sexta-feira, fevereiro 20, 2009

O Subterrâneo do Betão

A implantação do Comboio na Ramalha por vontade expressa e imposição da presidente da Câmara Municipal de Almada acarretou ao erário público uma despesa enorme que ninguém se atreve a divulgar para que o escândalo não seja de conhecimento público.
Para lá da inutilidade dos 450m de linha dupla construída a mais e da destruição complementar de duas ruas, uma delas transformada em vale ferroviário, têm sido feitas despesas que provavelmente indiciam gasto excessivo e desnecessário de ferro e betão.
O muro que vemos nas duas fotos seguintes tem estrutura e fundações desnecessárias de dique.
A parte visível é só a ponta do iceberg. Muito ferro e betão está enterrado por baixo da parte visível.
Houve aqui provavelmente um aproveitamento da situação para movimentar capital, quando seria possível uma construção mais modesta a custos mais baratos.
Quem se atreve a inquirir e exigir o quanto e em que circunstâncias houve gastos exagerados nesta obra ou em obra desnecessária no MST?
Quem se aproveitou da situação?

4 comentários:

Anónimo disse...

Uma obra tão grandiosa afirma-se com gastos faustosos.

Anónimo disse...

Não são somente os custos da obra mas também o tempo da sua exexução. Estes míseros m2 estão em obras há meses.

morador disse...

E o passeio na Av Cidade de Ostrava, lado direito de quem desce da capela da Ramalha para baixo? Zona nova com um "metrito" de passeio com os candeeiros ao meio. Maravilha... uma cadeira de rodas não passa ...mas tambem não há problema porque a inclinação da rua é tanta que ninguem que tenha dificuldades em se movimentar de atreve a passar aqui.
E os banquinhos que foram colocados por Almada fora ...acompanham o declive das ruas. Será que não tem "nivel"... ou é "requalificação no seu melhor em Almada"?
Almada é para gente saudavel, os outros que vão morrer longe....

morador disse...

E o passeio na Av Cidade de Ostrava, lado direito de quem desce da capela da Ramalha para baixo? Zona nova com um "metrito" de passeio com os candeeiros ao meio. Maravilha... uma cadeira de rodas não passa ...mas tambem não há problema porque a inclinação da rua é tanta que ninguem que tenha dificuldades em se movimentar de atreve a passar aqui.
E os banquinhos que foram colocados por Almada fora ...acompanham o declive das ruas. Será que não tem "nivel"... ou é "requalificação no seu melhor em Almada"?
Almada é para gente saudavel, os outros que vão morrer longe....