segunda-feira, outubro 22, 2007

Vendidos por um (enorme) Prato de Lentilhas…

Rua José Justino Lopes
Para os autarcas e demais responsáveis envolvidos na “escolha” ou melhor dizendo na imposição da sexta solução, à revelia dos residentes e da demais população almadense, passamos a demonstrar o valor do prato de lentilhas…
Assim, do Ofício n.º 2929//2005 – GMST, transcrevemos: “Em 11 de Maio, promoveu-se reunião com a CMA para análise de todas as soluções em equação nesta data (cinco). Perante os vários traçados e o seu enquadramento urbano e operacional a CMA pronunciou-se no sentido de que a solução mais vantajosa seria aquela que retoma o traçado previsto no anterior projecto.”
Mais diz o dito ofício que “O Gabinete está a elaborar estudo comparativo de todas as soluções em análise, para apoio da decisão final. …” Do estudo anterior, e relativamente à Solução 5 que previa as Linhas 2 e 3 na Rua de Alvalade (a solução dos moradores), resultaram os seguintes tempos de trajectos estimados das composições ferroviárias (MST) entre as respectivas estações terminais:
SOLUÇÃO 5 (a dos moradores):
Linha 2 Corroios / Pragal 14,5 minutos (S5CP) Pragal / Corroios 14,5 minutos (S5PC)
Linha 3 Cacilhas / Universidade 19,3 minutos (S5CU) Universidade / Cacilhas 19,7 minutos (S5UC)
Perante os vários traçados e o seu enquadramento urbano e operacional a CMA na reunião acima citada, relativamente à sua opção pela Solução 2, (Linha 3 nas Ruas de Lopes de Mendonça e de José Justino Lopes e Linha 2 pela Rua do Clube Recreativo da Ramalha), vejamos os correspondentes tempos estimados de trajecto:
SOLUÇÃO 2 (a “preferida” pela CMA, vamos lá saber porquê…):
Linha 2 Corroios / Pragal 14,8 minutos (S2CP) Pragal / Corroios 15,1 minutos (S2PC) Linha 3 Cacilhas / Universidade 18,8 minutos (S2CU) Universidade / Cacilhas 19,4 minutos (S2UC)
CONCLUSÕES:
Primeira conclusão: Os autarcas e responsáveis envolvidos na escolha, com especial relevo para o Concessionário (e seus acólitos…) , souberam muito bem “colher” os benefícios da Solução 5, quando, relativamente à Linha 2 (Corroios / Pragal) na Rua de Alvalade, proposta pelos moradores, economizam os seguintes tempos estimados de trajecto: LINHA 2 Corroios / Pragal: (Tempo S5CP - Tempo S2CP) = 14,5 -14,8 = - 0.3 minutos Pragal / Corroios: (Tempo S5PC – Tempo S2PC) = 14,5 -15.1= - 0.6 minutos
Segunda conclusão: Os autarcas e responsáveis envolvidos na escolha, com especial relevo para o Concessionário, espezinhando os mais elementares direitos de muitas centenas de cidadãos, souberam igualmente “colher” os benefícios da Solução 2 (e a CMA “convencida” que é a melhor solução…) relativamente à Solução 5, economizando os seguintes tempos estimados de trajecto: LINHA 3 Cacilhas / Universidade (Tempo S2CU - Tempo S5CU) = 18,8 – 19,3 = - 0.5 minutos Universidade / Cacilhas (Tempo S2UC – Tempo S5UC) = 19,4 – 19,7 = - 0.3 minutos
Duvidam caros leitores/visitantes?
Façam o favor de consultar os documentos publicados neste blog (nunca desmentidos por ninguém), de confirmar os dados que recolhemos e, já agora, os resultados das contas que fizemos…
Será que os mais elementares direitos dos cidadãos, quando colocados perante uma imposição municipal, valem menos que trinta segundos de viagem entre Cacilhas e a Universidade (0,5 minutos), acrescidos de dezoito segundos na viagem inversa da Universidade a Cacilhas (0,3 minutos)? Ou estes autarcas e demais responsáveis envolvidos na escolha da Sexta Solução são analfabetos, e nós não queremos acreditar nisso, ou “puxaram” muito bem o “carro do Concessionário” que, com esta manhosa solução, consegue economias muito significativas na exploração do MST, mesmo que para o efeito a Linha 3 fique a dois ou três metros dos quartos de algumas centenas de moradores…
O Estado continua a ter “negociadores” de contratos ruinosos, quer para o erário público, quer para os mais elementares interesses dos cidadãos, como aqui ficou bem demonstrado… Afinal, a Sexta Solução é bem mais gravosa que qualquer das duas soluções válidas que estiveram em discussão pública, a Solução 2 e Solução 5, atendendo a que as demais soluções (1, 3 e 4) só serviram para complementar o estudo comparativo …
Veja-se o miserável estado da Rua de José Justino Lopes… (Fotos) Quem nos acode?
Assim não!
Estamos e continuaremos a estar no terceiro mundo…

5 comentários:

silvério disse...

O que se está a passar na zona da Ramalha com o traçado do MST é uma vergonha e um grande escândalo económico, urbano e ambiental.
Não haverá olhos de gente responsável decente e com cabeça sã para ver isto?
Só pessoas sem escrúpulos fazem destas coisas.
Pobres residentes.

|| st3ve || disse...

o pequeno é que paga sempre

fiscal das finanças disse...

Vendidos pela melhor oferta?

mateus disse...

Será pela melhor oferta ou por não terem dignidade nem vergonha e passa a qualquer preço?

Anónimo disse...

Não é um prato, é uma enorme travessa de lentilhas servida sem vergonha por hábeis cozinheiros.