MST nas Ruas José Justino Lopes e Lopes de Mendonça foram votados em separado. O líder da bancada do PS fez uma declaração informando que o Partido Socialista votaria a favor da cedência de todos os terrenos, embora houvesse votos de outro sentido de Deputados da bancada do PS. Antes de se proceder à votação ausentaram-se da sala: - um Deputado Municipal do PSD que é o Presidente da Assembleia de Freguesia de Cacilhas em coligação do PSD com a CDU/PCP. - três Deputados Municipais dos PS Ficaram na sala: - 4 Deputados Municipais do PSD - 9 Deputados Municipais do PS - os 22 Deputados Municipais da CDU/PCP - a totalidade - 2 Deputados Municipais do Bloco de Esquerda (BE), o terceiro já havia saído muito antes. Procedeu-se à votação em separado da cedência dos terrenos daquelas duas ruas, para aí ser colocada a Linha 3 (via dupla) do MST tendo sido estes os resultados: Votos a Favor da cedência dos terrenos nas duas ruas : 29 – sendo 22 da CDU/PCP, ( 14 de Deputados Municipais incluídos os da mesa e 8 de Presidentes de Juntas de Freguesia CDU/PCP ); 5 do PS ( 3 de Deputados Municipais, 1 do representante do Presidente da Junta de Freguesia da Charneca de Caparica e 1 da Presidente da Junta de Freguesia da Trafaria ); 2 do BE
Votos Contra: 3 do Partido Socialista (foi feita declaração de voto por uma Deputada)
Abstenções: 3 do Partido Social Democrata Dois Deputados Municipais embora presentes não votaram, sendo 1 do PSD, provavelmente por integrar uma das empresas da Concessionária do MST e 1 do PS, o Chefe de Gabinete da Secretária de Estado dos Transportes.
A posição tomada e voto do líder da bancada do Partido Socialista não esteve em sintonia com aquilo que andou a defender e sua opinião relativa ao MST, quando foi candidato à Presidência da Câmara Municipal de Almada em 2001, conforme o folheto distribuído então à população....
clique sobre os doc para aumentar e ler
e seu artigo de opinião, publicado no Diário de Notícias em 30 de Julho de 2002 Nem tudo é fruto do tempo... e os 4 últimos parágrafos do artigo também dizem alguma coisa!

VALEU A PENA GUARDAR PARA AGORA COMPARAR !

4 comentários:

zé disse...

Com este comportamento da oposição a CDU/PCP não precisa de se preocupar para vencer as autárquicas. Só precisa de continuar a apoiar as colectividades e ir buscar a casa os idosos e outros, para votar.
A proceder assim, colaborando com a CMA e voltar costas à população, a oposição está a trabalhar para a abstenção de seus potenciais eleitores.
Obrigado oposição dizem CDU/PCP!
Com oposição assim é fácil ganhar e conquistar maiorias.

Anónimo disse...

As cambalhotas dadas fora de ginásios desportivos têm riscos e só são agradáveis de ver em espectáculos de circo.
Gato escondido com rabo de fora.
No dia em que se abrir a caixa preta muita coisa será conhecida.

Anónimo disse...

http://www.reporter.online.pt/frente_frente.html

Anónimo disse...

Quem tem cara de feijão frade?