quarta-feira, maio 14, 2008

Acidente na "grandiosa" obra da CMA

Ontem, 13 de Maio de 2008, entre as 18h:15m e as 18h:30m operários em trabalhos para implantar o comboio da Presidente da CMA na ex-Rua Lopes de Mendonça, rebentaram com uma conduta de gás, em frente ao prédio nº 10.
Uma senhora deste imóvel, por se sentir mal, teve de ser evacuada pelos bombeiros, enquanto os restantes moradores eram aconselhados a permanecer no seu interior. Os bombeiros tiveram de deixar as viaturas longe do local do acidente devido à destruição total dos acessos, que impossibilita a aproximação de qualquer veículo de socorro ou emergência e daí verem-se obrigados a estenderem mangueiras de àgua até ao local do acidente.
Só cerca das 19 horas a situação ficou controlada após a chegada de pessoal da SetGás.
O pessoal que executa os trabalhos de escavação e seus superiores a operar no terreno, desconheciam a localização das válvulas/torneiras de segurança das condutas.
O local do acidente foi ao fundo e à direita na foto seguinte, onde se encontram as máquinas
Após a situação controlada, as escavações na proximidade do local do acidente foram feitas com enxada. Esteve no local um carro reportagem exterior da RTP1, que chegou às 20 horas e 25 minutos mas de imediato recebeu ordens para não fazer a reportagem em directo, aparentemente, disseram por o Telejornal "já ter terminado àquela hora".
A SIC contactada também, deu informação a um morador do número 2 da ex-Rua Lopes de Mendonça que já tinha uma Equipa de Reportagem a dirigir-se para a zona, mas nunca chegou...ou nunca deixaram chegar.
A Equipa da RTP mesmo assim fez uma reportagem gravada, tendo entrevistado um morador. Quando procedia às gravações, os operários que estavam no local, foram mandados dispersar por um engenheiro da obra. Questionados por moradores, engenheiros já conhecidos nesta obra, sobre a razão de estar a ser implantada nas ex-ruas Lopes de Mendonça e José Justino Lopes a linha 3 do MST, limitaram-se a dizer que nem querem falar nisso, ( há outros interesses em jogo ) pois estão a ter muito mais trabalho do que se a mesma linha férrea fosse implantada na Rua de Alvalade, tal como a decisão em Despacho da Secretária de Estado dos Transportes preconizava.
As asneiras da exemplar requalificação urbana da Câmara Municipal de Almada são visíveis na Ramalha há algum tempo e agora agravadas com novos muros de suporte na ex-rua José Justino Lopes e um acentuado declive na Rua Cidade de Ostrava - um escândalo urbanístico em rede viária - para construção de plataforma para a linha do comboio na rotunda da R. Cidade de Ostrava com a ex-rua Lopes de Mendonça.
São as excelentes acessibilidades com que a CMA está a brindar a população com promessas de um "futuro" de ilusões, em prejuizo dos cidadãos desta cidade e do concelho.
A(s) empresa(s) da obra agradece(m) os trabalhos extra e todos os portugueses pagam sem saber e sem dar por isso, qualquer que seja o lugar de Portugal onde residam.

11 comentários:

Anónimo disse...

Foi por sorte que não aconteceu nada de grave tanto a pessoas como à estrutura dos predios, pois ficou bem visível a incompetência dos técnicos no terreno, inclusivé até se estavam a guiar por um mapa que não correspondia ao mapa da rua Lopes de Mendonça para procurarem onde se encontrava as valvulas de segurança. E isto meus senhores não é vontade de dizer mal mas sim um total desanimo pelo País que temos, mas saibam que a culpa é de todos nós que permitimos

Anónimo disse...

Certamente que que se terão servido do mapa a partir do qual foi feito o Estudo de Impacte Ambiental...
Sabem porquê?
Porque no Estudo de Impacte Ambiental a Rua de Lopes de Mendonça pura e simplesmente não existe...
Apenas refere, INDEVIDAMENTE, a Praçeta de Lopes de Mendonça...
Isto exemplifica bem a seriedade com estes assuntos foram e estão a ser tratados.
"COM OS PÉS" como em devido tempo foi afirmado publicamente por um Ministro responsável pelo sector...

Anónimo disse...

Aí está! Como o anónimo que no post anterior previu, a grande reportagem! Não podia faltar!

Anónimo disse...

Tragédia a Vista

Podia ter sido realmente uma grande tragédia ..

Ficou claro e á vista de todos:

- Falta de Acessos para as viaturas de Emergencia
- Falta de Acessos as garagens (já passaram as tres semanas ....)
- Falta de Acessos com condições de segurança para idosos, carrinhos de criança

Podia ter sido uma grande tragédia no caso de explosões nas habitações e prédios

Como é que os bombeiros lá chegavam ???

Não foi por falta de chamada de atenção de muitos moradores que se têm manifestado e informado as entidades competentes dos riscos que correm.

Pelo menos que sirva de exemplo aos irresponsáveis dos Autarcas de Almada, irresponsáveis
da Obra, MST e Protecção Civil de Almada, porque os moradores correm grandes riscos todos os dias.

A Protecção Civil deve prevenir e alertar para os perigos que os moradores correm, não é só aparecer depois da
tragédia ter acontecido.

Este traçado do MST não serve a população de Almada, é uma aberração, ninguém o compreende, agora serve de certeza absoluta os interesses de alguém .....

Moradora RLM disse...

Foi um grande susto que muitos moradores apanharam depois de se aperceberem que o barulho ensurcedor que se ouvia era uma fuga de gás. As lembranças do que aconteceu em Setúbel são recentes.

Foi sorte não ter acontecido nada de mais grave. Mas ficou o susto.

Anónimo disse...

A tragédia do Chiado, motivada pela falta de acessos, foi em 1988, há cerca de vinte anos anos...
Como sempre, a memória do políticos é curta e os exemplos de obras sem qualquer ponta por onde se lhes pegue estão bem à vista de todos. O traçado do "comboio regional", no Triângulo da Ramalha, ficará para a história como um excelente exemplo daquilo que um QUALQUER RESPONSÁVEL, nunca deve fazer.
Na situação actual o que importa é minimizar os problemas...
Como é que isso se consegue?
Controlando de forma directa, ou indirecta os órgãos de comunicação social, por exemplo, fazendo publicidade nesses mesmos órgãos de comunicação social(PAGANDO a correspoindente factura)...

A título de exemplo e a propósito da DANIFICAÇÃO das condutas do gás, resultante única e exclusivamente das obras do MST, veja-se a notícia publicada ontem no jornal Correio da Manhã:

"ALMADA
Fuga de gás
Uma fuga de gás na rua Lopes Mendonça, em Almada, obrigou ao corte da circulação no acesso ao Hospital Garcia de Orta."

Comentários para que?

Esta notícia configura a ignorância dos factos ocorridos, ou o "branqueamento" dos mesmos...

Isto não são notícias, são "sacos de serradura" atirados para os olhos dos cidadãos...

Então não é verdade a notícia que este Post documenta?

Quem é o verdadeiro responsável pela falta de acessos ao hospital?

A DANIFICAÇÃO da conduta do gás, ou as Obras feitas de forma selvagem, que cortaramm há já vários dias o acesso a tudo e todos, hospital incluído?

Anónimo disse...

A notícia do CM é estilo informação veiculada no Boletim da Câmara Municipal de Almada.
Se alguma empresa do Consórcio MST tem participação no CM, compreende-se a noticia.

Almadense disse...

Neste cenário de devastação, quando ocorreu este incidente, apareceu algum "responsavel" da CMA?

Anónimo disse...

A CMA tem responsáveis?

moradora disse...

Mais um corte de água a hora de refeição na Ramalha pela requalificação urbana de sua senhoria a presidente da câmara de Almada, nas desaparecidas ruas Lopes de Mendonça e José Justino Lopes.

morador disse...

Há pelo menos uma pessoa na Ex-RLM, que se desloca em cadeira de rodas que está retida em casa.
O acesso aos prédios nºs pares, junto à escada que liga à Pct. Alfredo Keil tem cerca de 40cm de largura.
E o lixo? E a reciclagem? Não deviam colocar contentores na Pct.AK?