quinta-feira, outubro 08, 2009

Quem queria/quis prejudicar os moradores?

Ao longo deste blog, alguns "desportista-adeptos" da actual presidente da Câmara, vieram aqui dizer ou propalaram por outros meios, que os moradores da Ramalha foram derrotados (pela Câmara ou pela sua presidente) nas suas pretensões relativamente ao traçado do comboio-MST para o Triângulo da Ramalha. Este era o traçado inicial que a presidente havia aprovado para o local, fechando 4 prédios num apertado triângulo de vias férreas e sujeitando outros, aos incómodos de ter composições a passar em estreito canal, perto das habitações, destruindo desnecessariamente duas ruas:
clique sobre as imagens para aumentar
Os moradores quiseram fazer-se ouvir na Câmara Municipal e nos falsos e mentirosos Fóruns de participação MST, mas a teimosia da presidente da Câmara municipal levou-a "a amarrar o burro". Os moradores acabaram por apresentar ao Governo (dono da obra), à Concessionária (MTS) e à Câmara Municipal de Almada, uma solução alternativa tecnicamente viável, que acabou por ser aprovada pelo Governo. A imagem seguinte mostra essa proposta, a qual consistia no deslocamento do triângulo para uma zona, mais abaixo, onde nenhum prédio ficava enclausurado. Esta apresentava vantagens em relação à solução preconizada pela Câmara (na imagem anterior) , sendo até mais económica e foi aceite pela Concessionária. Quem não gostou da solução foi a presidente da Câmara Municipal que se sentia ultrapassada pelo bom senso dos cidadãos, moradores locais. Pensa que no país e no mundo ninguém tem as melhores propostas para Almada a não ser ela ou o seu partido político. Os Ditadores sempre foram como tal.
Não satisfeita com o sentido de bom senso dos moradores expresso na sua proposta, aprovada pelo Governo, a presidente da Cãmara deu saltos de indignação por haver cidadãos a pensar racionalmente e com isso terem mandado para o lixo o que ela queria fazer e aprovara ( embora com prejuízo dos residentes locais e com maior despesa para o Estado). Tratou então de fazer provavelmente alguma chantagem com o Governo, talvez tratando-o como alguma associação ou colectividade almadense a quem atribui subsídios a troco de votos futuros. Apresentou/impôs ao Governo a solução da imagem abaixo, e este claudicou, esqueceu o Despacho governamental, sem o anular.
Ajoelhou-se diante da dita.
Vendo a fraqueza do Governo ( dono da obra ) perante uma presidente de Câmara que obriga o Estado a gastar mais dinheiro para satisfazer seus caprichos e nutrir o seu egocentrismo ditatorial, os moradores foram penalizados pelo compadrio Governo-CMA e ficaram reféns da reviravolta do Governo e da falta de ética politica e de moral da presidente da Câmara. Os moradores nunca foram derrotados. Nunca entraram em competição com quem quer que fosse. Só mentes medíocres e mesquinhas são capazes de o dizer. Os moradores fizeram valer os seus direitos de participação na resolução dos problemas locais. Com a sua proposta conseguiram ainda, que fosse mudada uma linha ( em via dupla) do comboio para outro local, libertando os 4 prédios de ficarem aprisionados como a presidente insensatamente tinha aprovado. Sem a sua intervenção teríamos hoje em Almada, provavelmente, o triângulo ferroviário mais estúpido do mundo em meio urbano, aprovado pela visão limitada e mesquinha da actual presidente da Câmara Municipal de Almada e o caos muito maior no trânsito. O protesto dos moradores da Ramalha foi ainda um excelente contributo-alerta para despertar nos almadenses a atenção para as implicações negativas do comboio na vida da cidade. Como muitos visitantes sabem, ao longo deste blog temos divulgado toda a documentação relativa ao assunto, onde implicitamente também se incluem as trapaças, trapalhadas e mentiras da presidente da Câmara Municipal, bem com as do presidente da Assembleia Municipal que não obrigou a sua "patroa", a presidente da Câmara (do mesmo partido político), a cumprir a deliberação da Assembleia Municipal de 10 de Março de 2007, humilhando os eleitos (deixaram-se também humilhar), descredibilizando a Assembleia Municipal e a população almadense.
Provou-se que Almada e os almadenses estão reféns do partido político que tem maioria absoluta na Câmara Municipal e controla a Assembleia Municipal.

14 comentários:

Anónimo disse...

A Presidente da Câmara não gosta de perder nem a feijões e tem atrás de si o aparelho do Partido a exigir-lhe comissões.
Enquanto existir promiscuidade entre ela e governantes, safam-se ela e o Partido.
Moradores ou cidadãos é gente
de 2ª.

Anónimo disse...

Que qualidade de autarcas tivemos nós ao longo da ditadura democrática reinante em Almada, que não respeitaram as conclusões de um estudo técnico-económico que definiu qual era melhor solução para o TRIÂNGULO DA RAMALHA?

Agora, temos uma solução à mão...

No domingo, vamos todos acompanhar os caducos autarcas que temos e oferecer a cada um deles o bilhete de ida para a sua terra natal...

O primeiro bilhete será para São Bartolomeu de Messines. Certo?

Por favor votem!

Anónimo disse...

Como há muitos disse o génio Einstein:

"Só há duas coisas infinitas:

O Universo e a estupidez humana, mas não estou muito seguro da primeira.

Da segunda, pode-se observar como nos destruímos só para demonstrar quem pode mais."

Qualquer semelhança entre este pensamento e a demonstração do poder reinante em Almada que levou à sua destruição é pura coincidência...

Anónimo disse...

...........

Tal como em qualquer Região Autónoma, da Madeira, ou de Almada, o que interessa é fazer bons negócios...

Quem paga a factura, como habitualmente, é o Governo Central, isto é, o ZÉ POVINHO...

João disse...

Pelos resultados do acto eleitoral de ontem, em Almada, parece que tudo vai bem, que a obra feita é do agrado de todos ou então este povo é estúpido e masoquista. Ao vermos o que se está a passar com o bastião comunista no sul, será que fugiram todos de Beja e ao encontrarem o rio ficaram por aqui? Talvez, desconhecendo que existe uma ponte que serve para atravessar o rio e continuar mais para norte, só que esta obra não foi feita por esta ditadura mas sim por outra, à 43 anos atrás.
Almada está doente de morte!

Anónimo disse...

Aqui está a verdadeira razão para os Comunas se terem fixado na margem esquerda do Tejo...
Não sabiam nadar e tinham medo de andar de barco...
Poucos passaram para a margem direita do Tejo.

Anónimo disse...

E em relação às obras junto à capela da Ramalha, executadas clandestinamente sem o obrigatório acompanhamento arqueológico, apesar das interrogações do IGESPAR? Legalmente, deveriam ser embargadas. Trata-se de um monumento referido em PDM. Como habitualmente, a Câmara e respectivos serviços escapam impunes à indiferença patrimonial que caracteriza o Concelho nos últimos anos. Não existe nenhum responsável? Nenhum comentário?

Anónimo disse...

Na Ramalha, Almada, todos vestígios arqueológicoas ficaram sepultados sob um manto de betão - o padrão do progresso da Câmara Municipal de Almada - a que os Governos PSD e PS dão cobertura "à cause de l´argent".

Anónimo disse...

Obra prima do MST...
Continua a andar (vazio) e a descarrilar...
O Correio da Manhã noticiou o recente descarrilamento da passada segunda feira.
Alguém saberá explicar as origens destes frequentes descarrilamentos?
Num curto espaço de tempo já lá vão dois...

Anónimo disse...

No dia 12 à noite o comboio descarrilou de novo.
Agora foi em Cacilhas frente ao Canecão.
O barulho que provoca é pior que o dos automóveis.
A obra está uma beleza.

morador ex - rua lopes mendonça disse...

Na 2ªfeira devido à avaria do MST os almadenses do eixo central e da Ramalha tiveram finalmente mais algumas horas de tranquilidade.
Um bem haja aos deuses amigos do cidadão.

Anónimo disse...

Por força de circunstâncias tive a paciência de contar o número de passageiros transportados pelas composições do metro nos dois sentidos numa destas manhãs, entre as 7 horas e as 7h 30m, hora considerada de ponta, na Av. D.Afonso Henriques.
Cada composição não chegou a transportar em média 9 passageiros.
Falando em prejuízo, fica caro aos portugueses. O MST continua a ser um Transporte Geralmente Vazio- o TGV.

Anónimo disse...

Notícia TSF hoje no sapo.pt

Acidente

Colisão entre Metro Sul do Tejo e automóvel provoca dois feridos
Hoje às 11:48
Uma colisão entre o Metro Sul do Tejo (MST) e um automóvel, na Cova da Peddle, Almada, provocou esta manhã dois feridos ligeiros, informou a PSP.

Os dois feridos ligeiros, que eram passageiros do automóvel, foram de imediato encaminhados para o Hospital Garcia de Orta, de acordo com o comandante da esquadra de Trânsito da PSP de Almada, José Calado.

José Calado, citado pela Agência Lusa, explicou que «o acidente ocorreu numa zona de sinalização ambígua, em que uma parte tem semaforização e a outra não».

«É uma situação temporária há muito tempo, embora, de acordo com as informações que recebi, deva estar concluída esta semana», adiantou.

O Metro Sul do Tejo inclui as linhas Cacilhas-Corroios, Corroios-Pragal, Cacilhas-Universidade e abrange os concelhos de Almada e Seixal. Esta primeira fase do projecto começou a funcionar a 26 de Novembro de 2008.

Anónimo disse...

A Secretária de Estado que "pactuou" com a Presidente da CMA na destruição da cidade e em especial das ruas Lopes de Mendonça e de José Justino Lopes não foi reconduzida no cargo, nem em qualquer outro...
Estará agora a pagar o preço da sua (in)competência?
Nas muitas horas que não dormem, os almadenses não podem esquecer os compadros políticos que levaram a dita senhora a não cumprir o próprio despacho que proferiu relativo à modificação do traçado do MST no Triângulo da Ramalha.
Será que, à semelhança de outros casos que agora começam a vir à tona, houve lugar a contrapartidas?
Vamos esperar para ver...