sexta-feira, agosto 24, 2007

Números Para Pensar

A propósito de danos para Almada provocados pelo Metro Sul do Tejo (MST), o blog http://emalmada.blogspot.com/ apresentou no passado dia 22 de Agosto custos comparativos do TGV (Comboio de Alta Velocidade) com os do MST.

TGV

O Comboio de Almada (MST) - Um Super TGV de Luxo

O "Triângulo da Ramalha” aproveita a colaboração e disponibiliza também dados recolhidos do site do Ministério das Obras Públicas a propósito do Projecto TGV para Portugal e do Discurso de inauguração dos 4 Km da Linha 2 do MST entre Corroios e a Cova da Piedade (antigo Pão de Açúcar), para revelar ao cidadão quanto mais caro por Km é construir o MST, do que construir o TGV para País. TGV: - Lisboa-Porto 313 Km custo total 4,7 mil Milhões € custo por Km 15,015 Milhões € -Lisboa-Elvas 207 Km custo total 2,4 mil Milhões € custo por Km 11,594 Milhões € MST: - 1ª Fase do MST compreendendo três Linhas com extensão total de via férrea 13,5 Km: Linha 1 Cacilhas-Corroios Linha 2 Corroios-Pragal Linha 3 Cacilhas-Universidade Custo total 268 Milhões € Custo por Km 19,851 Milhões € - Custo Total dos 4 Km inaugurados em 30Abril2007 95 Milhões € Custo por Km 23,750 Milhões € O comboio anda vazio durante quase todo o dia e noite, a ponto de já ser designado pelo "VAI e VEM VAZIO".

Pensamos que é um luxo e um escândalo desperdiçar tanto dinheiro sem benefícios para a cidade nem para os munícipes, já que o objectivo desta obra é levar pessoas para o comboio da Fertagus e para os barcos da Transtejo. No custo total do MST não estão incluídos agravamentos por atrasos da obra, alterações ao projecto e custos do material circulante.
Lembramos que a Solução dos moradores, que foi escolhida pela Secretária de Estado permitia poupar 1.200.000 € relativamente à Solução que a CMA pretendia e 1.000.000 € em relação à Solução inicial. É mais económico construir um TGV em Portugal do que construir o Metro (chamado MST) da Presidente da Câmara Municipal de Almada, que tem de grave destruir o principal e único eixo viário da cidade e prejudicar os residentes na sua mobilidade e acessibilidades, para lá de outros aspectos negativos. O MST não serve Almada, nem os Almadenses e fica mais caro por Km aos portugueses, que qualquer projecto do TGV.

45 comentários:

Anónimo disse...

Oh sr. residente, agora parece que já não é só a sua ruazinha Lopes de Mendonça que o preocupa! Há uns tempos garantia aqui a pés juntos que o metro era uma coisa boa, e que a questão que o movia era mesmo o seu bem estar pessoal e a sua ruazinha. Afinal não é, pois não?

Afinal, o sr. é mesmo contra o MST! Coisa que eu aqui afirmei há algum tempo, ainda que tenha sido veementemente desmentido. Mais depressa se apanha um mentiroso ...

Mas eu percebo-o! Como percebo! O desespero é uma coisa muito triste, não é?

residente disse...

Só areia para olhos este anónimo atira.
Até confunde um bom metro de superfície bem inserido e com um traçado racional, como se vê nas cidades da Europa Central, com o comboio de Almada, melhor... da CMA e da sua Presidente (designado MST).
Sobre os números apresentados, que são reais, nem uma palavrinha...
Assustam-no? É natural. Talvez seja melhor ignorar, né?
Que tal montar um TGV em Almada? Sempre ficava mais barato!
Alguma ausência de discernimento é compreensível, agora que começou a Liga de Futebol!
Entende-se.

cobrador de impostos disse...

Tenham calma.

Eu quero é o meu dinheiro!!!

residente disse...

Queremos todos, os explorados e os expoliados, o nosso dinheiro de volta!

woman feelings disse...

É preciso sorrir á vida...tudo irá parecer bem melhor!...

Vem dançar comigo!... :)))

Paulo Sempre disse...

Enquanto houver uma Instituição chamada «retórica política»...criadora de falsas expectativas, não havera..entendimento social.
Abraço
Paulo

Minda disse...

A "Secretária-geral" do mais recente movimento que anda a agitar a blogosfera, provisoriamente designado por BLOGALMA(da) - Almada na blogosfera, a Alma(da) blogosfera ou blogosfera com Alma(da), foi de férias… não sem antes deixar pronto o relatório PDS. Se queres saber o que é, passa lá pelo escritório (no INFINITO'S) e deixa o teu comentário.
Todas as ideias e sugestões são bem-vindas para que o nosso projecto venha a ser um êxito. A partir de 12 de Setembro iremos juntar todos os contributos e dar início a uma nova etapa.
Obrigada. E até breve.

Ponto Verde disse...

Excelente trabalho, se permitir vou reproduzi-lo, com referência da sua origem, no a-sul.

Abraço.

Anónimo disse...

Aqui estão bem claros os números do nosso descontentamento.

Mas parece que não suscitaram nem suscitam quaisquer dúvidas aos políticos (de todos os quadrantes políticos diga-se em abono da verdade...)que os "abençoaram", nem ao Tribunal de Contas que os fiscalizam. Talvez ao Tribunal de Contas Europeu nem passem do mesmo modo...

Como é possível que a infra-estrutura do MST fique mais cara que a infra-estrutura do TGV?

Só uma MST consegue TGV...
Traduzindo melhor a ideia:
Tal como os demais políticos a Maioria Sem Tino (reinante em Almada), pensa Tirar Grandes Vantagens...

A População não, só serve para garantir o orçamento do Estado (através do IRS, claro, quanto ao IRC cada um foge como pode)para que todos (empreiteiros, Concessionário, etc.) possam facturar à tripa forra...

O ZÉ POVINHO sofre p´ra caramba...

No tempo do ESTADO NOVO faziam-se estradas, com quanto mais curvas melhor...
No nosso tempo faz-se o MST quanto mais comprido melhor... com especial relevo para o DESNECESSÁRIO traçado pelas Ruas de Lopes de Mendonça e de José Justino Lopes (acordem os moradores desta rua que o empreiteiro já vos anda a pisar mesmo antes da CMA disponibilizar os espaços).Esta é uma atitude muito "democrática"... que os "fiscais" da CMA não vislumbram (tem fiscal que é cego...).

Será que não há UM, um só, mas mesmo um só um político com TOMATES (como diria o Sr. Presidente do Governo Regional da Madeira) para por cobro a estes desmandos?

O Zé Povinho (ignorante como interessava e interessa a qualquer regime, democrático, ou não), ousa perguntar (incomodar):

- Quem "encomendou" a SEXTA SOLUÇÃO do traçado do Triângulo da Ramalha?

- Onde esteve em consulta pública?

- Quando foi aprovada, e por quem?

Ministério do Ambiente onde estás tu...

Se os moradores destas ruas fossem alguma variedade de ratos, dos raros claro (não daqueles espanhóis que não invadir...), certamente já alguém responsável teria aparecido em sua justa defesa, isto é, para cumprir ou FAZER cumprir o Despacho da Secretária de Estado dos Transportes que aprovou a SOLUÇÃO 5, "FAMOSA" Solução 5 como já lemos num BLOG partidário de Almada...

Porquê famosa? Pelas dores de cabeça quem tem causado aos irresponsáveis que, TEIMOSAMENTE, recusam a sua adopção?

Tal como diria o poeta...

EU NÃO ME CALO...

(Manuel Alegre, vá lá, aparece em nossa defesa e na defesa do custo mais baixo para a obra. São só uns "trocados" a menos, mais precisamente, UM MILHÃO E DUZENTOS MIL EUROS. Corresponde ao IRS de muito coitado que labuta de manhã noite para virar a vida...)

E você, caro visitante deste Blog?

Está à espera de que?

Anónimo disse...

Caro autor deste blog,

Quantos km de TGV estão previstos em meio urbano consolidado?

Que custos terão, no caso do TGV, as alterações ao nível dos serviços afectados?

Quanto custará a intervenção de requalificação do tecido urbano, no caso do TGV?

Sr. autor do blog, não percebe que as suas contas de merceeiro são desonestas?

Comparar uma intervenção em meio urbano consolidado (com necessários custos acrescidos quer ao nível dos serviços afectados - infraestruturas - quer ao nível da requalificação dos espaços exteriores) com uma intervenção em espaço aberto (TGV) utilizando o critério de custo/km é, no mínimo, intelectualmente desonesto.

Se o sr. dissesse que o TGV custa (no total) ao país - aos nossos impostos, como o sr. tanto gosta de referir - 7,1 mil milhões de euros (7.100.000.000 de euros) para servir uma elite, e o MST custa (apenas) 268 milhões de euros (268.000.000 de euros) - que representa 3,77% do custo total do TGV - mas serve, socialmente, muitas dezenas de milhares de cidadãos da Área Metropolitana de Lisboa, aí sim, o sr. seria sério. Como faz, é hipócrita, mentiroso e absolutamente desacreditado.

Mas o sr. é ainda mais desonesto na sua senha contra o MST (ou contra o que quer que o mova ...). Porque no seu "post" faz um exercício absolutamente repugnante.

Que é este: diz que o MST, na sua 1ª fase com 13,5 km de extensão, terá um custo total de 268 milhões de euros, o que dá um custo/km de 19,851 milhões de euros. Mas logo a seguir, de forma puramente demagógica e mentirosa, diz que os 4 km inaugurados custaram 95 milhões de euros, o que dá um custo/km de 23,750 milhões.

Em que ficamos relativamente às suas contas de custo/km?

Ficamos nisto: o sr. é um verdadeiro artista. Mas mentiroso. Então estes 4 km já inaugurados não fazem parte da 1ª fase do MST? São à parte? O sr. vai fazer contas destas para todos os troços do MST (se fosse a si não considerava o km; considerava o cm ...)? Quanto custa o troço entre Cacilhas e a Praça Gil Vicente por km? Saberá responder-me?

O seu ódio (político) é tão profundo que nem do ridículo das suas contas se dá ... precisamente, conta!

Como alguém já aqui disse, no início desta sua cruzada contra o MST o sr. afirmou a pés juntos, jurou por tantos quantos santos existirão, que o que o movia era apenas a defesa dos "interesses" dos residentes de uma parcela de um determinado troço do Metro Sul do Tejo. Mentira, mais uma vez o sr. revela a sua face de mentiroso. O que o move, é cada vez mais claro e visível para todos, é o ódio puro e simples ao desenvolvimento e ao progresso de Almada. Naturalmente, em defesa dos seus "interesses" ...

Mas o sr. está enganado. A luta política, legítima e necessária à sociedade democrática que somos, não se faz assim. Ou melhor, o sr. não está nada enganado, até porque já teve, na sua própria pele, a confirmação do que digo, quando foi estrondosamente derrotado na sua candidatura à Junta de Freguesia do Pragal. O sr. não consegue é aprender!

Mas continue assim. Vai certamente pelo bom caminho ...

Anónimo disse...

"uma intervenção em meio urbano consolidado" não quer dizer que EXISTE LÁ GENTE?!!!

Anónimo disse...

Exactamente, caro último anónimo! Existe lá gente! E é precisamente para servir essa gente que a intervenção se faz!

Anónimo disse...

Mas já agora, quanto à contas não quer dizer nada, caro anónimo do EXISTE LÁ GENTE? Ou apenas lhe interessa a chicana?

Anónimo disse...

Já agora, autor deste blog, porque carga de água distingue os custos/km do TGV em dois percursos? Então vamos ter um TGV a sério entre Lisboa e Porto e um "TGVzinho" entre Lisboa e Elvas? (partindo do princípio, não confirmado necessariamente, de que aquilo que é mais barato é de menor dimensão ou qualidade).

Não se questionou, sequer, sobre as razões que levam a um custo de quase 4 milhões de euros menos por km no percurso Lisboa/Elvas?

Pois é, caro autor do blog, pela boca (própria) morre o peixe. É você quem se desmente a si próprio, revelando a má fé e maledicência que desde sempre o caracteriza. Se mais não existisse, este seu último exercício de demagogia pura chegaria para o desacreditar completamente. É por isso que já niguém o ouve! Eu é que continuo a ser parvo; ainda perco tempo a responder-lhe.

Anónimo disse...

Existe lá gente.

Que defende os seus "interesses" LEGÍTIMOS.

O ódio (político) puro e simples ao desenvolvimento e ao progresso de Almada DEMONSTRA-O QUEM DESRESPEITA ORGÃOS DE SOBERANIA, DO MUNÍCIPIO E AS JUSTAS ASPIRAÇOES DOS CIDADÃOS ENVOLVIDOS.

( e nem sequer me vou apressar em concluir que é contra o TGV no NOSSO País...e que será implantado não só, no mato, mas também, no deserto.Pelo menos, se passar na margem sul...E que, embora vá servir uma elite, terá tb intervenções em meio urbano consolidado...)

Anónimo disse...

Nem que esses "interesses" LEGÍTIMOS se sobreponham (ou tentem sobrepor) aos direitos de TODOS os outros que, seguramente, serão menos LEGÍTIMOS. Entendo. Perfeitamente. Os seus "interesses" são LEGÍTIMOS. Os dos outros não. É por isso que cada vez menos gente vos dá imprtância. E eu repito: parvo sou eu que continuo a gastar tempo com os vossos "interesses legítimos".

Sobre quem desrespeita o quê ou quem teríamos muito, mas mesmo muito, para escrever. Mas acho que me apetece começar a deixar de ser parvo ...

Mas já agora: sobre as tais contas de merceeiro, nada não? Não lhe interessa, não é? Será que para defender os seus "interesses" LEGÍTIMOS o único recurso que tem é a deturpação demagógica e barata dos factos? (é que o seu parêntesis final nada esclarece. O TGV vai ter intervenções em meio urbano consolidado? Vai? Onde? Relativamente ao "deserto", é você quem o diz, o que é revelador ...)

Se sou contra o TGV? É óbvio que sim. Fachada pura, desnecessário para o nosso país. Diga-me lá, qual é a vantagem daquele meio de transporte? Permite poupar um quarto de hora na viagem Lisboa/Porto? Grande coisa! Espantástico, como diria um amigo meu!

Mas sabe que, precisamente ao contrário do TGV, o MST vai permitir poupar muito mais tempo a quem trabalha na área metropolitana de Lisboa, criando melhor qualidade de vida? Porque esse sim, será um tempo poupado útil para a vida das pessoas que trabalham! Terá você anónimo do "existe gente lá" consciência desta realidade? E será esta realidade impotante para si? Não, seguramente que não! Pelo que diz revela tal insensibilidade social, que estas questões nada lhe dirão. Pfff, preocupações de natureza social? Qu'é lá isso! Que horror!

Sabe o que é o TGV? É um capricho, puramente um capricho, de quem se quer pôr em bicos dos pés junto dos seus parceiros europeus (tipo eles têm, nós também temos que ter, percebe), mas que não serve para nada de útil efectivamente. Melhor seria que esses mesmos que se querem pôr em bicos de pés, e que como você consideram que a margem sul é um deserto, usassem o poder que têm para melhorar a situção económica das famílias portuguesas, colocndo-as - isso sim! - a par das suas congéneres europeias. Mas nesse domínio, tá quieto ó primo, primeiro é preciso a fachada, a imagem, depois os cidadãos e os trabalhadores logo se vê. Ou não vê, está bem de ver ... Aliás, é preciso que alguém pague os caprichos, não é?

Anónimo disse...

Não queira confundir as coisas.

O interesse na realização do projecto MST de todos os habitantes da AML foi muito bem defendido pelo moradores da Ramalha, que até se deram ao trabalho de estudar e propor uma alternativa melhor para eles e simultaneamente não-pior para todos os outros potenciais futuros utentes.

O inconformismo gerado pela imposição do seu traçado não pode ser confundido com oposição ao próprio projecto.

Já agora, o princípio da Participação, não pressupõe discussão e esforço real na procura da conciliação de todos os interesses em concurso tendo como objectivo a minimização de impactes negativos e despesas evitáveis, contribuindo também para a paz social e o desenvolvimento COM a responsabilização de todos os envolvidos?

E não terá esse príncipio sido desvirtuado neste processo justamente por que mais o apregoa como bandeira partidária , mas não mais que isso?

Anónimo disse...

Confundir as coisas?

O que querem dizer, para si, as seguintes palavras: "O MST não serve Almada, nem os Almadenses e fica mais caro por Km aos portugueses, que qualquer projecto do TGV" (escritas a vermelho e a encerrar o "post" onde nos encontramos). Isto quer dizer exactamente o quê?

Quem são os Almadenses? Você? Os moradores da Ramalha? Quem mais? O que é Almada? A Ramalha? A Rua Lopes de Mendonça?

Sabe, é aquilo que disse no meu "comment" anterior: os seus interesses são LEGÍTIMOS! Os dos outros (que são muitos mais, mas mesmos muitos mais, que você) não são legítimos. É mesmo por isso que cada vez menos gente vos liga alguma coisa. Eu é que sou mesmo parvo ...

Anónimo disse...

Parafraseando um pouco um dos anónimos anteriores (o educador do povo), ainda que parcialmente...

Sabe o que é o MST no triângulo da Ramalha? É um capricho, puramente um capricho, de quem se quer pôr em bicos dos pés junto dos seus corregiolários do partido... (tipo eles têm ideias, nós também temos que ter, mas muito melhores, percebe...), mas que não servem para nada de útil efectivamente.

Porquê?

Dirão vocês...

Porque o lado norte do Triângulo da Ramalha pode custar menos 1.700.000 EUROS.
Sr. anónimo "educador do povo" muitissimo "ignorante" que vive na Ramalha...

Deixa lá que as ideias do partido e da "participação" que solicitaram nos foruns do Metro foram muito interessantes...

Blá, blá, blá, mas a MST (Maioria Sem Tino) é que tem sempre razão!

Nem com a demonstração das contas feitas para, de entre cinco soluções estudadas, de entre as quais o ESTADO optou por "fixar o traçado" no Triângulo da Ramalha, vos convence...

Hirra que são mesmo BURRRRRROS!

Ou então há um só que é veradeiramente BURRRRRRO, mas outros, coitados, têm de pensar com a cabeça dele (do educador...)!...

Anónimo disse...

A propósito de números...

Já leram a última edição do semanário TAL & QUAL?

Leiam, pois merece pena.

Quando confrontados pelo jornalista com os números apresentados (recolhidos pelo jornal e certamente validados junto de fontes oficiais do Governo), atentem bem nas explicações dadas pelos responsáveis da obra, Eng. Marco Aurélio Martins (representante do ESTADO) e Vereador da CMA (Vice presidente da CMA) Dr. José Gonçalves ...

- O primeiro não sabe "isplicar"...

- O segundo "isplica, isplica", mas muito mal, pois justifica o custo (elevado, diria mesmo exorbitante) com o facto das obras "incluirem" remodelações nas infra-estruras que a CMA já devia ter feito há muitos anos, pois em Almada (cidade velha), as ditas infra-estruturas estão tão caducas e podres quando o "poder" que "governa" a cidade e o Concelho, isto é estão mal, muito mal...

Para os cidadãos que fazem o favor de visitar este Blog, e são muitos de muitos países e de todos os continentes, que não conseguirem ler o dito jornal, aqui fica a promessa de, num outro comentário, fazermos a transcrição das "doutas" opiniões emitidas por tão "altos responsáveis"...

Estes responsáveis ainda não foram "educados" por um dos frequentes anónimos que visita este BLOG...

Caso contrário saberiam responder, obviamente dando "música" aos leitores para os convencer que "quanto mais caro melhor".

Por isso o tal "educador" insiste em fazer (defender) um lado do triângulo com mais de 500 metros (QUINHENTOS) de comprimento de linha, obra perfeitamente desnecessária...

Mas este facto ele não comenta, agora, nem nunca...

Porquê? Terá telhados de vidro?...

Ou também anda de volta do saco de milho, tal qual Eça de Queiroz, afirmava há muitos anos?

Anónimo disse...

http://www.setubalnarede.pt/content/index.php?action=articlesDetailFo&rec=9623

O Micróbio II disse...

Venha o mais caro... que o pessoal gosta é de grandezas. Depois já se vê como se paga!

Anónimo disse...

Hi, hi, hi, hi! Isto vai mesmo de partir o coco a rir ...

Estou mesmo fartinho, fartinho de vocês. E começo a deixar de ser parvo, mesmo que, certamente com grande júbilo e gozo, o anónimo das contas de merceeiro (pelo menos aqui as tem defendido com unhas e dentes ...) queira continuar a consider-me burro. Se é para me insultar, olhe não perca mais tempo. Porque só me insulta quem eu deixo, não quem quer. E não, burro tenho a consciência de que não sou. Parvo, continuo um pouco. Mas cada vez menos, cada vez menos ...

Educador do povo, eu? Oh homem, veja lá se arranja um bocadinho mais de imaginação (não tem, eu sei, senão não precisava de me ter copiado, porque foi o que fez, não parefraseou, copiou). Então você julga que o povo anda por aqui a aturar-vos? Não anda, não! É que ao contrário de mim, o povo não é parvo!

Anónimo disse...

Sabem uma coisa?

Estive a pensar (pelos vistos, os burros também pensam. Porque se dizem que pensaram, pelo menos pensaram dizer isso mesmo ... que estiveram a pensar!) e, face às autênticas e genuínas intervenções de profundo sentido democrático e participativo, respeitadoras das opiniões contrárias - mesmo quando elas colocam pontos de vista diametralmente opostos aos vossos -, isentas de quaisquer tentativas de silenciamento e de insulto barato e gratuito, que caracterizam no essencial as vossas intervenções neste blog (hi, hi, hi, agora é que estou mesmo a ser burro, aliás buuuuuuurrrrrrooooo. Porque é mesmo ao contrário daquilo que digo!), estive a pensar, dizia, e resolvi fazer-vos uma proposta (peço desculpa por recorrer a uma ideia de um tal Secretário-Geral ou Secretária-Geral que agora parece estar de férias): constituam lá uma rede de blogs sobre Almada e ponham-na a funcionar em segredo, em circuito fechado, só para vocês.

Era muito, mas mesmo muito melhor. Nunca correriam o risco de aparecer por aí parvos como eu a lixar-vos a coisa. Estou certo de que eram muito mais felizes, falando apenas para o vosso próprio umbigo e para os umbigos dos vossos amigos. Pensem nesta proposta. Olhem, a mim dava um jeitão; deixava mesmo de ser parvo de vez! Por força das circunstâncias ...

Anónimo disse...

O comentador anónimo muito incomodado com os números deve andar a comer do tacho.

Anónimo disse...

Ora aqui está uma intervenção inteligente (que contraria a dos burros de forma assaz eficaz ...) que apenas justifica que aqui perca mais algum tempo reafirmando a minha proposta. Sério, pensem nisso. Eram, de certeza, muito mais felizes. E evitavam perder tempo com comentários inteligentes como o deste último anónimo (que por acaso é cada vez menos anónimo ...).

Ponto Verde disse...

Agradeço a gentileza e ainda bem que compreendeu o timing pelo qual me adiantei, aproveitando a discussão que haverá nos próximos dias sobre questões de mobilidade a proposito de mais uma semana europeia.

Anónimo disse...

Correspondendo ao prometido num comentário anterior, aqui ficam as doutas opiniões dos responsáveis a que então nos referimos:

Assim, quando questionados pela jornalista do Tal&Qual (edição de 31 de Agosto, página 12), Tânia Reis Alves, as explicações foram as seguintes:

José Manuel Gonçalves
(Vice-predidente da CMA, verador do pelouro do urbanismo, mobilidade e fiscalização municipal da CMA e, já agora, administrador da empresa municipal ECALMA...).

- "As obras do metro incluem arranjos de espaços exteriores, a remodelação de todas as infra-estruturas existentes no espaço canal, como águas e esgotos, e a aquisição de novo mobiliário urbano".

Marco Aurélio Martins
(Encarregado da Equipa de Missão do MST e, já agora, tal qual o Padre António Vieira, a tentar catequizar os infiéis da Ramalha, dizendo-lhes que o traçado pelas Ruas Lopes de Mendonça e de José Justino Lopes é muito bom, blá, blá,para o concessionário dizemos nós, utilizando o "púlpito" da "capela" do PS em Cacilhas...).

Afirmou não estar "em condições de comentar os valores"...,
"Não consigo explicar", disse.

Ora, se estes mais altos responsáveis respondem assim, quem presta conta dos nossos dinheiros (impostos)?

Se não sabem explicar, como podem depois controlar trabalhos? Gerir Custos?
Como podem aceitar ou impor traçados diferentes dos "FIXADOS" pelo Governo como a ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE ALMADA exigiu em tempo oportuno?

Com estes responsáveis não dá...

Não nos arranjam outros?

Ou será que não merecemos melhor?

s.pinto disse...

pegando no comentário do ultimo anónimo que transcreve o que o JG e MA declararam é caso para dizer que vai p´ra aí uma cambada.

Anónimo disse...

Quero dizer para desfazer possíveis equivocos que o anónimo incomodado com os números a que me referi é aquele que acha que o MST é barato.
Só esse tem razões para defender a mama do tacho.

Anónimo disse...

Ahhhhhhhhhhh, muito obrigado pela "clarificação".

Não deixa de ter todo o sentido, no entanto, o meu comentário anterior a outra douta opinião do anónimo que é (digo eu) cada vez menos anónimo, e que me dou ao trabalho de repetir na íntegra ... para desfazer possíveis quaisquer equívocos (com a devida vénia, reproduzi esta frase cuja autoria não é minha):

"Ora aqui está (direi agora mais uma) uma intervenção inteligente (que contraria a dos burros de forma assaz eficaz ...) que apenas justifica que aqui perca mais algum tempo reafirmando a minha proposta. Sério, pensem nisso. Eram, de certeza, muito mais felizes. E evitavam perder tempo com comentários inteligentes como o deste último anónimo (que por acaso é cada vez menos anónimo ...).

Anónimo disse...

Parabéns insistência. A despesa continua alta demais.Vê-se estar atento.

farto de demagogia disse...

Atenção que o que para alguns é despesa, para outros é receita.
Fiz-me entender?
Cumprimentos

Anónimo disse...

Não, farto de demagogia, não se fez entender. Sabe, os parvos são assim mesmo: não entendem certas coisas. Quer explicar? Certamente que não ... perda de tempo, parvo mesmo que eu sou.

Farto de demagogia (e de mentira), ainda por cima da barata, estou eu.

Anónimo disse...

Anda por aqui visitante que se auto define como parvo (não se flagele a si próprio homem...), que insiste em educar os moradores da Ramalha (os do Triângulo, claro)...

Mas quanto a números não diz nada, não é objectivo, não lhe interessa a realidade (um milhão e tal de euros não é nada...)...

Homem, diga lá (se é que já entendeu), qual a razão que leva a CMA a defender, contra tudo e contra todos (de mão dada com o Concessionário e com a aparente infiferença do Governo), a Solução SEIS que não foi discutida nem apresentada publicamente.

Como saberá só cinco soluções foram discutidas publicamente. Recorda-se? Até as pessoas de idade se recordam melhor dos factos "antigos"... Também esteve na reunião Pragalense?

Fale lá disto, e só disto por favor, se é que concorda que estes assuntos, numa verdadeira democracia, têm de ser discutidos publicamente .

Só assim estará a dar um verdadeiro contributo para a discussão pública do problema que a todos interessa (a uns porque defendem a solução técnica, ambiental e economicamente mais vantajosa, a outros que querem facturar quanto mais melhor, como sempre, à custa do ZÉ POVINHO...

Este asunto tem de ser discutido aqui porque nos Foruns ditos de participação, não merece a pena. Qualquer pessoa da assembleia, quando pode intervir a muito custo, discordando deste ou daquele ponto, (só convem que falem aqueles que a mesa deixa e habilidosamente inscreve...), fica com a sensação de ter batido com a cabeça no muro das lamentações, em Jerusalém...

No Boletim Municipal, nem uma letra sobre qualquer intervenção dos moradores que não mereça o agrado da "maioria" que, obviamente não precisa de censurar o dito boletim pelo facto de ser o seu verdadeiro "dono". Já antes de 74 era assim! O Diario do Governo sempre se constituiu como um jornal LIVRE, mas para publicar unicamente aquilo que o Governo queria (tal qual o Boletim Municipal...)

No Boletem Municipal, nem uma letra quanto às propostas dos moradores, apresentadas em tempo oportuno, ou às suas intervenções críticas e construtivas...

Tal com disse em tempos um dirigente desportivo, É O SISTEMA"!...

Caso contrário o seu contributo só serve para entretenimento (barato) dos demais visitantes...

Por favor, e de uma vez por todas, diga-nos lá qual é a sua posição.

Está do lado do ZÉ POVINHO, ou daqueles que, à custa de muito facturar (por trabalhos desnecessários), estão que nem nababos?

Anónimo disse...

Conclusão que posso tirar da resposta do Vereador José Gonçalves:
-Finalmente vou tomar duche com pressão de água suficiente.
É um problema que se arrasta talves há mais de 10 anos na RLP, acima do 4º andar

Anónimo disse...

http://sado2000.pt/noticia.php?codigo=46E13A0FD1A21

farto de demagogia disse...

Citação:

Anónimo disse...

Não, farto de demagogia, não se fez entender. Sabe, os parvos são assim mesmo: não entendem certas coisas. Quer explicar? Certamente que não ... perda de tempo, parvo mesmo que eu sou.

Farto de demagogia (e de mentira), ainda por cima da barata, estou eu.

Setembro 06, 2007 10:10 PM

Quem é que mentiu? Você anda a ver muitos filmes.
Leia e recicle-se.

Anónimo disse...

Ahhhhhhh, farto de demagogia, você não mentiu? Bom, ok, mas assume que faz apenas demagogia. E isso é mentira! Reciclou-se? Leu? Óptimo!

José disse...

Há para aí uns anónimos que são mesmo masoquistas, ou então são tão tansos que ainda acreditam na "voz do dono".
Não é muito dificil, ou será para alguns,ver o que se está a passar em Almada.
E com comboios e outras novidades que eles lá vão arranjando, vão enganando o pagode.
Esta história da competência da CMA, é só para inglês ver, porque verdadeiramente são como os outros.
Há uma coisa que têm, lá isso é verdade..é uma grande lata.

pedro lemos disse...

Senhores participantes deste blogue:
A propósito de custos de TGV li no Diário Económico.com de 14-08-2007 o seguinte: "Troço Alenquer-Pombal do TGV custará entre 894 e os 1,13 mil milhões de euros....No troço Alenquer-Pombal está prevista a construção de cinco a oito túneis, com uma extensão total que vai variar entre os 2 e os 5,7 Km, bem como a construção de 19 a 26 pontes e viadutos muma extensão total que oscilará entre os 11 e os 18 Km ".
Neste percurso de apenas 110 Km com tais "obras de requalificação" e não são poucas - não é só linha - o Km de TGV (10.000.000 €) ainda fica muito mais em conta do que o Km do MST (19.850.000 €) com apenas 13,5 Km.
Temos gastos desnecessários ou carris de ouro no Metro da Margem Sul?

Anónimo disse...

... e toda a gente fala do fecho da rede do Metro na AML...mas ninguém diz que as bitolas do metropolitano de Lisboa são incompatíveis com as do MST.

Anónimo disse...

A este respeito, podem ver o GLOBAL NOTICIAS de hoje

Anónimo disse...

O metropolitano de Lisboa, é isso mesmo, UM METROPOLITANO.

O MST não é mais que um comboio regional, do tipo LISBOA-AZAMBUJA, LISBOA-SINTRA, ou LISBOA-CASCAIS...

Compatibilidades de bitolas para que? (Bitola, é a distância entre carris...).

O que interessa é fornecer material circulante, carris (quantos mais melhor),tudo "made in" qualquer coisa (CE)...

Nós não fornecemos nada, à excepção da mão de obra (africana, de leste, etc., e, já agora, algum cimento...).

A Sorefame fechou...

Os "camaradas" recordam-se?

Afinal, quem se recorda?

braga parques disse...

A asneira deste projecto MST/comboio subregional só não a vê quem não quer ver.